Batalha de Boju

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Batalha de Boju, ocorreu na Antiga China por volta de 506 a.C, foi um confronto decisivo da guerra entre os reinos de Wu e Chu, na qual o exército Wu derrotou o exército Chu, mesmo em enorme desvantagem numérica. Essa batalha é mais famosa pela suposta atuação do lendário general Sun Tzu, a serviço do rei Helu de Wu..[1]

Apesar da vitória surpreendente, que levou à captura da capital de Chu, o rei de Wu não foi capaz de subjugar completamente o seu inimigo, que reuniu um novo exército e retomou seu território original no ano seguinte.

Início da Guerra Wu-Chu[editar | editar código-fonte]

China, Período de Primavera e Outono

Wu era inicialmente um dos muitos vassalos de Chu, que pagavam tributos em troca de proteção. Mas o fortalecimento econômico do Estado de Wu, somado à decadência da Casa Dinástica dos Zhou, levou-o à uma rebelião que terminou com sua independência completa, em algum momento do século VI a.C.. Desde então, os dois reinos passaram a se envolver em constantes disputas territoriais, gerando grande tensão na fronteira. O rei Helu ascendeu ao trono de Wu em 515 a.C., em um período de grande instabilidade, pois os vastos exércitos de Chu estavam em constante movimento perto da fronteira, e tudo indicava que estavam prestes a invadir. Desesperado, ele buscou generais capacitados para treinar seu exército, recebendo ajuda de Wu Zixu, e segundo algumas fontes, do próprio Sun Tzu.

Diante da eficiência e dos conselhos ousados de seus generais, Helu decidiu não esperar por uma eventual invasão ao seu território. Juntamente com Wu Zixu e Sun Tzu, além de seu irmão Fugai, Helu invadiu Chu com um exército de aproximadamente 33.000 soldados.

Guerra Indireta[editar | editar código-fonte]

O rei Zhao de Chu respondeu ao ataque mobilizando um exército de mais de 200.000 soldados,[2][3] liderados por seu primeiro-ministro Nang Wa, e pelo nobre Shen Yin Shu. Sun Tzu, que fora encarregado de comandar o exército Wu durante a campanha, começou a atacar vilas desprotegidas e postos de fronteira de Chu, saqueando suas armas e suprimentos e aprisionando simpatizantes do inimigo. Como seu exército era muito menor, não ousou arriscar tudo em uma batalha, preferindo aproveitar sua grande mobilidade para manter-se longe de Nang Wa, mas constantemente atacando áreas povoadas para conseguir reféns e mantimentos. Após alguns meses de perseguição sem sucesso, Nang Wa foi informado de que alguns dos vassalos de Chu haviam aproveitado a situação para rebelar-se e prestar serviços às forças de Wu. Diante dessa situação, ele viu a oportunidade de atrair Sun Tzu para um combate, sitiando a capital dos rebeldes no Estado de Cai. Porém, Sun Tzu apenas avançou pela retaguarda do exército Chu, aproximando-se o suficiente para ser visto, mas mantendo uma distância segura. Nang Wa imediatamente abandonou o cerco e avançou para o pequeno exército Wu, que se encontrava quase indefeso atrás dele.

A Batalha[editar | editar código-fonte]

Sun Tzu deixou cerca de 10.000 soldados para dar combate às forças de Chu, e avançou com o restante de seu exército na direção de Ying, a capital de Chu. Temendo que outro general recebesse todo o crédito por derrotar o inimigo, Nang Wa desviou-se da força de resistência e correu para alcançar Sun Tzu, sendo esse um erro enorme. A força principal de Wu, que havia seguido para Ying, parou no meio do caminho e preparou uma emboscada. Ao chegar no local, Nang Wa foi surpreendido pelos mais de 20.000 soldados de Wu que emergiram de seus esconderijos atrás de elevações e dentro de bosques, e correram para a luta bloqueando toda a vanguarda do exército Chu. Os outros 10.000 soldados deixados para trás apareceram para a batalha logo em seguida, atingindo a retaguarda. O choque psicológico contribuiu para o triunfo de Wu.

Desfecho[editar | editar código-fonte]

Poucos do exército Chu sobreviveram à batalha, e ainda menos fugiram à captura. Nang Wa escapou, e o exército de Helu capturou e destruiu a capital, Ying. Diz-se que Sun Tzu reprovou o comportamento de Helu após a tomada da cidade, e que os dois tiveram um desentendimento, que levou ao afastamento de Sun Tzu, deixando Helu para terminar com o inimigo sozinho. Shen Baoxu, um oficial de Chu, foi até o Estado de Qin pedir ajuda. Inicialmente, o rei de Qin recusou, mas depois de uma prolongada insistência, enviou carruagens de guerra para apoiar a resistência Chu. Helu foi derrotado pela resistência no ano seguinte, e o território de Wu voltou ao seu tamanho original. Cerca de três décadas após a guerra, Wu foi totalmente conquistada por seu vizinho, o Reino de Yue.

Referências

  1. Zuo Qiuming. «BOOK XI. DUKE DING». Zuo Zhuan (em Chinese e English). Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  2. The art of war by Sun Tzu. Lionel Giles, pp. 75, Special Edition Books, 2005.
  3. The Art of War by Sun Tzu: Classic Edition. Shawn Conners & Lionel Giles. Special Edition Books, 2009, pp. 58

Ligações externas[editar | editar código-fonte]