Barragem de Alqueva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barragem do Alqueva
Alqueva dam.JPG
Localização
Concelho Portel e Moura, Évora e Beja
Bacia hidrográfica Guadiana
Curso de água Rio Guadiana
Dados gerais
Utilização Reserva, Rega, Abastecimento, Energia eléctrica
Inauguração 2002
Características da barragem
Tipo Betão, Abóboda de dupla curvatura
Altura 96 m
Cota do coroamento 154 m
Fundação Rocha
Características da albufeira
Capacidade total 4 150 000 000
Capacidade útil 3 150 000 000
Pleno armazenamento 152 m

A Barragem do Alqueva é uma barragem em arco portuguesa, situada no rio Guadiana, no Alentejo interior, perto da aldeia do Alqueva. A construção desta barragem permitiu a criação do maior reservatório artificial de água da Europa Ocidental, também chamado de Grande Lago.[1]

A paisagem em torno do grande lago do Alqueva.

Possui uma altura de 96 m acima da fundação e um comprimento de coroamento de 458 m[2]. A capacidade instalada de produção de energia eléctrica começou por ser de 260 MW, tendo sido alvo de um reforço de potência que permitiu ampliar a capacidade do empreendimento para 520 megawatts (MW) (desde 15/10/2012), com dois grupos geradores reversíveis, que deverão produzir anualmente 381 gigawatts hora (GWh). A albufeira atinge, à cota máxima, os 250 km², sendo o maior lago artificial da Europa Ocidental (há vários outros bem maiores na Rússia e Ucrânia).

Foi construída com o objectivo de regadio para toda a zona do Alentejo e produção de energia eléctrica, para além de outras actividades complementares. Diversas infraestruturas do sistema global encontram-se já construídas (barragem de Pedrógão, infraestrutura 12, Aldeia da Luz) e muitas outras em fase avançada de projecto.

Em Outubro de 2012, entrou em serviço o Reforço de potência da Barragem do Alqueva, constituído por uma nova central com dois grupos geradores reversíveis, com 130 MW de potência cada um, duplicando a potência instalada da Barragem.

No início de 2015, entre investimento público e privado o projeto de regadio de Alqueva mobilizou já €4 mil milhões, a que se irão juntar mais €1000 milhões até 2020, nomeadamente potenciados pelos apoios da Comissão Europeia. Quanto ao impacto no mercado de trabalho, entre empregos criados de forma direta e induzidos indiretamente pelos projetos desenvolvidos em Alqueva, a EDIA estima que se possa estar no patamar dos 20 mil postos de trabalho.[3]

História[editar | editar código-fonte]

  • 1968 - Celebração do Convénio Luso-Espanhol para utilização dos rios internacionais
  • 1975 - Aprovação pelo Conselho de Ministros da realização do Projecto
  • 1976 - Início das obras preliminares (ensecadeira/infraestruturas de apoio à obra)
  • 1978 - Interrupção das obras
  • 1980 - Resolução do Conselho de Ministros determina a retoma dos trabalhos
  • 1993 - Decisão do Conselho de Ministros para retoma do Empreendimento
  • 1993 - Criação da Comissão Instaladora da Empresa do Alqueva (CIEA)
  • 1995 - Reinicio dos trabalhos
  • 1996 - Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 8/96, o Governo assume "avançar inequivocamente com o projecto" com ou sem financiamento comunitário
  • 1996 - Adjudicação da empreitada principal de construção civil da barragem e central
  • 1998 - Início das betonagens.
  • 2000 - Adjudicação da empreitada para a execução do primeiro bloco de rega do Sistema Global de Rega
  • 2002 - Encerramento das Comportas e início do enchimento da albufeira (8 de Março)
  • 2002 - Abertura ao trânsito da estrada Portel/Moura sobre o coroamento
  • 2004 - Inauguração da Central hidroeléctrica
  • 2005 - Conclusão do contra-embalse (barragem de Pedrógão)
  • 2008 - Início das obras de ampliação da Potência Instalada da Barragem.
  • 2010 - A 1 de Janeiro, a albufeira de Alqueva regista o nível de água com a cota 150,17 metros acima do nível do mar, o que corresponde a 91 por cento da sua capacidade máxima. É o maior volume de água registado em Alqueva desde que as suas comportas foram encerradas.
  • 2010 - A 12 de Janeiro o nível de água armazenada atingiu a cota máxima de 152 metros, um metro abaixo do nível de máxima cheia para que a albufeira está preparada. Trata-se de um volume de água armazenada de 4.150 hectómetros cúbicos.
  • 2012 - Em 19 de Outubro o reforço de potência da central hidroeléctrica do Alqueva, denominado de Alqueva II, injectou pela primeira vez eletricidade na rede eléctrica nacional. Tratou-se de um investimento de cerca de 190 milhões de euros.[4]
  • 2013 A 23 de Janeiro a EDP inaugurou a central hidroeléctrica Alqueva II.[5]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. BBC News, Portugal opens Europe's largest Dam
  2. Structurae Database, Alqueva Dam
  3. «Alqueva mobiliza cinco mil milhões de euros» 
  4. «Nova central de Alqueva já produz energia». Expresso. 22 de outubro de 2012. Consultado em 23 de janeiro de 2013 
  5. «EDP inaugura nova central elétrica no Alqueva». Dinheiro Vivo. 23 de janeiro de 2013. Consultado em 23 de janeiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Barragem de Alqueva
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.