Barsanúfio da Palestina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
São Barsanúfio da Palestina
Estátua de São Barsanúfio em Oria
Bispo de Atenas, Apologista, Padre Apostólico
Morte c. 563[1]
Veneração por Igreja Católica e Igreja Ortodoxa
Principal templo Igreja de San Francesco da Paola, Oria, Itália
Festa litúrgica 6 de fevereiro (Igreja Ortodoxa)
11 de abril (Igreja Católica)
Padroeiro Oria (Itália)
Gloriole.svg Portal dos Santos

Barsanúfio da Palestina (em italiano: Barsanofio, Barsanofrio, Barsanorio), também conhecido como Barsanúfio de Gaza, foi um eremita do século VI. Nascido no Egito, ele viveu em reclusão absoluta por cinquenta anos e, em seguida, no mosteiro de São Seridão de Gaza, na Palestina. Ele escreveu muitas cartas e oitocentas delas sobreviveram. Ele se correspondeu majoritariamente com João, o Profeta, abade do mosteiro em Merosala e professor de Doroteu de Gaza.

Ao final de sua vida, já muito idoso, ele foi até Jerusalém a convite do Patriarca visitar a cidade. Lá, ele convenceu o imperador bizantino Justiniano I a voltar a ter boas relações com a Igreja de Jerusalém.[1]

Veneração[editar | editar código-fonte]

Suas relíquias chegaram em Ória, na região italiana da Apúlia, pelas mãos de um monge palestino em 850 e foram colocadas na atual igreja de San Francesco da Paola pelo bispo Teodósio. Durante um cerco mouro, que resultou num saque, as relíquias foram perdidas. Posteriormente, foram reencontradas e colocadas na basílica da cidade.

Em Ória, ele é considerado o salvador da cidade contra a destruição trazida pelos invasores estrangeiros. Uma lenda local afirma que ele repeliu uma invasão espanhola ao aparecer perante o comandante inimigo armado com uma espada. Durante a Segunda Guerra Mundial, acredita-se que ele tenha coberto a cidade com sua capa azul sobre o céu, provocando chuva e, assim, impedindo o bombardeio aéreo da cidade pelos aliados.

Referências

  1. a b «Elders Barsanuphius and John» (em inglês). Orthodox Photos 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]