Batalha de Cantão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Cantão
Segunda Guerra do Ópio
1858, Canton Commissioner Yeh Men.jpg
A captura de Ye Mingchen pelos britânicos em 5 de janeiro de 1858
Data 2831 de dezembro de 1857
Local Cantão, China
Resultado Vitória Anglo-francesa
Combatentes
 Reino Unido
França França
China Qing Dynasty Flag 1889.svg Dinastia Qing
Comandantes
Reino Unido Michael Seymour
Reino Unido Charles van Straubenzee
França Charles Rigault de Genouilly
China Qing Dynasty Flag 1889.svg Ye Mingchen
Forças
5 679[1] 30 000[1]
Baixas
15 mortos
113 feridos[2]
200–650 baixas (est.)[3] [4]

A Batalha de Cantão foi um confronto militar travado por forças dos Impérios Britânico e Francês contra tropas chinesas entre 28 e 31 de dezembro de 1857 durante a Segunda Guerra do Ópio.

Apesar da destruição de vários navios chineses pela Marinha Real Inglesa durante o verão, um ataque contra a cidade de Cantão foi atrasado devido a um motim dos Indianos.[5] Tropas britânicas e francesas chegaram na cidade em 22 de dezembro.[6] A batalha começou oficialmente quando as marinhas européias iniciaram seu bombardeio a cidade em 28 de dezembro e capturaram um forte de Lin[4] e no dia seguinte, tropas tomaram Kupar Creek, na parte sudeste da cidade.[6] Os chineses imaginaram que o inimigo iria então atacar a colina Magazine antes de adentrar pelos muros da cidade, mas na manhã de 29 de dezembro, depois de um pesado bombardeio naval, soldados franceses passaram pelas muralhas com pouca resistência inimiga.[4] Então mais de 4 700 militares britânicos e indianos apoiados por 950 soldados franceses escalaram os muros. Apenas 13 britânicos e dois franceses morreram.[5] Os muros foram ocupados em uma semana, e então as tropas européias marcharam pelas ruas da cidade na manhã de 5 de janeiro.[6] Foi reportado que centenas de chineses foram mortos ou capturados e perto de 30 mil lares foram queimados,[7] apesar de outras fontes estimarem as baixas chinesas em 450 soldados perdidos e 200 civis mortos.[4]

A tomada de Sai-Lau, 1858.

O Comissário Ye Mingchen foi capturado e levado para Calcutta, onde viria a morrer um ano depois.[4] Depois que as forças britânicas e francesas ocuparam a cidade, eles estabeleceram um escritório governamental conjunto.[8] Após a batalha e a subsequente ocupação, - os chineses queriam evitar uma outra batalha em Pequim - o Tratado de Tientsin foi assinado em 26 de junho de 1858, encerrando oficialmente a Segunda Guerra do Ópio.[8] [7]

Referências

  1. a b The London Gazette: p. 1021. 26 de fevereiro de 1858. Lançamento 22104.
  2. The London Gazette: p. 1026. 26 de fevereiro de 1858. Lançamento 22104.
  3. Cooke, George Wingrove (1858). China: Being "The Times" Special Correspondence from China in the Years 1857–58. p. 357.
  4. a b c d e Elleman, Bruce A.. Naval coalition warfare: from the Napoleonic War to Operation Iraqi Freedom. [S.l.]: Routledge, 2008. ISBN 0415770823
  5. a b Raugh, Harold E.. The Victorians at war, 1815-1914: an encyclopedia of British military history. [S.l.]: ABC-CLIO, 2004. p. 100. ISBN 1576079252
  6. a b c Carter, Thomas. Medals of the British Army, and how they were won. [S.l.]: Groombridge and sons, 1861. p. 186. vol. 3.
  7. a b Santella, Thomas M.. Opium. [S.l.]: Infobase Publishing, 2007. 32–33 p. ISBN 0791085473
  8. a b Harris, David. Of battle and beauty: Felice Beato's photographs of China. [S.l.]: University of California Press, 1999. p. 16. ISBN 0899511007
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Cantão