Batalha de Adrianópolis (1913)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Adrianópolis (1913)
Parte da(o) Primeira Guerra dos Bálcãs
Adrianople siege artillery.jpg
Data 3 de novembro de 191226 de março de 1913
Local Edirne, Turquia
Desfecho Vitória decisiva sérvio-búlgara.
Combatentes
 Bulgária
 Sérvia
Império Otomano Império Otomano
Principais líderes
Bulgária General Nikola Ivanov (2º Exército Búlgaro)
Bulgária General Georgi Vazov (2º Exército Búlgaro, setor oriental)
Sérvia General Stepa Stepanović (2º Exército Sérvio)
Império Otomano Shukri Paşa
Forças
153.700 búlgaros (424 canhões);[1]
47.275 sérvios (62 canhões, 34 obuses)[2]
75.000[1]
Vítimas
Búlgaros:
1.298 mortos, 6.655 feridos[1]
Sérvios:
274 mortos, 1.173 feridos[1]
7.000 mortos,
Capturados:
65.000 soldados, 15 generais, 2.000 oficiais, 600 canhões, 16 bandeiras[1] [3]

A Batalha de Adrianópolis ou Cerco de Adrianópolis foi uma batalha que ocorreu durante a Primeira Guerra dos Bálcãs, que teve início em meados de novembro de 1912 e terminou em 26 de março de 1913 com a tomada de Adrianópolis pelo Segundo Exército Búlgaro.

A vitória final do cerco militar foi considerada um enorme sucesso, porque as defesas da cidade foram cuidadosamente estudadas pelos principais especialistas alemães que foram apelidados de "invencíveis". O exército búlgaro, depois de apenas cinco dias de cerco e dois ataques à noite, tomou o reduto turco.

Os búlgaros foram comandados pelo general Nikola Ivanov. Sobre o setor oriental da fortaleza, quem comandou foi o General Georgi Vazov, irmão do famoso escritor búlgaro Ivan Vazov e General Vladimir Vazov.

Uma das primeiras utilizações de avião para bombardeio aconteceu durante o cerco: os búlgaros usavam granadas de mão e aeronaves para causar pânico entre os soldados turcos. Muitos jovens e profissionais búlgaros que participaram desta decisiva batalha da Primeira Guerra dos Bálcãs, mais tarde desempenharam um papel importante na política, cultura, comércio e indústria da Bulgária.

A batalha final constou de três ataques pela noite. Durante as duas primeiras noites, o primeiro e o segundo cinturão de fortificações externas foram capturados e, durante a terceira noite, a fortaleza inteira foi tomada. Os soldados foram cobertos com tecidos brilhantes uniformes (para reduzir a visibilidade dos botões, por exemplo) e dos cavalos e seus cascos (para diminuir o ruído). Os vários exércitos que participaram do cerco foram colocados sob comando conjunto, criando o protótipo de uma frente. Foram feitas várias tentativas de perturbar os soldados otomanos como comunicações via rádio para isolá-los e desmoralizá-los.

Os búlgaros foram assim descritos por um correspondente britânico: "Uma nação com uma população inferior a cinco milhões e um orçamento militar de menos de dois milhões de libras por ano colocados no campo dentro de catorze dias de mobilização de um exército de 400.000 homens, e no decurso das quatro semanas que o exército se deslocou mais de 160 quilômetros em território hostil, capturou uma fortaleza e investigou outra, lutaram e ganharam duas grandes batalhas contra forças armadas de uma nação de vinte milhões de habitantes, e só parou às portas da capital da nação. Com exceção dos japoneses e Gurkhas, os búlgaros, sozinhos, foram para a batalha com a intenção de matar seu inimigo."

As unidades sérvias envolvidas estiveram sob comando do general (mais tarde voivoda, equivalente a marechal-de-campo) Stepa Stepanovic (duas divisões apoiaram algumas unidades) e artilharia pesada (38 canhões e obuses de 120 e 150 mm compradas do exército francês em 1908) porque faltava artilharia pesada para os búlgaros (apesar de serem bem fornecidos em campo com artilharia de 75 milímetros).

A perda de Edirne levou ao golpe final no exército otomano, levando ao fim a Primeira Guerra dos Bálcãs.

Referências

  1. a b c d e ЦВА, ф. 48, оп. 1, а, е. 3, л. 86; а. е. 5, л. 205-206; Иванов, Н. Балканската война... с. 332-335
  2. Alexandar Vachkov: The Balkan War 1912-1913, p.124
  3. Николета Николова. Одринската епопея — венец на българската войнска слава. Arquivado do original em 2007-06-29. Página visitada em 2008-05-27.
Ícone de esboço Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.