Bateria de ião lítio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bateria de íons de lítio
Bateria de íons de lítio, Varta, Museum Autovision, Altlußheim, Alemanha.
Cilíndrico da pilha antes de fechar (18650)

Bateria íon-lítio (português brasileiro) ou bateria de ião lítio (português europeu) é um tipo de bateria recarregável muito utilizadas em equipamentos eletrônicos portáteis. Armazenam o dobro de energia que uma bateria de hidreto metálico de níquel (ou NiMH) e três vezes mais que uma bateria de níquel cádmio (ou NiCd). Outra diferença da bateria de íons de lítio é a ausência do efeito memória (não vicia), ou seja, não é preciso carregar a bateria até o total da capacidade e descarregar até o total mínimo, ao contrário da bateria de NiCd.[1] Ela resiste menos que uma bateria normal mas do mesmo modo deve ser carregada e descarregada, sem o uso contínuo do carregador.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira bateria de lítio começou com G.N. Lewis em 1912, mas somente a partir de 1970 as primeiras baterias de lítio ficaram disponíveis comercialmente. As tentativas de desenvolver baterias recarregáveis de lítio falharam devido a problemas de segurança. Por causa da instabilidade inerente do lítio metálico, especialmente durante o carregamento, a pesquisa então mudou seu foco para uma bateria não metálica de lítio usando íons de lítio. Embora sua densidade de energia seja ligeiramente inferior à do lítio metálico, após comprovada a segurança das baterias de íons de lítio (desde que tomadas determinadas precauções na sua carga e descarga), em 1991, a Sony Corporation comercializou a primeira bateria deste tipo.

Exemplo de baterias usadas em computadores de mão e câmeras digitais

Capacidade e armazenamento[editar | editar código-fonte]

Perda permanente da capacidade X condições de armazenamento
Condições de armazenamento 40% carga 100% carga
0 °C 2% de perda depois de 1 ano 6% de perda depois de 1 ano
25 °C 4% de perda depois de 1 ano 20% de perda depois de 1 ano
40 °C 15% de perda depois de 1 ano 35% de perda depois de 1 ano
60 °C 25% de perda depois de 1 ano 40% de perda depois de 3 meses
Fonte: http://www.batteryuniversity.com/parttwo-34.htm BatteryUniversity.com

Cuidados[editar | editar código-fonte]

As baterias de íons de lítio são facilmente corrompidas, inflamáveis e podem até explodir em altas temperaturas. Nunca a deixe exposta diretamente à luz do sol, curto-circuitos ou a abertura da embalagem também podem fazer com que a bateria se inflame. O uso do aparelho enquanto a bateria está em carregamento também causa aquecimento da mesma. Felizmente, cientistas desenvolveram uma bateria flexível de íon de lítio que pode suportar condições extremas, incluindo corte, submersão e impacto balístico simulado.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Literatura[editar | editar código-fonte]

  • Karel Walraven, Revista Elektor (Edição brasileira), "Tempo de vida das baterias de íons de lítio", ano 4, n.º 45/46, p. 58.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Título ainda não informado (favor adicionar)». bbaterias.com.br 
  2. «This new flexible lithium-ion battery can withstand extreme conditions». Tech Explorist (em inglês). 18 de outubro de 2019. Consultado em 18 de outubro de 2019