Barragem da Aguieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barragem da Aguieira
Barragem da Aguieira.jpg
Localização
Localização Mondego, Portugal Editar isso no Wikidata
País Portugal
Divisão Coimbra (margem esquerda)
Viseu (margem direita)
Subdivisão Penacova (margem esquerda)
Mortágua (margem direita)
Bacia hidrográfica Mondego
Rio Rio Mondego
Coordenadas 40°20'25.1"N, 8°11'48.1"W
Barragem da Aguieira está localizado em: Portugal Continental
Barragem da Aguieira
Localização em Portugal Continental
Dados gerais
Uso Energia, Defesa contra cheias, Abastecimento, Rega, Atividades de lazer e turismo
Data de inauguração 1981
Dados da barragem
Tipo Betão, Arcos múltiplos
Altura 89 m
Cota de coroamento 125 m
Fundação Xistos e Grauvaques
Dados da albufeira
Capacidade total 423 000 000
Capacidade útil 304 000 000
Pleno armazenamento 117 m
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Barragem da Aguieira

A Barragem da Aguieira também conhecida por Barragem da Foz do Dão é uma barragem portuguesa de arcos múltiplos localizada no rio Mondego, a cerca de 2 quilómetros a jusante da foz do rio Dão, situando-se nos limites dos municípios de Penacova (distrito de Coimbra, margem esquerda) e de Mortágua (distrito de Viseu, margem direita), nas freguesias de Travanca do Mondego e Almaça respetivamente.

A construção começou em 1973 e entrou em funcionamento em 1981. Os seus principais objectivos são a produção e fornecimento de energia hidroeléctrica, a irrigação agrícola e o controle de cheias, sobretudo na chamada região do Baixo Mondego.[1]

Barragem[editar | editar código-fonte]

A Barragem da Aguieira / Foz do Dão é uma barragem de betão do tipo "arcos múltiplos"; é formada por três arcos e dois contrafortes centrais, nos quais se situam os dois descarregadores de cheia. Tem 89 metros de altura acima da fundação e o comprimento do coroamento é de 400 metros.[1] O coroamento situa-se 125 metros acima do nível do mar. O volume da barragem é de 365 000 m3. A barragem contém 2 descarregadores de cheia (caudal máximo de descarga de 2 080 m3/s) e um descarragador de fundo (caudal máximo de 180 m3/s).[1]

Albufeira[editar | editar código-fonte]

Jusante da albufeira da Barragem da Aguieira.

A um nível de pleno armazenamento de 117 m (nível de máxima cheia 126 m), a albufeira da barragem tem uma superfície de 20 km2 e uma capacidade total de 423 milhões de m3.[1] A albufeira estende-se pelos municípios de Penacova, Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Tábua e Tondela. A capacidade útil da albufeira é 304[1] (216[2]) milhões de m3. O nível mínimo de exploração é 100 m.[1] Com 216 milhões de m3, 39,2 GWh podem ser produzidos.[2]

A albufeira submergiu as aldeias de Breda (município de Mortágua) e Foz do Dão (município de Santa Comba Dão). De facto, devido à extrema proximidade do paredão da barragem em relação a esta última aldeia, há quem defenda que a barragem deveria ser denominada de Barragem da Foz do Dão, numa homenagem ao que foi submerso pela albufeira.

Através da albufeira, estabelece-se o fornecimento de água aos municípios vizinhos, designadamente à cidade de Coimbra. Ainda que com algumas restrições, nas suas águas desenvolvem-se várias actividades de recreio e lazer, tais como a pesca, banhos e natação, navegação à vela e a remos, pelo que não é de admirar a alta afluência de pessoas que a ela se dirigem.

Central hidroelétrica[editar | editar código-fonte]

A central hidroelétrica entrou em funcionamento em 1981. É uma central hidroelétrica reversível. Pertence à Companhia Portuguesa de Produção de Eletricidade e é operada pela EDP e pela Iberdrola. A capacidade instalada de produção de energia eléctrica é de 270[1] ou 336[2] MW. A produtibilidade média anual é 209,9 GWh.[2]

A central hidroelétrica contém 3 turbinas de Francis cada uma com 112,4 MW de potência nominal.[2] A velocidade nominal das turbinas é 125 rpm.[2] A queda bruta mínima é de 53,4 m e a máxima de 71,6 m.[2] O caudal máximo por turbina é de 180 m3/s.[2]

A Barragem da Raiva é o contra-embalse da Barragem da Aguieira / Foz do Dão. Quando as turbinas da Aguieira bombeiam água de jusante para montante, cada turbina tem uma potência máxima aborvida de 91 kW e um caudal máximo de 156 m3/s.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g Comissão Nacional Portuguesa de Grandes Barragens (CNPGB). «BARRAGEM DA AGUIEIRA». Consultado em 5 de Novembro de 2014. 
  2. a b c d e f g h i EDP. «Aguieira Informação técnica». Consultado em 5 de Novembro de 2014. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Hidrografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.