Batalha de Adamclisi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha de Adamclisi
Guerras Dácias de Trajano
AdamclisiMetope34.jpg
Cena da batalha no Troféu Trajano, em Adamclisi.
Data Inverno de 101 d.C. ou 102 d.C.
Local Adamclisi, Mésia Inferior (na moderna Dobruja, Romênia)
Desfecho Vitória decisiva romana
Beligerantes
  Dácia e seus aliados Império Romano Império Romano
Comandantes
  Desconhecido Império Romano Trajano
Forças
15 000 sármatas e dácios Desconhecida
Baixas
Quase total 4 000 mortos
Adamclisi está localizado em: Roménia
Adamclisi
Localização de Adamclisi no que é hoje a Romênia

A Batalha de Adamclisi foi uma grande batalha parte das Guerras Dácias do imperador romano Trajano e travada no inverno de 101 ou 102 contra uma força combinada de dácios e sármatas perto de Adamclisi.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Depois da vitória na Segunda Batalha de Tapas, Trajano decidiu esperar até a primavera antes de continuar sua ofensiva em direção a Sarmizegetusa, a capital da Dácia. O rei dácio Decébalo aproveitou a demora e articulou com as tribos aliadas vizinhas (os roxolanos e os bastarnas) um ataque ao sul do Danúbio, no território da província romana da Mésia Inferior, numa tentativa de forçar os romanos a deixarem suas posições nas montanhas perto de Sarmizegetusa.

Batalha[editar | editar código-fonte]

O exército dácio - reforçado pelos aliados - tentou cruzar o Danúbio, que estava congelado. Porém, como o tempo ainda não estava frio o suficiente, o gelo se rompeu com o peso e muitos morreram na água gelada.

Trajano desceu das montanhas com suas forças e seguiu os dácios em território mésio. Um primeiro combate foi travado à noite em algum lugar perto de Nicópolis, uma batalha que resultou em poucas baixas para ambos os lados e sem nenhuma consequência. Porém, os romanos receberam reforços e conseguiram finalmente encurralar o exército invasor.

A batalha decisiva foi travada em Adamclisi, um combate difícil para dácios e romanos. Apesar da vitória romana, ambos os lados sofreram pesadas baixas.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Depois da batalha, Trajano avançou para Sarmizegetusa e Decébalo pediu uma trégua, aceita por Trajano. Desta vez, a paz foi favorável aos romanos: Decébalo teve que ceder todos os territórios que foram ocupados pelo exército romano e também devolveu todas as armas e máquinas recebidas depois de 89 d.C., quando os romanos, na campanha de Domiciano, foram forçados a pagar tributo aos dácios.

Decébalo também foi obrigado a reconsiderar sua política externa e assumir "como amigos e inimigos os amigos e inimigos do Império Romano" nas palavras de Dião Cássio.

Depois da conquista da Dácia durante a guerra de 105-106, Trajano construiu um memorial a esta batalha, o Troféu Trajano, que ainda hoje pode ser visto em Adamclisi, no ano de 109.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • «Adamclisi» (em inglês). Biblioteca Dacica. Consultado em 23 de abril de 2014 
  • «Adamclisi» (em inglês). Enciclopedia Dacica. Consultado em 23 de abril de 2014 
  • «Adamclisi» (em inglês). Consultado em 23 de abril de 2014