Belmonte (freguesia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Belmonte 
  Freguesia portuguesa extinta  
Vila de Belmonte com brasão e o seu castelo em fundo
Vila de Belmonte com brasão e o seu castelo em fundo
Brasão de armas de Belmonte
Brasão de armas
Belmonte 04.PNG
Belmonte está localizado em: Portugal Continental
Belmonte
Localização de Belmonte em Portugal Continental
Coordenadas 40° 21' 30" N 7° 21' 05" O
Concelho primitivo Belmonte (Portugal)
Concelho (s) atual (is) Belmonte (Portugal)
Freguesia (s) atual (is) Belmonte e Colmeal da Torre
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
- Total 27,32 km²
População (2011[1])
 - Total 3 183
    • Densidade 116,5 hab./km²
Orago São Tiago

Belmonte foi uma freguesia portuguesa do concelho de Belmonte, com 30,91 km² de área e 3 183 habitantes (2011). Densidade: 103 hab/km².

Era uma das poucas freguesias portuguesas territorialmente descontínuas, consistindo em duas partes de extensão muito diferente: a parte principal (concentrando 90% do território da freguesia, incluindo a vila sede do concelho homónimo) e um pequeno exclave (lugar de Gaia) a norte, separado do corpo principal pela freguesia de Colmeal da Torre,[2][3] esta desanexada da freguesia de Belmonte em 1949.[4]

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido reagregada com a freguesia de Colmeal da Torre, restaurando o território da freguesia anterior à desanexação de 1949, mas agora sob a designação de União das Freguesias de Belmonte e Colmeal da Torre da qual é a sede.[5]

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Belmonte [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 773 1 875 2 084 2 376 2 768 2 745 3 258 3 947 3 005 2 827 2 293 2 503 3 046 3 227 3 183

Com lugares desta freguesia foi criada a freguesia de Colmeal da Torre (decreto lei nº 37.536, de 01/09/1949

Distribuição da População por Grupos Etários em 2001 e 2011
Idade 0-14 15-24 25-64 > 65 0-14 15-24 25-64 > 65
2001 507 407 1.619 694 15,7% 12,6% 50,2% 21,5%
2011 429 332 1.706 716 -15,4% -18,4% 5,4% 3,2%

História[editar | editar código-fonte]

Os vestígios mais antigos da presença humana no concelho remontam à Pré-história, no entanto são da época romana o maior número de testemunhos dessa presença.

A importância de Belmonte no contexto da História de Portugal releva da Idade Média, tendo-lhe sido concedida Carta de Foral em 1199 por D. Sancho I, que quereria "povoar e restaurar", assegurando, desta forma, o controlo político da região para a Coroa Portuguesa. Simultaneamente, e uma vez que se tratava de uma zona de fronteira com o Reino de Leão, iniciava-se a construção de reduto fortificado que nos finais do século XIII, a pedido do Bispo de Coimbra, a cujo senhorio pertencia, é transformado em castelo, sendo então construída a Torre de Menagem.

Nesse período, Belmonte é já uma vila em franco desenvolvimento, justificando a existência de duas igrejas (S. Tiago e Stª. Maria) e uma sinagoga. Este crescimento será travado com as Guerras fernandinas e a Crise de 1383-1385, que obrigam D. João I a conceder a Belmonte Carta de Couto, logo em 1387, a pedido do Bispo de Coimbra que nos disse que "o seu castello de bellmonte he muy despouado por rezam desta guerra".

Igreja S.Tiago, localiza-se na zona histórica perto do Castelo.

Entre 1397 e 1398, D. João nomeou o primeiro alcaide do castelo, escolhendo Luís Álvares Cabral, que herdara em Belmonte o morgadio instituído por sua tia Maria Gil Cabral, mas é só em 1466, que a família Cabral se fixa definitivamente em Belmonte, aquando da doação a título hereditário da Alcaidaria-mor do Castelo a Fernão Cabral, membro do Conselho de D. Afonso V.

No século XVI Belmonte dará de novo um contributo importante para a história de Portugal através de Pedro Álvares Cabral que, em 1500, comandou a 2.ª Armada à Índia e durante a sua missão descobriu o Brasil. Refira-se ainda a prestigiada figura de D. Jorge Cabral, que teve vários cargos importantes durante o século XVI, nomeadamente o de Governador da Índia entre 1549 e 1550.

Antigas freguesias que deram origem à União das Freguesias de Belmonte e Colmeal da Torre (Belmonte).

Em 1510, D. Manuel concede nova Carta de Foral, reconhecendo a sua importância política e económica. Belmonte era então uma comunidade rural, dependente da pecuária e da agricultura, com algum comércio, que todavia terá sido prejudicado pelo Édito de Conversão dos Judeus em 1496, e responsável pelo surgimento de uma comunidade cripto-judaica que resistirá às perseguições da Inquisição, até ao nosso século.

O Século XIX, é marcado pela disputa de lugares políticos da Câmara e das Juntas da Paróquia.

Com a reforma administrativa de 1855, o concelho de Belmonte composto até então, pelas Freguesias de Maçainhas e Inguias é alargado ao Concelho de Caria, autónomo da Covilhã desde 1644. Em 1947 a freguesia de Belmonte é dividida, surgindo a nova freguesia de Colmeal da Torre e ficando o Concelho com cinco freguesias, situação que se manteve até 2013, ano em que passou para quatro freguesias.

Património[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Belmonte (freguesia)

Notas e Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Centro". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 28 de Fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Instituto Geográfico do Exército (cartografia): Limites da antiga freguesia de Belmonte
  3. Google Maps (satélite/mapa): Limites da antiga freguesia de Belmonte
  4. Criação da Freguesia de Colmeal da Torre: Diário do Governo, I Série, n.º 191, Decreto-Lei n.º 37536/49, de 1 de Setembro.
  5. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]