Bela, a Feia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bela, a Feia
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Comédia romântica
Duração 60 minutos
Criador(es) Gisele Joras
Baseado em 'Yo soy Betty, la fea de Fernando Gaitán
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Edson Spinello
Elenco Giselle Itié
Bruno Ferrari
Simone Spoladore
Iran Malfitano
Carla Cabral
Bárbara Borges
Laila Zaid
Silvia Pfeifer
Jonas Bloch
Thierry Figueira
André Mattos
Ângela Leal
Benvindo Sequeira
Luíza Tomé
Raul Gazolla
(ver mais)
Tema de abertura "Bela, a Feia", Mano a Mano e Roger Moreira
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Record
Transmissão original 4 de agosto de 2009[1]2 de junho de 2010
N.º de episódios 217
Cronologia
Programas relacionados Yo soy Betty, la fea

Bela, a Feia é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Record entre 4 de agosto de 2009 e 2 de junho de 2010, em 217 capítulos às oito e meia da noite e, posteriormente, às dez da noite, substituindo a trilogia Os Mutantes e antecedendo Ribeirão do Tempo. É a última das sete telenovelas exibidas como "novela das oito" pela emissora entre 2006 e 2010, tendo sucedido Promessas de Amor no horário. É uma obra representativa na história da teledramaturgia da emissora não apenas por isso, mas por ter sido co-produção realizada com a empresa mexicana Televisa. Baseada na telenovela colombiana Yo soy Betty, la fea escrita originalmente por Fernando Gaitán, Bela, a Feia foi escrita por Gisele Joras e dirigida por Edson Spinello.

Giselle Itié interpreta Bela Palhares, uma jovem inteligente, competente e de boa formação acadêmica, que não consegue emprego por ter uma aparência considerada feia. Bruno Ferrari, Simone Spoladore, Iran Malfitano, Carla Cabral, Bárbara Borges, Laila Zaid, Silvia Pfeifer, Jonas Bloch, Thierry Figueira, André Mattos, Ângela Leal, Bemvindo Sequeira, Luiza Tomé e Raul Gazolla completam os papéis principais.

Antecedentes e contexto[editar | editar código-fonte]

Ainda em 2005, com a contratação do dramaturgo Lauro César Muniz, a Rede Record anunciou seus planos de passar a ter, em sua programação, dois horários distintos destinados à exibição de telenovelas[2][3]. A emissora já possuía, à época, o "RecNov", um estúdio localizado no Rio de Janeiro destinado à produção de suas telenovelas, de forma similar ao que a Rede Globo já fazia nos estúdios "Projac". A estrutura, entretanto, ainda não estava totalmente definida, e as filmagens de Prova de Amor a ocupavam integralmente. Uma vez que as obras de ampliação não iriam estar concluídas em tempo hábil[4] para o início das filmagens de Cidadão Brasileiro, um terreno com cerca de dez mil metros quadrados foi alugado para se tornar um canteiro de obras fictício, visando retratar a construção de Brasília. Adicionalmente, as cenas em estúdio foram realizadas numa cidade cenográfica construída em Barra Funda para representar uma versão ficcionalizada do município de Guará[5][6][7].

Em março do ano seguinte, Cidadão Brasileiro começou a ser exibida nesse segundo horário[8]. A telenovela foi exibida, em seu mês de estreia, às 20h 30min, mas sofreria nos meses seguintes uma série de mudanças em seu horário até regularizar-se às 22h 00. Esse horário foi seguido pela produção que a sucedeu, Vidas Opostas[9].

Prova de Amor, exibida a partir 24 de outubro de 2005 e finalizada em 17 de julho de 2006, foi a terceira telenovela a ser exibida pela emissora desde que a produção de telenovelas havia sido retomada, com a exibição, em 2004, de A Escrava Isaura e, no ano seguinte, de Essas Mulheres. Ambos foram exibidas no horário das 19h, que continuaria a ser ocupado por Prova de Amor e, posteriormente, por Bicho do Mato, cuja estreia ocorreu em 18 de julho de 2006. Quando Cidadão Brasileiro, telenovela também exibida à época, passou a ser exibida às 21h30 por causa da exibição da propaganda eleitoral obrigatória a partir de outubro, Bicho do Mato manteve seu horário de exibição inalterado[10], mas em 5 de março de 2007, este foi alterado para coincidir com a estreia da telenovela Paraíso Tropical, a "novela das oito" que a Globo passaria a exibir. Com a conclusão de Bicho do Mato, Luz do Sol seria exibida no mesmo horário[11] a partir de 21 de março de 2007[12][13].

Após Luz do Sol, e antes de Bela, a Feia, outras três produções estrearam no horário de 20h30 na Rede Record: Amor e Intrigas, Os Mutantes - Caminhos do Coração e Promessas de Amor[14].

Produção[editar | editar código-fonte]

Parceria entre Record e Televisa[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2008 o jornalista Daniel Castro, em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo, noticiou que a Rede Record e a emissora mexicana Televisa haviam começado a negociar um termo de parceria, que envolvesse não apenas a exibição de tramas produzidas no México - como a emissora tinha, desde 2000, com o canal brasileiro SBT - mas também a produção de regravações destas tramas com atores e roteiros brasileiros, sem restrições para as adaptações que fossem julgadas necessárias[15]. Ainda naquele ano, tal parceria seria oficialmente anunciada por ambas as emissoras[16][17]. Após o anúncio, o jornal Folha de S.Paulo afirmaria que estavam sendo cogitadas para serem regravadas as telenovelas Rebelde e La fea más bella, com o objetivo de serem exibidos estes remakes no horário das 19h. Rebelde, à época, chegou a ser anunciada pela própria emissora como a primeira produção decorrente desta parceria[18][19]. A primeira produção decorrente da parceria acabaria sendo Bela, a Feia, que, inicialmente, representaria um retorno ao terceiro horário de telenovelas, mas atrasos na sua produção fizeram com que fosse reposicionada na programação[20]. É a última das sete telenovelas exibidas como "novela das oito" pela emissora entre 2006 e 2010, tendo sucedido Promessas de Amor no horário. É uma obra representativa na história da teledramaturgia da emissora não apenas por isso, mas por ter sido a primeira coprodução realizada com a empresa mexicana Televisa.[21][22]

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Originalmente Bárbara Borges foi anunciada como a protagonista Bela, porém a direção optou por remanejá-la para um papel mais cômico logo depois, desvencilhando sua imagem dos personagens dramáticos anteriores.[23][24] Juliana Silveira revelou que gostaria de interpretar a personagem, porém a direção optou por descansar sua imagem após Chamas da Vida.[25] Simone Spoladore foi cogitada para o papel, porém Gisele Itié acabou sendo escolhida após ela ser escalada para o filme estadunidense Os Mercenários, de Sylvester Stallone, visando aproveitar a boa repercussão de sua imagem para a novela.[26] Carla Cabral estava escalada para Poder Paralelo, onde viveria a personagem Laila, porém acabou desistindo deste quando recebeu a proposta para viver Cíntia em Bela, a Feia, uma vez que seria um papel de maior destaque, sendo substituída na anterior por Luciana Braga.[27][28] Em um caminho contrário, Márcio Kieling estava escalado para viver Diego, porém desistiu do papel por uma melhor oportunidade em Poder Paralelo, passando o personagem para Daniel Erthal.[29]

Sérgio Mallandro apareceu como ele mesmo em um programa trash dos anos 90, onde se apresentou a dupla infantil formada por Bela e Dinho, quando crianças.[30] Rodrigo Faro apareceu como ele mesmo apresentando o programa O Melhor do Brasil, numa matéria onde procuram o paradeiro de Bela, vinte anos após o sucesso dela na dupla infantil que formava com Dinho.[31] Neguinho da Beija-Flor apareceu tocando no bar do Clemente, personagem de Benvindo Sequeira.[32]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
Gisele Itié caracterizada como Bela, a personagem principal da novela.[33]

Bela (Gisele Itié) é uma jovem competente e esforçada, que tem boa formação acadêmica, mas não consegue emprego por ter uma aparência considerada feia. Na infância Bela formava uma dupla humorística com Dinho (Thierry Figueira), no qual sua feiura era sempre o motivo dos deboches e das piadas, sendo empresariados pelo pai do garoto, Ataufo (André Mattos). Os dois fugiram com o dinheiro que recebiam dos shows e passaram toda a vida dando golpe nas pessoas e evitando a prisão com diversos disfarces e identidades diferentes. Ela mora na Gamboa, no Rio de Janeiro, junto com seu pai Clemente (Benvindo Sequeira) e seus irmãos Max (Sérgio Hondjakoff) e Elvira (Bárbara Borges) – uma cabeleireira barraqueira que trabalha no salão de seu tio, Heroldo (João Camargo). Ela vive em uma guerra cômica com sua rival, Magdalena (Laila Zaid), que também é cabeleireira no local e as duas passam os dias se sabotando para provar quem é a melhor profissional. Enquanto Bela e Elvira são filhas da falecida mulher de Clemente, Max é filho de um romance anterior com Samantha (Luíza Tomé), uma mulher que mora em Copacabana e despreza o filho, sendo casada com o mulherengo Armando (Raul Gazolla) e tendo como filha Ludmila (Marcela Barrozo), uma menina que tem horror à pobreza.

Bela consegue um emprego na agência de publicidade +/Brasil e se torna secretária do presidente, Rodrigo (Bruno Ferrari, se apaixonando por ele assim que o conhece, recebendo ainda o desprezo dos demais funcionários por sua aparência. O publicitário é filho do dono da emprega, Ricardo (Jonas Bloch), e tem um grande ressentimento pela mãe, Vera (Sílvia Pfeifer), por acreditar ter sido abandonado por ela quando tinha 4 anos. Ela, na verdade, não mora fora do país, mas sim está está sendo mantida cárcere privado em uma casa de campo por 25 anos por Ricardo, que ameaça revelar um grave segredo do passado caso ela resolva retornar. Rodrigo é noivo da arrogante Cíntia (Carla Cabral), que maltrata a governanta do rapaz, Olga (Ângela Leal), por ela encobrir as traições do rapaz, sem saber que a empregada é sua verdadeira mãe. A maior provação de Rodrigo é o calculista Adriano (Iran Malfitano), vice-presidente que sonha um dia tomar seu posto na liderança da +/Brasil e planeja cada passo para derrubá-lo e mostrar que o rapaz é incompetente, estando lá apenas por ser filho do dono.

Na empresa ainda trabalha Diogo (Sérgio Menezes), que mora com Diego (Daniel Erthal), um rapaz que não entende bem sua sexualidade ainda e tem um caso com uma mulher mais velha que o sustenta, embora se sinta atraído pelo companheiro de apartamento. Diego tem medo de aceitar para si mesmo que se sente apaixonado por outro homem, embora Diogo sempre tenha deixado claro que está pronto para ter uma relação com ele quando ele entender sua sexualidade. A outra secretária do local, a ardilosa Verônica (Simone Spoladore), faz de tudo para sobressair-se e conta com a aliança de Adriano e Cíntia para conseguir subir dentro da empresa e conseguir um posto de destaque. Ao passar do tempo Rodrigo fica cada vez mais próximo de Bela e acaba se apaixonando por também, independente da aparência, porém o romance é atrapalhado por Verônica, que cria uma armadilha para matar a moça a pedido de Cíntia. Apesar de todos acreditarem que Bela morreu realmente, ela é salva por Vera, que decide transformar sua aparência para que ela se torne uma mulher bonita e volte à empresa irreconhecível sob o pseudônimo de Valentina, representando suas ações diretamente na presidência e se vingando daqueles que a desprezaram antes de contar sua verdadeira identidade.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Giselle Itié Anabela Palhares (Bela) / Valentina Carvalho
Bruno Ferrari Rodrigo Ávila
Simone Spoladore Verônica Matoso
Iran Malfitano Adriano Gomes Ávila
Carla Cabral Cíntia Alcântara
Bárbara Borges Elvira Palhares (Vivi)
Laila Zaid Magdalena Fonseca
Sílvia Pfeifer Vera Ávila
Jonas Bloch Ricardo Ávila
Thierry Figueira Alfredo Aguiar (Dinho) / Carlos Dantas / Charles / Juarez
André Mattos Ataulfo Aguiar / Tadeu Dantas / Harry / Eulália
Ângela Leal Olga Santos
Benvindo Sequeira Clemente Palhares
Luíza Tomé Samantha Freitas
Raul Gazolla Armando Freitas (Armandinho)
Esther Góes Bárbara Gomes Ávila
Denise Del Vecchio Vanda Alcântara
Sérgio Menezes Diogo Marques
Daniel Erthal Diego Souza
Cláudio Gabriel Nelson Barbosa (Nelsinho)
Bia Montez Hortência Peixoto
Roberta Gualda Luzia Caldas
João Camargo Haroldo Palhares
Rafael Primot Ícaro Nazareno Pereira da Silva Palhares
Henri Pagnoncelli Ariosto Alcântara / Octávio Pinha
Sérgio Hondjakoff Maximiliano Palhares (Max)
Alexandre Barillari Douglas Nogueira
Raquel Nunes Marcia Sales
Gabriela Moreyra Natália Brito
Marcela Barrozo Ludmila Freitas
Daniel Aguiar Augusto Gomes Ávila (Guto)
André Segatti Ivo Cavalcanti
Pérola Faria Juliana Barros
Oberdan Júnior Jacinto (Jaça)
Rômulo Estrela Fábio
Natália Guimarães Mariana Cunha
Ildi Silva Dinorá Melo
Camila Guebur Sheyla Valadares
Alice Assef Tânia Silveira
Rômulo Neto Matheus Albuquerque
Sabrina Rosa Carminha
Aracy Cardoso Regina Brito
Débora Gomez Camila Pinho
Suzana Abranches Léa
Maria Cristina Gatti Berenice
Bruna Griphao Aninha
Kaic Chagas Victor Hugo Fonseca

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Bela, a Feia
Trilha sonora de Vários artistas
Lançamento 9 de novembro de 2009
Duração 40:02
Idioma(s) Português
Formato(s)
Gravadora(s) Record Music
Produção
  • Marcelo Cabral
  • Kelpo Gils

Bela, a Feia é uma trilha sonora condizente à novela de mesmo título, exibida pela Rede Record.[34] O álbum foi lançado em 9 de novembro de 2009.[35]

Lista de faixas
N.º Título Artista Duração
1. "Bela, a Feia" (Tema de abertura) Mano a Mano e Roger Moreira[36] 3:43
2. "Garota Radical" (Tema geral) Cine 3:25
3. "Se For Embora" (Tema de Cíntia e Rodrigo) Chimarruts 3:31
4. "Dulce Melodia / Mi Sol" (Tema de Bela e Rodrigo) Jesse & Joy 3:16
5. "Lição de Amor" (Tema de Clemente e Hortência) Royce do Cavaco 3:42
6. "Quem Foi Que Disse" (Tema de Luzia e Nelson) Eduardo Costa 3:20
7. "Congênito" (Tema de Vera) Karla Sabah e Luiz Melodia 3:47
8. "Mamãe Passou Açúcar em Mim" (Tema de Armando) Lupa Mabuze 3:45
9. "In Your Heart I'm Home" (Tema de Bela e Rodrigo) Alex Band e Yasmin Lucas 3:45
10. "Livro Antigo" (Tema de Diogo e Diego) André Rass 3:20
11. "Sou Maluca" (Tema de Elvira) Dolls 3:24
12. "Jazz Mediterraneé" (Tema de Clemente e Barbara) Luiz Mazziotti 3:15
13. "Pisou na Bola" (Tema de Dinho e Ataúlfo) Tutti Baê 3:31
14. "Me Chama" (Tema de Cíntia) Ângela Ro Ro 3:38
15. "Nave do Amor" (Tema de Magdalena) Banda Djavú 3:27
16. "Condição" (Tema de Vanda/Cinthia) Brisa 3:31
17. "Nada Faz Sentido Sem Você" (Tema de Max e Natália) Thomas Morkos 3:44
18. "Heroína e Vilã" (Tema de Verônica) Antônio Villeroy 3:22
19. "Não Pode Parar" (Tema de Adriano) Magoo 3:44
20. "Menina Chapa-Quente" (Tema de Luzia) Perlla 3:15

Audiência[editar | editar código-fonte]

Audiência obtida pela Rede Record na estreia de suas "novelas das oito" e pela Rede Globo no mesmo dia.

Bela, a Feia estreou com audiência de 10 pontos com picos de 13, número considerado insatisfatório pela Rede Record, que aguardava 15 pontos.[37] Este resultado, porém, deveu-se ao fato de que a última parte da trilogia Mutantes: Promessas de Amor fechou seu último capítulo com uma baixa audiência de apenas 11 pontos, dificultando o começo de Bela, a Feia.[38] Com o passar dos capítulos a audiência da novela foi melhorando, chegando a atingir bons índices estabilizados entre 15 e 18 pontos, o que fez com que a direção esticasse sua exibição.[39] Em 7 de abril de 2010, durante o capítulo de transformação da personagem central, a novela registrou seu melhor resultado, chegando aos 25 pontos e 40% do share contra 14 da Rede Globo, que exibia o filme Os Desafinados no horário, garantindo a liderança.[40]

Em seu penúltimo capítulo, em 1 de junho de 2010, a novela chegou aos 18 pontos em São Paulo e 24 no Rio de Janeiro, contra 15 da Rede Globo no mesmo horário, que exibia Casseta & Planeta, Urgente! e parte do seriado Força-Tarefa, conseguindo a liderança isolada.[41] No dia seguinte, no último capítulo, a trama obteve 18 pontos com picos de 20 em São Paulo e 25 pontos com picos de 30 no Rio de Janeiro, ficando em primeiro lugar.[42] O jornalista Pedro Paulo Figueiredo, da coluna Canal Zap, do portal UOL, notou que Bela, a Feia conseguiu uma virada na audiência inesperada, visto o difícil começo.[43]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado Ref.
2009 Prêmio Extra de Televisão Melhor Novela Bela, a Feia Indicado [44]
Melhor Atriz Coadjuvante Bárbara Borges
Melhor Maquiagem Marcio Farache
Melhor Figurino Mariana Baffa
2010 Troféu Internet Melhor Ator Bruno Ferrari Venceu [45]
Melhor Vilão Iran Malfitano
Prêmio Contigo! de TV Melhor Atriz Coadjuvante Bárbara Borges Indicado [46]
Prêmio Arte Qualidade Brasil Melhor Novela Bela, a Feia [47]
Melhor Atriz Gisele Itié
Melhor Direção Edson Spinello
Melhores do Ano: MdeMulher Melhor Novela Bela, a Feia [48]
Melhor Mocinha Gisele Itié

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, uma nova coprodução México-Brasil entraria no lugar de Bela, a Feia, mas, em janeiro de 2010, o jornalista José Armando Vannucci noticiou que a Record não apenas não conseguiria exibir três telenovelas ao mesmo tempo, como abandonaria o segundo horário destinado ao gênero, deixando para exibir, no mínimo por todo o primeiro semestre de 2010, apenas uma telenovela: Ribeirão do Tempo.[49] Em janeiro de 2010, a emissora emitiu um "Comunicado à Imprensa" anunciando que, com o término de Poder Paralelo, não iria mais exibir uma telenovela no horário das 22h, com Ribeirão do Tempo substituindo Bela, a Feia, mas que ainda no primeiro semestre exibiria uma nova produção, no horário das 19h[50]. Pouco depois, o jornalista Daniel Castro informou que a Record produziria um remake da telenovela mexicana Cuidado con el ángel, e que este começaria a ser exibido ainda no primeiro semestre. Naquela oportunidade, Margareth Boury foi apontada como a responsável pelo roteiro[51], que chegou a ganhar provisoriamente o título de "Vivendo o Amor"[52]. Vanucci, à época, noticiou a informação lembrando que "oficialmente, a Record diz que a nova novela “mexicobrasileira” está prevista para estrear ainda no primeiro semestre, que acaba no dia 30 de junho"[53].

Referências

  1. «Record coloca humor no lugar dos Mutantes (Página 9)». acervo.folha.com.br. 
  2. Cristina Padiglione. (11 de julho de 2005). "Novela de Lauro César na Record será gravada em SP". Estado de S.Paulo. Visitado em 5 de março de 2011.
  3. Simone Mousse. (9 de outubro de 2005). "Reconstruindo Brasília em São peido". O Globo. Visitado em 5 de março de 2011.
  4. (1 de junho de 2005) "Entrelinhas". O Estado de S. Paulo. Visitado em 5 de março de 2011.
  5. Keila Jimenez. (3 de outubro de 2005). "Record aluga cidade cenográfica". Estado de S.Paulo. Visitado em 5 de março de 2011.
  6. Keila Jimenez. (10 de janeiro de 2006). "Record inicia Cidadão Brasileiro". O Estado de S. Paulo. Visitado em 5 de março de 2011.
  7. Simone Mousse. (10 de janeiro de 2006). "Luzes, Câmera, Ação!". O Globo. Visitado em 5 de março de 2011.
  8. Thiago Stivaletti (7 de março de 2006). «Com "Cidadão Brasileiro", Record gasta o dobro de "Prova de Amor"». UOL. Consultado em 5 de março de 2011. 
  9. Giovani Lettiere (17 de novembro de 2006). «Marcílio: 'Vidas opostas' tem potencial para 30 pontos de audiência». O Globo. Consultado em 6 de março de 2011. 
  10. «Bicho do Mato e Cidadão Brasileiro mantém Record na vice-liderança do horário». areavip. 22 de agosto de 2006. Consultado em 6 de março de 2011. 
  11. Redação O Globo (6 de março de 2007). «Record muda horário de novela e tira pontos de 'Paraíso tropical'». O Globo. oglobo.globo.com. Consultado em 6 de março de 2007. 
  12. Rafael Simi. «Novela 'Luz do sol', que estreia nesta quarta, aposta em jovens atores que buscam o sucesso». Revista da TV. O Globo. Consultado em 6 de março de 2011. 
  13. Redação Terra (21 de março de 2007). «Luz do Sol: Paloma Duarte estreia sua segunda protagonista na Record». Gente & TV. Terra. Consultado em 6 de março de 2011. 
  14. Redação Folha Online (5 de agosto de 2008). «Estreia de "Bela, A Feia" perde para saga dos "Mutantes"». Ilustrada. Folha de S. Paulo. Folha.com. Consultado em 18 de janeiro de 2011. 
  15. Daniel Castro (20 de maio de 2008). «Record "namora" Televisa, parceira do SBT». Folha de S.Paulo. Folha Online. Consultado em 6 de março de 2011. 
  16. Press release (1 de setembro de 2008). «Record e Televisa fecham acordo para co-produção de novelas». Rede Record. Consultado em 6 de março de 2011. 
  17. Redação (29 de agosto de 2008). «Record e Televisa fecham acordo para produzir novelas». Folha de S.Paulo. Folha Online. Consultado em 6 de março de 2011. 
  18. Luisa Belchior (8 de outubro de 2008). «Record e Televisa produzem "Rebelde" brasileiro». Folha de S.Paulo. Consultado em 6 de março de 2011. 
  19. Gabriela Jaya. «Negócio fechado». Folha Universal. Consultado em 6 de março de 2011. 
  20. José Armando Vannucci (23 de junho de 2009). «Momento ruim nas novelas da Record». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011. 
  21. «Gisele Itié será Bela, a Feia :: NaTelinha». natelinha.uol.com.br. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  22. «Marcela Barrozo estreia na Record em 'Bela, a Feia' -». diversao.terra.com.br. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  23. «“Betty, a Feia” brasileira terá Bárbara Borges como protagonista». Entretendo. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  24. «PARCERIA RECORD E TELEVISA». R7. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  25. «Juliana Silveira queria fazer "Bela, a Feia"». O Tempo. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  26. «Record quer mesmo Gisele Itiê para seu cast». Televisa Brasil. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  27. «De alta, Luciano Szafir só grava novela 'Vendetta' em janeiro - O Globo». oglobo.globo.com. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  28. «Área Vip - Luciana Braga entra em Poder Paralelo». home.areavip.com.br. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  29. «Juliana Silveira queria fazer "Bela, a Feia"». O Tempo. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  30. «Sérgio Mallandro fará participação especial em "Bela, A Feia" :: NaTelinha». natelinha.uol.com.br. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  31. «O Planeta TV! - Rodrigo Faro fará participação especial em "Bela, a Feia"». www.oplanetatv.com.br. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  32. «O DIA ONLINE - DIVERSÃO & TV - Neguinho da Beija-Flor grava participação em novela da Record». odia.terra.com.br. Consultado em 4 de agosto de 2009. 
  33. «Estreia de "Bela, A Feia" perde para saga dos "Mutantes"». Folha de S. Paulo. Consultado em 18 de junho de 2011. 
  34. «Bela, a Feia trilha sonora». Teledramaturgia. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  35. «Trilha sonora de Bela, a Feia chega às lojas na segunda». R7. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  36. Trilha sonora de Bela, a Feia chega às lojas na segunda
  37. «‘Bela, a Feia’, nova novela da Record, estreia com audiência abaixo do esperado». Área VIP. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  38. «Promessas de amor marca pior audiência em um último capitulo de novelas da RECORD». TV Foco. 4 de agosto de 2009. Consultado em 19 de fevereiro de 2016. 
  39. «Audiência em alta faz Record esticar 'Bela, a Feia'». Estadão. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  40. «Protagonista fica bonita e audiência de "Bela, a Feia" bate recorde». Bol. 8 de abril de 2010. Consultado em 20 de outubro de 2015. 
  41. «Bela, a Feia coloca Record em primeiro lugar no Ibope». R7. 2 de junho de 2010. Consultado em 20 de outubro de 2015. 
  42. «“Bela, a Feia” termina com audiência elevada em São Paulo e em primeiro lugar no Rio de Janeiro». Jovem Pan. 3 de junho de 2010. Consultado em 20 de outubro de 2015. 
  43. «"Bela, A Feia" termina com uma virada na audiência». UOL. 3 de junho de 2010. Consultado em 20 de outubro de 2015. 
  44. «Ganhadores do Prêmio Extra de TV 2009». Globo. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  45. «Troféu Imprensa marca boa audiência; saiba quem venceu». SBT World. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  46. «Conheça os finalistas – 12º Prêmio Contigo! de TV». Contigo! Online - Abril. Consultado em 27 de setembro de 2011. 
  47. «Categoria Televisão – 2010». Prêmio Arte Qualidade. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  48. «Melhores e Piores de 2010: Os vencedores». MdeMulher - Abril. Consultado em 1 de agosto de 2016. 
  49. José Armando Vannucci (21 de janeiro de 2010). «EXCLUSIVO: Record revê projeto e terá apenas um horário de novelas no primeiro semestre de 2010». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011. 
  50. José Armando Vannucci (21 de janeiro de 2010). «Record confirma em "Comunicado à Imprensa" linha de shows às 23h assim que acabar "Poder Paralelo"». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011. 
  51. «Cuidado con el Ángel será a próxima novela da Record». Blog do Daniel Castro. R7.com. 26 de janeiro de 2010. Consultado em 6 de março de 2011. 
  52. José Armando Vannucci (10 de junho de 2010). «Record volta atrás, cancela novela em pré-produção e anuncia que "Rebelde" é a sua nova aposta». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011. 
  53. José Armando Vannucci (21 de janeiro de 2010). «Record define nova novela "mexicobrasileira", mas ainda não tem previsão para estreia». Parabólica. Jovem Pan. jovempan.uol.com.br. Consultado em 6 de março de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]