Beatriz Galindo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Beatriz Galindo
Nascimento c. 1465
Salamanca, Espanha
Morte 23 de novembro de 1535
Madri, Espanha
Cônjuge Francisco Ramírez de Madrid
Filho(s) Férnan
Nuflo
Ocupação Educadora

Beatriz Galindo (Salamanca, c. 1465Madri, 23 de novembro de 1535) foi uma educadora espanhola. Foi escritora e humanista, preceptora da Rainha Isabel I de Castela e de suas crianças. Ela foi uma das mulheres mais bem educadas da época. Não há muita certeza sobre a data de nascimento, alguns acreditam em 1464[1][2].

Beatriz Galindo nasceu numa família de origem Zamoraniana da nobreza baixa de fidalgos, originalmente abastada mas quase destituída depois da Guerra Civil[2]. A família escolheu Beatriz entre as irmãs para ser religiosa, visto que ela demonstrava interesse pela leitura, então permitiram que aprofundasse os estudos na Escola de Gramática e na Universidade de Salamanca, para ajudar na carreira antes das Ordenações, mas a grande habilidade com o Latim já a levou para uma vida acadêmica antes dos 12 anos de idade[1].

Beatriz recebeu educação na Itália onde obteve diploma de Latim e de Filosofia, pela Universidade de Salerno. As universidades italianas recebiam muito bem estudantes mulheres. É provável que tenha sido estudante da grande Escola Espanhola Antonio de Nebrija. Ela foi apelidada de 'La Latina' por exibir habilidades em Latim, e se tornou professora na Universidade de Salamanca, onde ensinou retórica e filosofia[2]. Em 1485, chegou à corte da Rainha Isabel I de Castela. Foi preceptora desta rainha e de suas filhas, um trabalho que exerceu por 19 anos.[3] Ensinou Maria de Aragão e Castela, futura rainha de Portugal; Catarina de Aragão, futura mulher de Henrique VIII da Inglaterra e Joana de Castela, futura mulher de Filipe de Habsburgo e mais tarde conhecida como "Joana, a Louca"[1].

Statue to Beatriz Galindo in Madrid

Escrevendo em latim, é autora de três obras: "Comentários sobre Aristóteles", "Notas Sábias sobre os Antigos" e "Poesias Latinas". Porém, nenhuma destas obras resistiu ao tempo[1].

Em dezembro de 1491, casou-se com Francisco Ramírez de Madrid, com quem teve dois filhos: Fernán Ramírez e Nuflo Ramírez[1].

Foi uma das primeiras mulheres a ter uma ativa vida pública durante a Renascença. Fundou em Madri, no ano de 1507, o Hospital da Conceição de Nossa Senhora, mais conhecido como Hospital da La Latina. Também foi fundadora de dois conventos de monjas, da Ordem Jerônima e da Ordem Franciscana[1].

A vizinhança em Madri, onde ela havia morado, é hoje conhecida como La Latina por causa do apelido que lhe fora dado. Há várias estátuas em sua homenagem nas cidades de Salamanca e Madri[2].

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Beatriz Galindo

Referências

  1. a b c d e f Arteaga, Almudena de (2007). Beatriz Galindo, La Latina: Maestra de Reinas. Madri: Unknown. p. 400. ISBN 978-84-96107-89-2 
  2. a b c d Jone Johnson Lewis (ed.). «Beatriz Galindo». About Education. Consultado em 21 de março de 2017 
  3. Arteaga, Almudena de, Beatriz Galindo, La Latina: Maestra de Reinas (2007). Beatriz Galindo, La Latina: Maestra de Reinas. [S.l.: s.n.] ISBN 978-84-96107-89-2