Barragem de Bin el Ouidane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barragem de Bin el Ouidane
Md.Boualam bin El ouidane Dam Morocco.JPG
Localização
Localização Beni Mellal, Marrocos Editar isso no Wikidata
Divisão  Marrocos, Bin el Ouidane (província de Azilal)
Coordenadas 32°6'24"N, 6°27'50"W
Dados gerais
Proprietário Office National de l'Electricité (ONE)
Uso hidreletrica, irrigação
Obras 1953 (66 anos)-?
Data de inauguração 1953 (66 anos)
Tipo barragem em arco, central hidroeléctrica
Reservatório
Área alagada 37,35 km²
Vazão 26
Capacidade de geração 135 megawatts
Dados da albufeira
Capacidade total 1 384
Observações altura: 133 m; largura: 290 m; altitude: 783 m; potência: 135 MW; [1] produção anual: 287 GWh
Vista das margens da albufeira

A barragem de Bin el Ouidane (em árabe: سد بين الودان) é uma represa situada no centro de Marrocos, na província de Azilal da região de Tadla-Azilal.

Situa-se na cordilheira do Atlas, na zona em que estas mudam o nome de Médio Atlas, a norte, para Alto Atlas, a sul, no vale escavado pelo oued el-Abid, um afluente do Morbeia (Oum Er R'bia), um dos maiores rios de Marrocos. A região é muito acidentada, com encostas agrestes muito íngremes, que só são arborizadas junto ao grande lago formado pela barragem. Bin el Ouidane, a aldeia que lhe dá o nome situa-se um quilómetro a oeste da barragem. A cota máxima da albufeira situa-s a 783 metros de altitude. A barragem drena grande parte da água das vertentes norte do Alto Atlas central, cujos cumes mais altos ultrapassam os 4 000 m de altitude.[1]

A barragem foi inaugurada foi construída entre 1949 e 1953, quando ainda vigorava o Protetorado Francês de Marrocos, e tem a função dupla de produção de energia elétrica e de irrigação. Alegadamente é a barragem em arco mais alta de África. É a maior barragem hidroelétrica de Marrocos em termos de produção de eletricidade. A água represada alimenta uma vasta rede de irrigação, que se prolonga por 125 km e cobre 65 000 ha de terrenos agrícolas, na planície de Tadla, mais especificamente na planície de Beni Moussa, na margem esquerda do Morbeia.[1]

A construção da barragem foi um dos primeiros e maiores empreendimentos do ambicioso programa de irrigação iniciado nos anos 1940. A política do governo marroquino no início dos anos 1960 pretendia que a rede de irrigação nacional atingisse um milhão de hectares. No entanto, apesar do grande número de barragens, o país debate-se com alguns problemas nessa área, nomeadamente a seca e o enchimento das albufeiras com lama, o que afeta a retenção das águas.[carece de fontes?]

A construção da barragem resultou na modificação substancial das terras da região de Beni Mellal, antes semelhantes às das planícies de fosfato, áridas e improdutivas,[2] sejam atualmente das mais férteis de Marrocos. As técnicas agrícolas de afolhamento e rotação de culturas usadas[3] contribuem para produções anuais de 135 000 toneladas de açúcar de beterraba, 13 milhões de litros de leite, além de trigo e uma variedade de algodão de fibra longa muito apreciado.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros estudos in situ para a exploração hidroelétrica do oued el-Abid, o principal afluente do Morbeia, foram iniciados em 1929. Nas vésperas da Segunda Guerra Mundial, a empresa Énergie Électrique du Maroc e os poderes públicos decidiram construir a barragem, mas o projeto só entrou na sua fase ativa após o fim da guerra.[carece de fontes?]

No início de 1948, a SGE e a Entreprise Fougerolle pour Travaux Publics ganharam o concurso para adjudicação das obras de construção da barragem. Para isso formaram um consórcio, a Entreprise de Construction du Barrage et de l’Usine de Bin-el-Ouidane (ECBO). O ambicioso projeto, cujas obras arrancaram em 1949, tinha como objetivo construir a central hidroelétrica mais potente de Marrocos, capaz de fornecer 600 mil milhões * de kW-h, o que representava dois terços da eletricidade de origem hídrica produzida em Marrocos. Além disso, deveria poder irrigar 112 000 ha.[carece de fontes?]

A peça central do conjunto projetado era a barragem Bin el Ouidane, projetada pelo atelier Coyne et Bellier, com um paredão de 133 metros de altura por 290 metros de comprimento na crista, 28 m de espessura na base e 5 m no topo. Durante muito tempo foi a barragem mais alta de África. O descarregador de cheias em forma de salto de esqui tem capacidade para caudais de 2 500 /s. A albufeira ocupa uma área de 3 735 ha quando totalmente cheia, o que corresponde a 1 384 m³ de volume.[1][3]

A exploração hidroelétrica conta com duas centrais geradoras, uma junto à barragem de Bin el Ouidane e outra em Afourer, a norte. Esta última central é alimentada pela barragem secundária de Aït Ouarda, que é alimentada através duma galeria subterrânea com 10,6 km de extensão sob o Jbel Tazerkount (1 704 m de altitude). O desnível total entre Bin el Ouidane e a central de Afourer é 225 metros.[1][3]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f «Barrage de Bin El Ouidane». www.water.gov.ma (em francês). Ministère de l'Energie, des Mines, de l'Eau et de l'Environnement- Département de l'Eau. Consultado em 10 de agosto de 2012. Cópia arquivada em 10 de agosto de 2012 
  2. Ellingham, Mark; McVeigh, Shaun; Jacobs, Daniel; Brown, Hamish (2004). The Rough Guide to Morocco (em inglês) 7ª ed. Nova Iorque, Londres, Deli: Rough Guide, Penguin Books. p. 314. 824 páginas. ISBN 9-781843-533139 
  3. a b c Le Guide Vert - Maroc (em francês). Paris: Michelin. 2003. p. 178. 460 páginas. ISBN 978-2-06-100708-2 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Barragem de Bin el Ouidane