Batalha de Al Hudaydah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha de Al Hudaydah
Guerra Civil Iemenita (2015–presente)
Taiz Front (2017-18).svg
Governo de Hadi avança no sudoeste do Iêmen
  Controle do governo de Hadi
  Controle houthi
  Controle do Conselho de Transição do Sul
Data 13 de Junho de 2018 – presente
Local Al Hudaydah, Iêmen
Situação em curso
Mudanças territoriais
Beligerantes
Iémen Governo de Hadi
Iêmen do Sul Resistência do Sul Emirados Árabes Unidos
 Arábia Saudita
 Sudão
Apoiado por:
 Estados Unidos
 França
Flag of NATO.svg NATO
Iémen Conselho Político Supremo
Comandantes
Iémen Tareq Saleh Abdul-Malik al-Houthi
Unidades
Iémen Governo de Hadi

Iêmen do Sul Resistência do Sul

 Emirados Árabes Unidos

Houthis
   

Batalha de Al Hudaydah (em árabe: معركة الحديدة, Ma‘rakat al-Hudaydah) é uma grande incursão da coalizão dos Estados árabes na cidade portuária de Al Hudaydah, no Iêmen. Recebendo o codinome de Operação Vitória Dourada[3] e encabeçada pelos Emirados Árabes Unidos, tem sido descrita como a maior batalha desde o início da intervenção militar no Iêmen liderada pela Arábia Saudita em 2015.[4][5]

Com início em 13 de junho de 2018 e com o objetivo de expulsar as forças houthis do porto, o objetivo da investida é recapturar a cidade de Al Hudaydah e acabar com o fornecimento de armas e mísseis balísticos aos houthis através do porto de Al Hudaydah.[6][7] Várias agências de ajuda alertaram para as consequências humanitárias catastróficas, como a UNICEF, alertando que o ataque poderia ameaçar a vida de 300.000 crianças na área povoada e impedir a entrega de alimentos a milhões de pessoas.[8]

Referências