Battery

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde janeiro de 2011). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
"Battery"
Single de Metallica
do álbum Master of Puppets
Lançamento 1986
Gravação Sweet Silence Studios(Dinamarca)
Gênero(s) Thrash Metal
Duração 5:10
Gravadora(s) Elektra
Composição Hetfield
Ulrich
Produção Metallica
Rasmussen
Cronologia de singles de Metallica
"Master of Puppets"
(1986)
"Welcome Home (Sanitarium)"
(1986)

"Battery" é uma canção da banda norte-americana de thrash metal Metallica. É a faixa de abertura e também o segundo single do terceiro álbum da banda, Master of Puppets.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

"Battery" começa com um trecho de guitarra limpo, no qual quatro guitarras acústicas são sobrepostas harmonicamente antes da bateria e do baixo aparecerem com as guitarras distorcidas. A introdução se estende até 1:06, quando a canção fica mais acelerada, com um riff rápido e característico do thrash metal, que é seguido por um riff menos acelerado, que é tocado durante o refrão. A canção tem dois solos: um solo antes do segundo verso (2:07-2:11); outro solo quando na parte menos acelerada da canção (3:00-3:50). A faixa também tem a forte presença do baixo de Cliff Burton, e uma batida selvagem e consideravelmente difícil de bateria, executada por Lars Ulrich.

Letra[editar | editar código-fonte]

Seguindo com o tema geral de "Master of Puppets", a letra de "Battery" discute o controle que a raiva pode ter sobre o comportamento do indivíduo. O título se refere a "battery" no sentido de "agressão", como demonstrado pelo trecho: "Smashing through the boundaries / Lunacy has found me / Cannot stop the battery", traduzido dessa maneira: "Esmagando através das fronteiras / A loucura me encontrou / Impossível parar a agressão"

Ao Vivo[editar | editar código-fonte]

"Battery" costumava ser constante no set list da banda, sendo usada frequentemente tanto como a canção de abertura quanto a canção de encerramento. Em alguns casos, também é usada como canção antes do intervalo. Desde 2008 a canção vem sido menos utilizada dos setlists. Quando tocada, a faixa é interrompida antes do interlúdio, e James Hetfield pergunta à plateia: "Are you alive?... How does it feel to be alive?" ("Vocês estão vivos?... Como é estar vivo?"). Esta fala de Hetfield pode ser ouvida no álbum S&M e seguida pelo solo de Kirk Hammett. A parte inicial não é tocada pela banda, e em vez disso a gravação é utilizada (recentemente 1/2 tom abaixo do habitual, já que a banda tem-se afinado 1/2 tom abaixo nos shows). Na versão ao vivo apresentada no álbum Live Shit: Binge & Purge, as introduções das canções "No Remorse", "Ride the Lightning, e "So What?" também são tocadas. Na apresentação com a Orquestra Sinfônica de São Francisco em 1999, a introdução para o riff thrash foi substituída por artistas da orquestra, utilizando violoncelos no início (parte acústica) e então com violinos no restante da canção.

Como visto no documentário Some Kind of Monster, as audições para o futuro baixista Robert Trujillo começaram, a seu pedido, com "Battery".

Crítica[editar | editar código-fonte]

Steve Huey, do guia musical Allmusic, denominou as canções "Battery" e "Damage Inc." como "dois exemplos de caos thrash".

Covers[editar | editar código-fonte]

  • Esta canção (assim como todo o álbum Master of Puppets) foi tocada pela banda Dream Theater como parte de sua turnê mundial em 2002 e é uma "bootleg recording", ou seja, uma gravação não-oficialmente lançada pela banda.
  • "Battery" foi também tocada pela banda Machine Head para "Master of Puppets: Remastered", e é também incluída como faixa bônus em algumas versões de seu álbum The Blackening.
  • Essa canção é utilizada pela banda de metal Van Canto no álbum "A Storm to Come".
  • Em "Animetal Rebirth Heroes", Animetal usa o riff de "Battery" durante toda a canção "Touch" com algumas ligeiras mudanças.
  • Uma versão cover de "Battery" também foi feita pela banda "Ensiferum" para "Evil Ultimate Metal Covers No. 55". Também está no single "Tale of Revenge".
  • Beatallica é uma banda que mistura os Beatles com Metallica, e que combinou Battery com "The Ballad of John and Yoko" para criar "The Battery of Jaymz and Yoko" em seu "Masterful Mystery Tour".
  • Die Krupps usou a canção em "A Tribute to the Four Horsemen".
  • Battery também foi imitada por Eric AK (Flotsam & Jetsam), Dave Lombardo, Mike Clark, e Robert Trujillo para "Metallic Assault: A Tribute to Metallica". Dave Lombardo tocaria a canção com o Metallica no palco quando Lars Ulrich não foi ao Download Festival de 2004, e Robert Trujillo se tornaria um membro do Metallica em 2003.
  • Battery é uma faixa do jogo musical de 2008 Rock Band 2, como uma das mais difíceis de se executar para todos os instrumentos.
  • Também é uma faixa do jogo da banda, Guitar Hero: Metallica como uma das canções possíveis de ser tocada na dificuldade "Expert +" na bateria.
  • A banda pop-punk Lagwagon usa a parte "Smashing through the boundaries / Lunacy has found me" para a canção "Raise a Family" no lançamento de 2000 "Let's Talk About Leftlovers".
  • a banda blakk totem fez um cover da música logo após o lançamento da canção original em um album de tributo ao metallica.