Batalha de Marcela (756)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Batalha de Marcela (792).
Batalha de Marcela
Guerras bizantino-búlgaras
Data 756
Local Marcela, próximo de Karnobat, Bulgária
Desfecho Vitória bizantina
Beligerantes
Primeiro Império Búlgaro Primeiro Império Búlgaro Império Bizantino Império Bizantino
Comandantes
Primeiro Império Búlgaro Vineque Império Bizantino Constantino V
Forças
Desconhecida Desconhecida
Baixas
Desconhecidas Desconhecidas
Marcela está localizado em: Bulgária
Marcela
Localização de Marcela no que é hoje a Bulgária

A Batalha de Marcela (em búlgaro: Битката при Маркели; em grego: Μάχη των Μαρκελλών; em latim: Marcellae) foi travada em 756 entre os exércitos do Primeiro Império Búlgaro e do Império Bizantino em Markeli, perto da moderna cidade de Karnobat, na Bulgária. O resultado foi uma vitória bizantina.

Origem do conflito[editar | editar código-fonte]

Em 755, a longa paz entre a Bulgária e o Império Bizantino terminou, primordialmente por que Constantino V, depois de importante vitórias contra o Califado Omíada, começou a fortificar sua fronteira com os búlgaros. Para isso, ele reassentou heréticos do interior da Armênia e da Síria na Trácia. O Kormisosh entendeu que isto e a construção de novas fortalezas ao longo da fronteira eram violações do Tratado de 716, assinado pelo cã Tervel. O monarca búlgaro enviou emissários para solicitar tributo pelas novas fortalezas e, depois da recusa do imperador bizantino, o exército búlgaro invadiu a Trácia, saqueando tudo pelo caminho até chegar a Constantinopla, onde ele finalmente encontrou as tropas bizantinas e terminou derrotado[1].

Batalha[editar | editar código-fonte]

No ano seguinte, Constantino V organizou uma enorme campanha contra a Bulgária, agora sob o comando de um novo cã, Vineque[2]. Um exército foi enviado juntamente com 500 navios para saquear toda a região do delta do Danúbio[3]. O próprio imperador, à frente da força principal, marchou pela Trácia e enfrentou os búlgaros próximo do castelo de Marcela (Marcellae). Os detalhes da batalha são desconhecidos, mas o resultado foi uma vitória para Constantino V. Sem outra maneira de interromper a invasão, os búlgaros tiveram que enviar reféns para a capital bizantina[4]. Contudo, três anos depois, em 759. Constantino invadiu a Bulgária novamente, mas acabou sofrendo uma pesada derrota na Batalha do Passo de Rishki[5].

Referências

  1. Zlatarski, I/1: 267-269
  2. Zlatarski, I/1: 272
  3. Zlatarski, I/1: 269-270
  4. Zlatarski, I/1: 270
  5. Zlatarski, I/1: 274-275

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Zlatarski, V. History of the Bulgarian state during the Middle Ages, vol. I, part 1, Sofia 1970, "Nauka i Izkustvo" (from „Books for Macedonia“, 29.11.2008)