Batalha de Ptéria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha do rio Hális
Expansão do Império Aqueménida
Data 547 ou 546 AEC.
Local Ptéria, Capadócia.
Casus belli Ptéria reconquistada pela Pérsia
Desfecho Victoria persa; retirada lídia.
Beligerantes
Império lídio Império Aqueménida
Comandantes
Creso Ciro II, o Grande
Forças
Lídios e jónios, (inferiores às forças persas) Medos e persas.
Baixas
Significativas Significativas
Batalha do rio Hális está localizado em: Turquia
Batalha do rio Hális
Localização aproximada da batalha no que é hoje a Turquia

A batalha do rio Hális, também conhecida como a batalha de Ptéria (em grego clássico: Πτερία), foi um conflito armado ocorrido entre dois grandes impérios da antiguidade, o incipiente Império Aqueménida e o reino de Lídia no seu apogeu, que data de 547 ou 546 AEC. As forças persas de Ciro, o Grande travaram uma batalha contra as forças invasoras de Lídia lideradas por Creso, que foi forçado a partir em retirada para oeste, para o seu próprio reino.

Antes do auge do povo persa, os lídios e medos tinham acordado que o rio Hális (atual rio Quizil-Irmaque) passaria a definir a fronteira natural entre os dois impérios. Com a assimilação dos medos pelos persas, Creso procurou tirar partido deste conjunto de eventos para expandir as suas fronteiras para leste, onde teria inevitavelmente que enfrentar a pressão persa. Então, antes de os confrontar, Creso enviou um mensageiro ao Oráculo de Delfos, que lhe disse que se atravessasse o rio Hális com o seu exército, acabaria por destruir um império.[1] Creso fez então aliança com Caldeia, Egito e Esparta.

Incentivado pela profecia, Creso liderou o seu exército desde a sua capital Sardes para leste, atravessando o Hális e tomando a cidade de Ptéria, escravizando os cidadãos locais. Ciro reuniu as suas tropas e, depois de ter tentado sem sucesso a deserção dos aliados jónios de Creso, tomou a batalha contra os lídios em Ptéria. De acordo com Heródoto, as forças lídias eram bastante inferiores aos rivais, e depois de sofrer perdas significativas em ambas as partes, Creso decidiu retirar-se para Sardes.[2] Esta derrota estratégica de Creso implicaria que a profecia do Oráculo fosse na realidade cumprida: ao cruzar o rio Hális, Creso levou à queda de um império, o seu.

Referências

  1. Heródoto, O nove livros da História, Livro I, LIII (Clio).
  2. Heródoto, Os nove livros da História, Livro I, LXXVI (Clio).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Heródoto. The Histories. Suffolk, England: Penguin Books, 1975.
  • Dupuy, R. Ernest, and Trevor N. Dupuy. The Encyclopedia of Military History from 3500 B.C. to the present. New York: Harper and Row, 1977.
  • Fuller, J. F. C. A Military History of the Western World, Volume One. N.P.: Minerva Press, 1954.