Batalha do Saro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha do Saro
Guerra bizantino-sassânida de 602-628
Data abril de 625
Local rio Saro, próximo a Adana
Desfecho Retirada persa; Vitória bizantina
Beligerantes
Império Bizantino
Derafsh Kaviani.png
Império Sassânida
Comandantes
Império Bizantino Heráclio Império Sassânida Sarbaro
Forças
Desconhecida Desconhecida
Baixas
Desconhecida Desconhecida

A batalha do Saro foi travada em abril de 625, no rio Saro, entre o exército bizantino do imperador Heráclio (r. 610–641) e o exército sassânida do general Sarbaro. Inicialmente pendeu para os persas, porém, após uma reviravolta, terminou com uma importante retirada persa, uma vitória bizantina enaltecida pelos panegíricos.

Antecedentes e batalha[editar | editar código-fonte]

Desde 624, o imperador Heráclio (r. 610–641) esteve em campanha contra o Império Sassânida. Em 625, suas forças tentaram empurrar seus inimigos através do Eufrates e capturaram, no caminho, capturaram algumas fortalezas. Depois disso, em abril, marcharam em direção ao Eufrates, perseguidos por Sarbaro, e então, próximo de Adana, houve uma escaramuça no rio Saro. Sarbaro estacionou suas forças através do rio. Uma ponte atravessava-o, e os bizantinos imediatamente a atravessaram. Sarbaro fingiu se retirar para levá-los a uma emboscada, e a vanguarda do exército bizantino foi destruída em poucos minutos.[1]

Os persas, contudo, tinham se esquecido de cobrir a ponte, e Heráclio atravessou com a retaguarda, sem medo das flechas que os persas disparavam, transformando a maré da batalha contra eles. Sarbaro expressou sua admiração para um renegado grego: "Veja seu imperador! Ele teme essas flechas e lanças não mais do que uma bigorna!".[1] Os persas foram forçados a retirar-se, garantindo uma vitória bizantina. Posteriormente a batalha foi enaltecida nos panegíricos.[2]

Referências

  1. a b Norwich 1997, p. 92.
  2. Kaegi 2003, p. 132.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]