Barry Marshall

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barry Marshall Medalha Nobel
Nascimento 30 de setembro de 1951 (67 anos)
Kalgoorlie
Nacionalidade Australiano
Prêmios Prêmio Paul Ehrlich e Ludwig Darmstaedter (1997), Prêmio de Medicina A.H. Heineken (1998), Medalha Benjamin Franklin (1999), Prêmio Príncipe Mahidol (2001), Prêmio de Medicina Keio (2002), Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (2005)
Instituições Universidade da Austrália Ocidental, Universidade da Virgínia[1]
Campo(s) Medicina

Barry James Marshall (Kalgoorlie, 30 de setembro de 1951) é um médico gastroenterologista australiano e professor de microbiologia clínica na Universidade da Austrália Ocidental.

Foi agraciado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2005, pelo estudo da prova da bactéria Helicobacter pylori como causa da úlcera péptica, contrapondo-se à doutrina tradicional, segundo a qual a causa da úlcera seria o stress, comida picante e ácida.

A teoria da H. pylori era considerada absurda pela comunidade científica, que não acreditava na possibilidade de viverem bactérias no ambiente ácido do estômago. Barry Marshall, para provar a sua teoria, bebeu um tubo de ensaio contendo bactérias e desenvolveu úlcera gástrica, curando-se por antibióticos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Pamela Bjorkman, Hans-Georg Rammensee e Jack Leonard Strominger
Prêmio Paul Ehrlich e Ludwig Darmstaedter
1997
com John Robin Warren
Sucedido por
David Philip Lane, Arnold Jay Levine e Bert Vogelstein
Precedido por
Richard Axel e Linda Buck
Nobel de Fisiologia ou Medicina
2005
com John Warren
Sucedido por
Andrew Fire e Craig Mello


Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.