Batalha de Antioquia (613)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras batalhas em Antioquia, veja Batalha de Antioquia.
Batalha de Antioquia
Parte da Guerra bizantino-sassânida de 602-628, Guerras Romano-Sassânidas
Roman-Persian Frontier, 565 AD-pt.svg
Fronteira oriental em 565
Data 613613
Local Nas redondezas de Antioquia, Síria
Desfecho Vitória decisiva e absoluta sassânida.
Mudanças
territoriais
Síria e a Anatólia Oriental anexadas pelo Império Sassânida.
Combatentes
Império Bizantino
Derafsh Kaviani.png
Império Sassânida
Principais líderes
Império Bizantino Heráclio Império Sassânida Charbaraz
Império Sassânida Sain
Forças
Desconhecida Desconhecida
Vítimas
Pesadas Mínimas

A Batalha de Antioquia foi travada em 613 nas redondezas da cidade de Antioquia, Síria, entre o exército bizantino liderado pelo imperador Heráclio (r. 610-641) e o exército sassânida. Os persas, vitoriosos, conseguiram manter o controle do território recém-conquistado aos bizantinos.

História[editar | editar código-fonte]

Começando em 610, sob o comando dos generais Charbaraz e Sain, o exército persa conquistou as regiões até então controladas pelos bizantinos da Mesopotâmia e do Cáucaso. No ano seguinte, continuando a esteira de vitórias, as forças persas invadiram a Síria e a Anatólia Oriental, capturando diversas cidades cristãs como Antioquia e Damasco. Aparentemente, o exército sassânida não conseguia adentrar muito em território bizantino sem ter que enfrentar o principal exército imperial, Em resposta à súbita perda de território na fronteira oriental, Heráclio juntou um grande exército e marchou para Antioquia. Seu contra-ataque foi, contudo, decisivamente derrotado em 613 próximo à cidade. Na batalha, as posições romanas se desorganizaram e um caos completo no exército bizantino resultou numa vitória fácil para Charbaraz e Sain. A vitória assegurou aos persas o controle da região.

Resultado[editar | editar código-fonte]

Após a batalha, o Império Bizantino não ofereceu mais muita resistência aos invasores persas. O próprio Heráclio precisava de tempo para implementar diversas iniciativas internas para assegurar que ele conseguiria levantar os recursos e tropas necessários para uma nova guerra contra o ansioso rei persa Cosroes II. Na década seguinte, as forças sassânidas invadiram ainda mais o território bizantino. Jerusalém e toda a Palestina caíram em 614 perante Charbaraz (veja Revolta judaica contra Heráclio). O general Sain penetrou também nas regiões central e ocidental da Anatólia[1], com o ápice da expansão persa ocorrendo no vitorioso cerco de Alexandria na primavera de 619, que levou à anexação do Egito[2].

Referências

  1. Foss, Clive (1975), «The Persians in Asia Minor and the End of Antiquity», The English Historical Review, 90 (357): 721–747 
  2. Mehta, Virasp (December 23, 2005), Causes of the Downfall of the Sassanian Empire, Palo Alto: vohuman.org  Verifique data em: |data= (ajuda);