Barrerito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barrerito
Informação geral
Nome completo Élcio Neves Borges
Também conhecido(a) como O cantor das andorinhas
Nascimento 22 de outubro de 1942
Local de nascimento São Fidélis, Rio de Janeiro
Brasil
Morte 12 de agosto de 1998 (55 anos)
Local de morte Belo Horizonte, Minas Gerais
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Sertanejo
Ocupação(ões) cantor e compositor
Período em atividade 1960-1998
Outras ocupações violonista e violeiro
Gravadora(s) Copacabana, RGE
Afiliação(ões) Trio Parada Dura e Trio Alto Astral

Élcio Neves Borges, mais conhecido como Barrerito (São Fidélis, 22 de outubro de 1942[1]Belo Horizonte, 12 de agosto de 1998), foi um cantor brasileiro de música sertaneja, ganhou destaque por integrar a segunda formação do Trio Parada Dura. É irmão de Parrerito.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cantor, violonista e violeiro, Élcio Neves Borges nasceu em São Fidélis, no estado do Rio de Janeiro, em 1942. Iniciou sua carreira na década de 1960, fazendo dupla com Flor da Índia, Baianito, Criolo e Creone, este último com quem formou o conjunto sertanejo Trio Parada Dura a partir de 1976, ao lado de Mangabinha.

Em 6 de setembro de 1982, um acidente de avião na cidade de Espírito Santo do Pinhal, interior do estado de São Paulo, deixou Barrerito paraplégico. Seu irmão, Parrerito, assumiu o lugar no trio durante o período em que esteve ausente e, posteriormente, em 1987.

Iniciou carreira solo como o "Cantor das Andorinhas", em 1987, quando gravou seu primeiro LP, chamado Onde Estão Os Meus Passos, pela Copacabana, com destaque para a faixa-título, em parceria com Carlos Randall e Nilza Carvalho. Barrerito gravou 9 LPs pelos selos Copacabana e RGE. Ganhou dezenove discos de ouro e oito de platina, sempre com a ajuda de Nilza Carvalho, com quem viveu maritalmente até 1990.

Era o único artista que gravava um LP em apenas 24 horas, o que causava surpresa nos técnicos da gravadora.[2]Apesar de ser paraplégico, o cantor era muito vaidoso: usava anéis e colares de ouro, além de cortes de cabelo incomuns. Em 1991, chegou a ser detido por ter atirado para o alto, assustando um frentista, que riu de sua aparência.[3]

No ano de 1998, Barrerito fundou o Trio Alto Astral, juntamente com Voninho e Creone, com quem voltou a formar uma dupla sertaneja. Chegaram a lançar um CD, intitulado Dor de Cotovelo, e a fazer aparições em alguns programas de TV, mas o trio não durou, pois Barrerito acabou falecendo neste mesmo ano, vítima de um infarto, aos 56 anos.

Em 2017, a gravadora Águia Music lançou o CD intitulado Barrerito Eternamente um Ídolo, composto por músicas inéditas resgatadas de uma fita K7.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Onde Estão os Meus Passos (1987)
  • Tá do Jeito Que Eu Queria (1989)
  • Artista do Povo (1989)
  • Momentos de Amor (1990)
  • O Show Precisa Prosseguir (1991)
  • Bolero da Saudade (1992)
  • Noite de Plantão (1993)
  • Lembranças (1995)
  • O Filho do Mundo (1996)
  • Barrerito Eternamente um Ídolo (2017)

Músicas de sucesso[editar | editar código-fonte]

  • "Onde Estão os Meus Passos" (1987)
  • "Morto por Dentro" (1987)
  • "O Cantor das Andorinhas" (1987)
  • "A Dama do Vestido Longo" (1987)
  • "Filha da Vizinha" (1987)
  • "Cadeira Amiga" (1989)
  • "Vestido Colado" (1989)
  • "O Filho do Carreteiro" (1989)
  • "Amaremos" (1989)
  • "Prisioneiro do Destino" (1989)
  • "Artista do Povo" (1989)
  • "O Menino da Canoa" (1989)
  • "Essa Noite" (1990)
  • "Cigarro, Whisky e Gelo" (1990)
  • "Disque o 9" (1991)
  • "O Show Precisa Prosseguir"(1991)
  • "As Andorinhas" (1991)
  • "Nossa Canção de Amor" (1991) (part. Teodoro)
  • "Bailando" (1992)
  • "Bolero da Saudade" (1992)
  • "Fé em Deus" (1992)
  • "Eu Quero Te Fazer Amor" (1993)
  • "Noite de Plantão" (1993)
  • "Andorinha Mensageira" (1995)
  • "Bandida" (1995)
  • "Hipocrisia" (1995)
  • "A Dor do Adeus" (1995)
  • "Avião Assassino" (1996)
  • "Gigante de Ferro (Caminhão, Paixão e Saudade)" (1996)
  • "O Gaiteiro Amigo" (1996)

Referências

  1. «A história de Barrerito». vozeviola.com.br. Consultado em 13 de abril de 2014 
  2. Revista Sertão Brasil, LPS de acervo particular
  3. «BARRERITO - CANTOR - 55 ANOS - (TRIO PARADA DURA) - 22-10-1942 - SÃO FIDELIS - RJ - 12-08-1998 - BELO HORIZONTE - MG - LIBRA». Recanto das Letras. Consultado em 24 de junho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]