Granulócito basófilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Basófilo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Características[editar | editar código-fonte]

Basófilo presente no sangue periférico visto em lâmina através de microscópio

São granulócitos derivados de progenitores na medula óssea, onde amadurecem, constituindo menos de 1% dos leucócitos do sangue periférico. Embora não estejam normalmente presentes nos tecidos, podem ser recrutados para sítios inflamatórios, em conjunto com eosinófilos,Os grânulos presentes nos basófilos apresentam mediadores similares aos dos mastócitos. Os basófilos também expressam FcεRI, ligam IgE e são ativados por complexos IgE-antígeno, podendo contribuir para as reações de hipersensibilidade imediata (tipo I)

Descrição Celular[editar | editar código-fonte]

Os basófilos são de tamanho menor quando comparados aos demais leucócitos granulócitos, possui forma esférica e núcleo irregular em forma de trevo. Tem tamanho de aproximadamente 10-15 µm (micrometros). Seu núcleo geralmente é segmentado ou bilobulado, raramente com três ou mais lóbulos. Seu citoplasma é levemente basofílico (cor azul) e quase sempre ofuscado pelos vários grânulos grosseiros corados de roxo. Os grânulos estão dispostos irregularmente cobrindo também o núcleo.

Função[editar | editar código-fonte]

Participam de processos alérgicos; produzem histamina e heparina. Não são considerados os precursores dos mastócitos pois eles têm origens diferentes. Os basófilos são ativados pela presença de estímulos como as anafilotoxinas (complementos C3a, C4a e C5a) agentes quimiotáxicos durante o processo Inflamatório e os complexos IgE-antígeno. A resposta dos basófilos traduz-se em dois processos complementares: desgranulação pelo eosinófilos e libertação de histamina; e síntese e libertação dos produtos da cascata do ácido araquidónico: leucotrienos, tromboxanos e prostaglandinas. A sua participação no choque anafilático (sistêmico) é maior que o mastócitos, pois liberam os mediadores para a circulação.

Reações hipersensibilidade imediata (tipo 1) IgE[editar | editar código-fonte]

As reações de hipersensibilidade imediata (tipo I) são caracterizadas pela presença de IgE presente na superfície da membrana dos basófilos e mastócitos e, em geral, desencadeadas por um antígeno externo (alérgeno). Podem apresentar-se de forma sistêmica, envolvendo múltiplos órgãos, ou de modo mais restrito como na urticária e na rinite alérgica. A interação entre o alérgeno e a IgE preformada e prefixada a receptores de superfície de mastócitos e basófilos resulta na liberação de mediadores solúveis, como histamina, e na síntese de mediadores lipídicos derivados do ácido araquidônico. Rinite alérgica, asma e reações anafiláticas são exemplos das reações tipo I.

Quantidade no sangue[editar | editar código-fonte]

É a célula circulante menos encontrada no sangue periférico dentre os leucócitos. Aproximadamente de 0-1% dos leucócitos são basófilos, em microscopia são muito difíceis de encontrar Quando há aumento da quantidade de basófilos no sangue periférico usa-se o termo basofilia, que é caracterizado pela reação alérgica ou uma inflamação de caráter crônico.

Referências[editar | editar código-fonte]

MOURA,Weber Leal de, Aspectos morfológicos e citoquímicos dos glóbulos sangüíneos de Caiman crocodilus yacare (Daudin, 1802) (Reptilia, Crocodilia),Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. vol.36 n.1 São Paulo  1999, Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-95961999000100009Acesso em: 23/04/2020.

CRUNIVEL, Wilson de Melo,MESQUITA jr Danilo, Sistema imunitário - Parte I. Fundamentos da imunidade inata com ênfase nos mecanismos moleculares e celulares da resposta inflamatória, Rev. Bras. Reumatol. vol.50 no.4 São Paulo July/Aug. 2010, Revista Brasileira de Reumatologia,http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042010000400008Acesso em: 23/04/2020