Batalhões da Polícia Militar do Estado de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Batalhões da Polícia Militar do Estado de São Paulo, são divisões dos Grandes Comandos de Policiamento da Polícia Militar, os quais estão divididos em "Metropolitano", sediados na Capital e municípios da Região Metropolitana da Capital, "Interior", "Rodoviário", "Ambiental", "Trânsito", "Choque", "Ações Especiais" e um Regimento de Cavalaria.[1]

A organização da Polícia Militar está prevista no Decreto n. 62103, de 13 de Julho de 2016[2]

Batalhões[editar | editar código-fonte]

O Estado de São Paulo possui 50 Batalhões de Área Metropolitana (34º BPM/M virou 2º BPTran), 54 Batalhões do Interior, 5 Batalhões da Polícia Rodoviária, 4 da Ambiental, 4 de Choque (e mais um Regimento de polícia montada), 2 de Trânsito (que operam exclusivamente na capital Paulista) e 5 de Ações Especiais (BAEPs).

Cada batalhão de Polícia Militar do Estado de São Paulo é geralmente comandado por um Tenente-Coronel e sub comandado por um Major.

Cada batalhão pertence a um grande comando (este por sua vez comandado por um Coronel, que se reporta ao Cmt G que também é um Coronel).

Cada batalhão é dividido em Companhias, comandadas por Capitães (em alguns casos, um Major assume o comando de uma Companhia).

Cada Companhia possui diversos Pelotões, comandados geralmente por tenentes, subtenentes ou sargentos de acordo com tamanho, grau de importação ou emprego do pelotão.

Batalhão de área (metropolitano/interior)[editar | editar código-fonte]

Batalhão de área são aqueles batalhões que estão em contato direto com a população, respondendo a emergências do 190 e implementam os programas Ronda Escolar, Policiamento Comunitário, Policiamento Integrado, Força Tática e ROCAM.

Cada batalhão de área está subordinado a um comando de área. Os batalhões da capital estão divididos em 8 comandos de área (CPA/M), estes por sua vez subordinados ao CPC (Comando de Policiamento da Capital), já os batalhões da região metropolitana estão divididos em 4 comandos de área que por sua vez estão subordinados ao CPM (Comando de Policiamento Metropolitano). Já os batalhões do interior do estado, estão agrupados em 10 comandos de área, os CPI (Comando de Policiamento do Interior).

Os batalhões de área são geralmente divididos em 3 a 5 companhias, mais uma companhia de Força Tática & ROCAM.

Em algumas regiões, os batalhões de área não possuem Cia. de Força tática, porque existe um BAEP na mesma região.

As viaturas de área são identificadas pelas letras M ou I, que correspondem a Metropolitano ou Interior respectivamente, seguido pelo número do batalhão, companhia e unidade: M-22101 (22º BPM/M, 1ª Cia, unidade 01).

Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP)[editar | editar código-fonte]

Os BAEP são responsáveis:

  1. Pela execução de:
    • Ações táticas de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública
    • Ações de controle de distúrbios civis
    • Ações de policiamento com cães e das ações de policiamento montado
  2. Supletivamente, pela execução de operações especiais de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública

Atualmente existem 5 BAEP no Estado de São Paulo, 3 no interior, um na região metropolitana e um na capital (restrito a área do CPA/M-4 Zona Leste).

  • 1º BAEP - Sediado na cidade de Campinas, área sob a circunscrição do CPI-2
  • 2º BAEP - Sediado na cidade de Santos, área sob a circunscrição do CPI-6
  • 3º BAEP - Sediado na cidade de São José dos Campos, área sob a circunscrição do CPI-1
  • 4º BAEP - Sediado na cidade de São Paulo, extremo Leste da Capital, área sob a circunscrição do CPA/M-4
  • 5º BAEP - Sediado na cidade de Barueri, região metropolitana oeste, área sob a circunscrição do CPA/M-8 [3][4][5]

Cada BAEP foi formado pela união das cias. de Força Tática dos batalhões da região do comando de área a qual pertencem (CPA/M ou CPI), por este motivo a maioria mas não a totalidade do efetivo de um BAEP é oriundo das antigas Forças Táticas da região.

O BAEP utiliza viaturas Hilux SW4 na cor cinza escuro em sua grande maioria, que são semelhantes as viaturas do CPChq, mais precisamente as viaturas do 1º BPChq - ROTA.

O primeiro BAEP foi criado pelo Decreto nº 60034 de 6 de Janeiro de 2014[6]

As viaturas do BAEP são identificadas pela letra E, neste caso, uma viatura com a inscrição E-01207 pertence a 2ª companhia do 1º BAEP.

Batalhão de Polícia de Choque (BPChq)[editar | editar código-fonte]

Subordinados ao CPChq (Comando de Policiamento de Choque), os BPChq e o RPMon - 9 de Julho, todos possuindo sua sede na capital, são responsáveis, em todo o Estado, pela execução de ações de controle de distúrbios civis, cabendo, supletivamente:

  • 1º Batalhão de Polícia de Choque (1º BPChq - ROTA) - Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, a execução de ações de policiamento motorizado
    • 1ª Companhia de Policiamento de Choque (1ª CiaPChq) - ROTA Noturna
    • 2ª Companhia de Policiamento de Choque (2ª CiaPChq) - ROTA Matutina
    • 3ª Companhia de Policiamento de Choque (3ª CiaPChq) - ROTA Vespertina
    • 4ª Companhia de Policiamento de Choque (4ª CiaPChq) - ROTA Vespertina
    • Cada companhia de ROTA, comandada por um capitão, possui 6 pelotões e cada pelotão é comandado por um 1º ou 2º tenente, sendo que cada pelotão é formado por 6 viaturas e uma delas destinada ao comandante de pelotão
  • 2º Batalhão de Polícia de Choque (2º BPChq - Anchieta), a execução de:
    • Ações de policiamento em eventos artísticos, culturais, desportivos e outros
    • Ações de policiamento motorizado
  • 3º Batalhão de Polícia de Choque (3º BPChq - Humaitá), a execução de:
    • Ações de policiamento motorizado
    • Ações de policiamento com cães
  • 4º Batalhão de Polícia de Choque (4º BPChq - Operações Especiais), a execução de:
    • Ações e operações táticas especiais
    • Ações de policiamento motorizado
    • Responsável pelas ações contra guerrilha urbana e rural (COE - Comandos e Operações Especiais), ações táticas especiais (2ª Cia - GATE - Grupo de Ações Táticas Especiais) e supletivamente radio patrulhamento com cães (CANIL)
  • RPMon - 9 de Julho - Regimento de Polícia Montada - a execução de ações de policiamento montado

As viaturas dos batalhões de Choque possuem a identificação diferente das demais viaturas de policiamento de outros batalhões, que começam a identificação com "M" (de metropolitano) ou "I" (de interior), começam elas com "9", identificando a viatura pertencente ao batalhão de choque, seguido de um número identificando qual batalhão de choque a pertence, exemplo: viatura 91103, viatura do 1BPCHQ, ROTA, viatura 92304, viatura do 2BPCHQ, batalhão Anchieta, e assim sucessivamente.

Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran)[editar | editar código-fonte]

Os BPTran são subordinados ao CPTran (Comando de Policiamento de Trânsito) e são responsáveis por:

  1. Pelas missões de polícia de trânsito urbano
  2. Pela atuação complementar e de apoio às atividades de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública em todo o território do Estado
  • 1º Batalhão de Polícia de Trânsito (1º BPTran) - Zonas Centro, Sul, Sudoeste e Oeste da Capital, excetuando-se as Marginais Tietê e Pinheiros
  • 2º Batalhão de Polícia de Trânsito (2º BPTran) - Zonas Norte, Leste e Sudeste da Capital e nas Marginais Tietê e Pinheiros

As viaturas dos batalhões de Trânsito são identificadas pela letra T, exemplo: T-02210 indica que a viatura é da 2ª companhia do 2º BPTran, unidade 10.

Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv)[editar | editar código-fonte]

Ao CPRv (Comando de Policiamento Rodoviário) subordinam-se as seguintes unidades, responsáveis pela polícia ostensiva e preservação da ordem pública em ações de polícia de trânsito rodoviário, nas suas respectivas áreas de atuação:

  • 1º Batalhão de Polícia Rodoviária (1º BPRv), sediado em São Bernardo do Campo
  • 2º Batalhão de Polícia Rodoviária “Tenente Coronel PM Levy Lenotti” (2º BPRv - Ten Cel PM Lenotti), sediado em Bauru
  • 3º Batalhão de Polícia Rodoviária (3º BPRv), sediado em Araraquara
  • 4º Batalhão de Polícia Rodoviária (4º BPRv), sediado em Jundiaí
  • 5º Batalhão de Polícia Rodoviária (5º BPRv), sediado em Sorocaba

Viaturas de um batalhão rodoviário são identificadas pela letra R, exemplo: R-02106 - unidade 06 ou apenas 6, da 1ª companhia do 2º BPRv.

Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb)[editar | editar código-fonte]

Ao CPAmb (Comando de Policiamento Ambiental) subordinam-se as seguintes unidades, responsáveis pela polícia ostensiva e de preservação da ordem pública em ações de polícia ambiental, nas suas respectivas áreas de atuação:

  • 1º Batalhão de Polícia Ambiental (1º BPAmb), sediado na Capital
  • 2º Batalhão de Polícia Ambiental (2º BPAmb), sediado em Birigui
  • 3º Batalhão de Polícia Ambiental (3º BPAmb), sediado em Guarujá
  • 4º Batalhão de Polícia Ambiental (4º BPAmb), sediado em São José do Rio Preto

A letra que identifica a viatura de um batalhão ambiental é a letra A, como exemplo: A-04107, que pertence a 1ª companhia do 4º BPAmb.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://campograndesantos.wordpress.com/62-policia-militar-rodoviariabombeirosestado-de-sao-paulotelefones-uteis/
  2. «Decreto nº 62.103, de 13 de julho de 2016». www.al.sp.gov.br. Consultado em 9 de janeiro de 2017 
  3. «SSP». www.ssp.sp.gov.br. Consultado em 13 de agosto de 2017 
  4. Redação. «Batalhão reforça ações especiais de polícia na região | Revista Circuito». www.revistacircuito.com. Consultado em 13 de agosto de 2017 
  5. «Decreto n° 62.616, de 08/06/2017 ( Decreto 62616/2017 )». www.al.sp.gov.br. Consultado em 13 de agosto de 2017 
  6. «Decreto n° 60.034, de 06/01/2014 ( Decreto 60034/2014 )». www.al.sp.gov.br. Consultado em 10 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]