Batalha de Nablus (1918)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Primeira Guerra Mundial
Data 19–25 de Setembro de 1918
Local Do saliente de Rafat, nas Montanhas da Judeia, ao Vale do Jordão e ao Mar Morto; a norte de Nablus e Jisr ed Damieh; e a leste de Es Salt and Amman
Desfecho Vitória do Império Britânico
Combatentes
Reino Unido Império Britânico

Flag of Hejaz 1917.svg Revolta Árabe

Ottoman flag.svg Império Otomano
Império Alemão Império Alemão
Líderes e comandantes
Reino Unido Edmund Allenby
Reino Unido Philip Chetwode
Flag of Australia.svg Edward Chaytor
Império Alemão Otto Liman von Sanders
Ottoman flag.svg Império Otomano Mustafa Kemal Atatürk
Império Alemão Gustav von Oppen
Ottoman flag.svg Império Otomano Mohammed Jemal Pasha
Forças
Força Expedicionária Egípcia
XX Corpo (britânico)
Força de Chaytor
Grupo de Exércitos Yıldırım
Sétimo Exército Otomano
Asien-Korps (Oitavo Exército Otomano)
Quarto Exército Otomano

A Batalha de Nablus teve lugar, juntamente com a Batalha de Sarom, durante a batalha principal em Megido, entre 19 e 25 de Setembro de 1918, nos meses finais da Campanha do Sinai e da Palestina da Primeira Guerra Mundial. O combate teve lugar nas Montanhas da Judeia onde o XX Corpo Império Britânico atacou o Sétimo Exército otomano dos Grupo de Exércitos Yıldırım, que defendia a sua linha à frente de Nablus. Esta batalha também teve lugar no lado direito do vale do Jordão, onde a Força de Chaytor atacou e capturou as principais travessias do rio Jordão, antes de atacar o Quarto Exército otomano em Es Salt e Amã, fazendo milhares de prisioneiros e conquistando uma vasta área de território. A Batalha de Nablus começou meio dia depois da batalha principal em Sarom, realizada no zona do Mar Mediterrâneo da linha da frente, onde o XXI Corpo britânico atacou o Oitavo Exército otomano que defendia a linha frontal das batalhas de Tulcarém e de Tabsor, e do Corpo Montado do Deserto o qual partiu para norte para capturar a Planície Esdrealon. Juntas, estas duas batalhas, conhecidas como a Batalha de Megido, deram início à Ofensiva Final da guerra na Campanha do Sinai e na Palestina.[1]

Na tarde de 19 de Setembro, ficou claro que os ataques do XXI Corpo na Batalha de Sarom, tinham sido bem-sucedidos, e o XX Corpo recebeu ordens para dar início à Batalha de Nablus atacando a bem defendida linha da frente otomana, apoiado por bombardeamentos de barragem. Os ataques continuaram pela noite e dia seguinte, até às primeiras horas do dia 21 de Setembro quando, o bem-sucedido ataque de flanco do XXI Corpo, combinado pelo assalto do XX Corpo, e bombardeamento aéreo, forçou os Sétimo e Oitavo Exércitos a desistir do combate. O Sétimo Exército retirou para a zona de Nablus, pela estrada de Wadi el Fara até ao rio Jordão, esperando atravessar a ponte Jisr ed Damieh, deixando uma força de retaguarda para defender Nablus. A cidade foi capturada pelos XX Corpo e 5.ª Brigada de Cavalaria Ligeira, enquanto era realizado um forte bombardeamento aéreo da estrada de Wadi el Fara, que bloqueou aquela linha de retirada. Como todos os objetivos tinham sido atingidos, os ataques do XX Corpo terminaram, e capturaram milhares de prisioneiros na região de Nablus e Balata.

Na defesa do flanco direito, e acessório à batalha de Nablus, tem início o terceiro ataque transjordano em 22 de Setembro quando a força de Meldrum, uma secção da Força de Chaytor, capturou a 53.ª Divisão otomana na via de Wadi el Fara, que fugia de Nablus para a ponte em Jisr ed Damieh, sobre o rio Jordão. Outras secções em retirada do Sétimo Exército também foram atacadas e capturadas, durante a subsequente batalha pela ponte, cortando esta linha principal de retirada otomana para leste. Quando o Quarto Exército deu início à sua retirada, a Força de Chaytor, apoiada por patrulhas de reconhecimento e aeronaves, avançou desde Jisr ed Damieh para leste, para capturar Es Salt em 23 de Setembro. Esta força continuou o seu avanço em direção a leste para capturar Amã a 25 de Setembro, depois de ter derrotado uma forte retaguarda do Quarto Exército ali. A secção sul de Hedjaz do Quarto Exército, foi capturada a sul de Amã, em Ziza, em 29 de Setembro, pondo fim às operações militares naquela área.

Depois da vitória em Megido, a ofensiva final continuou quando Damasco foi capturada em 1 de Outubro, depois de vários dias de perseguição pelo Corpo do Deserto Montado. Uma outra perseguição resultou na ocupação de Homs. A 26 de Outubro, o ataque em Haritan, a norte de Alepo, estava a decorrer quando o Armistício de Mudros foi assinado entre os Aliados e o Império Otomano, terminando com a Campanha do Sinai e da Palestina.

Referências

  1. Battles Nomenclature Committee 1922 p. 33

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Baly, Lindsay (2003). Horseman, Pass By: The Australian Light Horse in World War I. East Roseville, Sydney: Simon & Schuster. OCLC 223425266 
  • Battles Nomenclature Committee (1922). The Official Names of the Battles and Other Engagements Fought by the Military Forces of the British Empire during the Great War, 1914–1919, and the Third Afghan War, 1919: Report of the Battles Nomenclature Committee as Approved by The Army Council Presented to Parliament by Command of His Majesty. London: Government Printer. OCLC 29078007 
  • Blenkinsop, L.J. & J.W. Rainey, eds. (1925). History of the Great War Based on Official Documents Veterinary Services. London: H.M. Stationers. OCLC 460717714 
  • Bou, Jean (2009–2010). A History of Australia's Mounted Arm. Col: Australian Army History. Port Melbourne: Cambridge University Press. ISBN 978-0-521-19708-3 
  • Bruce, Anthony (2002). The Last Crusade: The Palestine Campaign in the First World War. London: John Murray Ltd. ISBN 978-0-7195-5432-2 
  • Carey, G. V.; Scott, H. S. (2011). An Outline History of the Great War. [S.l.]: Cambrige University Press. ISBN 978-1-107-64802-9 
  • Carver, Michael, Field Marshal Lord (2003). The National Army Museum Book of The Turkish Front 1914–1918: The Campaigns at Gallipoli, in Mesopotamia and in Palestine. London: Pan Macmillan. ISBN 978-0-283-07347-2 
  • F. M. Cutlack (1941). «The Australian Flying Corps in the Western and Eastern Theatres of War, 1914–1918». Official History of Australia in the War of 1914–1918 Volume VIII 11th ed. Canberra: Australian War Memorial 
  • Erickson, Edward J. (2001). Ordered to Die A History of the Ottoman Army in the First World War: Forward by General Hüseyiln Kivrikoglu. Col: No. 201 Contributions in Military Studies. Westport Connecticut: Greenwood Press. OCLC 43481698 
  • Erickson, Edward J. (2007). John Gooch and Brian Holden Reid, eds. Ottoman Army Effectiveness in World War I: A Comparative Study. Col: No. 26 of Cass series: military history and policy. Milton Park, Abingdon, Oxon: Routledge. ISBN 978-0-203-96456-9 
  • Falls, Cyril; A. F. Becke (maps) (1930). Military Operations Egypt & Palestine from June 1917 to the End of the War. Col: Official History of the Great War Based on Official Documents by Direction of the Historical Section of the Committee of Imperial Defence. 2 Part II. London: HM Stationary Office. OCLC 256950972 
  • Great Britain, Army, Egyptian Expeditionary Force (1918). Handbook on Northern Palestine and Southern Syria 1st provisional 9 April ed. Cairo: Government Press. OCLC 23101324 
  • Griffiths, William R. (2003). The Great War, The West Point Military History Series. [S.l.]: Square One Publishers, Inc. ISBN 978-0-7570-0158-1 
  • Henry S. Gullett, Charles Barnet, Art Editor David Baker, eds. (1919). Australia in Palestine. Sydney: Angus & Robertson Ltd. OCLC 224023558 
  • Hall, Rex (1975). The Desert Hath Pearls. Melbourne: Hawthorn Press. OCLC 677016516 
  • Hart, Basil (1989). Lawrence of Arabia. [S.l.]: The Perseus Books Group. ISBN 978-0-306-80354-3 
  • Hill, A. J. (1978). Chauvel of the Light Horse A Biography of General Sir Harry Chauvel, GCMG, KCB. Melbourne: Melbourne University Press. OCLC 5003626 
  • Hughes, Matthew, ed. (2004). Allenby in Palestine: The Middle East Correspondence of Field Marshal Viscount Allenby June 1917 – October 1919. Col: Army Records Society. 22. Phoenix Mill, Thrupp, Stroud, Gloucestershire: Sutton Publishing Ltd. ISBN 978-0-7509-3841-9 
  • Jukes, Geoffrey (2003). The First World War: The War To End All Wars. Volume 2 of Essential Histories Specials. [S.l.]: Osprey. ISBN 978-1-84176-738-3 
  • Keogh, E. G.; Joan Graham (1955). Suez to Aleppo. Melbourne: Directorate of Military Training by Wilkie & Co. OCLC 220029983 
  • Kinloch, Terry (2007). Devils on Horses in the Words of the Anzacs in the Middle East,1916–19. Auckland: Exisle Publishing. ISBN 978-0-908988-94-5 
  • Massey, William Thomas (1920). Allenby's Final Triumph. London: Constable & Co. OCLC 345306 
  • Maunsell, E. B. (1926). Prince of Wales' Own, the Seinde Horse, 1839–1922. [S.l.]: The Regimental Committee. OCLC 221077029 
  • Powles, C. Guy; A. Wilkie (1922). The New Zealanders in Sinai and Palestine. Col: Official History New Zealand's Effort in the Great War, Volume III. Auckland: Whitcombe & Tombs Ltd. OCLC 2959465 
  • Preston, R. M. P. (1921). The Desert Mounted Corps: An Account of the Cavalry Operations in Palestine and Syria 1917–1918. London: Constable & Co. OCLC 3900439 
  • Pugsley, Christoper (2004). The Anzac Experience New Zealand, Australia and Empire in the First World War. Auckland: Reed Books. ISBN 978-0-7900-0941-4 
  • Wavell, Field Marshal Earl (1968). E.W. Sheppard, ed. The Palestine Campaigns. Col: A Short History of the British Army 3rd ed. London: Constable & Co. 
  • Woodward, David R. (2006). Hell in the Holy Land World War I in the Middle East. Lexington: The University Press of Kentucky. ISBN 978-0-8131-2383-7 


Ícone de esboço Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.