Batalha de Mazar-e Sharif

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha de Mazar-e Sharif
Guerra do Afeganistão (2001–presente)
Destroyed Sultan Razia school.PNG
Ruínas da escola Sultan Razia.
Data 9 - 10 de novembro de 2001
Local Mazār-e Šarīf, Província de Balkh, Afeganistão
Desfecho Vitoria da Aliança do Norte e dos Estados Unidos
Beligerantes
Afeganistão Aliança do Norte
 Estados Unidos
Afeganistão Emirado Islâmico do Afeganistão
Comandantes
Afeganistão Abdul Rashid Dostum
Afeganistão Ustad Atta Mohammed
Afeganistão Haji Mohammad Mohaqiq
Estados Unidos Tommy Franks[1]
 

A Batalha de Mazar-e Sharif ou queda de Mazar-e Sharif foi o resultado da primeira grande ofensiva da Guerra do Afeganistão. As Forças Especiais do Exército dos Estados Unidos e os ataques aéreos estadunidenses acompanharam a entrada da Aliança do Norte na cidade de Mazār-e Šarīf, na província de Balkh, que resultariam na retirada das forças talibãs que haviam ocupado a cidade desde 1998.[2] A queda da cidade provou ser um "grande golpe"[3], já que o Comando Central dos Estados Unidos havia acreditado originalmente que a cidade permaneceria nas mãos dos talibãs até meados do ano seguinte[4] e qualquer potencial batalha seria "um avanço muito lento".[5]

Depois que as aldeias periféricas caíram[6] e dos intensivos bombardeios aéreos nos arredores da cidade[1][7][8] , os talibãs retiraram-se de Mazar-e Sharif.[5][9][10] Quando a cidade caiu para a Aliança do Norte, várias centenas de combatentes do Talibã foram mortos e aproximadamente 500 foram capturados ou desertaram para as forças apoiadas pelos Estados Unidos.[5][6][9]

Alguns meios de comunicação fora dos Estados Unidos duvidaram que a queda da cidade fosse uma "vitória militar", afirmando que não houve uma batalha clara e que os talibãs haviam se retirado em grande parte para outras cidades antes do avanço da força invasora.[11]

Mazar-i-Sharif teve uma importância estratégica significativa, uma vez que a sua captura abriu rotas de abastecimento e forneceu uma pista de pouso no país para aeronaves estadunidenses.[2][12] Foi considerada a primeira grande derrota do Talibã e causou uma rápida perda de território no norte do Afeganistão.[13][14]

Referências

  1. a b Khan, M. Ismail. DAWN, Mazar falls to Alliance: Taliban says they're regrouping, November 10, 2001
  2. a b Opposition troops closing in on Mazari Sharif - CBC News, 7 de novembro de 2001
  3. Call, Steve. "Danger Close", ISBN 1-58544-624-6 2007. pp. 24-25
  4. Maloney, Sean M. Afghanistan: From here to eternity?, Spring 2004
  5. a b c Topeka Capital Journal, Taliban: Key city has fallen, 10 de novembro de 2001
  6. a b Chipman, Don. "Air power and the Battle for Mazar e Sharif", Spring 2003
  7. Independent Online, Taliban braces for battle over Mazar-i-Sharif, 9 de novembro de 2001
  8. The Guardian, Taliban lose grip on Mazar i Sharif, 7 de novembro de 2001
  9. a b Harding, Luke. The Guardian, Fear of Bloodbath as Alliance advances on Kunduz, 23 de novembro de 2001
  10. Dolan, Chris J. "In War We Trust", 2005. p. 150
  11. Feinberg, Cara. The American Prospect, Opportunity and Danger, November 15, 2001
  12. New York Times, The Battle for Mazar-i-Sharif, 10 de novembro de 2001
  13. The Guardian, Taliban fall in Mazar-i-Sharif, 9 de novembro de 2001
  14. Scott Peterson (4 de dezembro de 2001). «A view from behind the lines in the US air war: Special operatives are key to the success of American airstrikes in Afghanistan». Christian Science Monitor