Ben Wallace

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ben Wallace
Informações pessoais
Nome completo Ben Camey Wallce
Data de nasc. 10 de setembro de 1974 (44 anos)
Local de nasc. White Hall, Alabama,
Altura 2,06 m
Peso 110 kg
Apelido Big Ben, The body,

The Fro, The beast,
Debo

Informações no clube
Posição Pivô, Ala Pivô
Clubes de juventude
*Cuyahoga CC (1992–1994)*
Virginia Union (1994–1996)
Clubes profissionais
Ano Clubes Partidas (pontos)
1996-1999
1999-2000
2000-2006
2006-2008
2008-2009
2009-2012
Washington Bullets
Orlando Magic
Detroit Pistons
Chicago Bulls
Cleveland Cavaliers
Detroit Pistons

Ben Camey Wallace (10 de setembro de 1974), também conhecido como Big Ben, é um ex-jogador de basquete profissional, que atuou em diversas franquias da NBA. Nascido em White Hall, Alabama o jogador atendeu as universidades de Cuyahoga Community College e Virginia Union University.

Após não ser draftado no Draft de 1996 da NBA, ficou disponível como um agente livre da NBA, onde assinou com o Washington Bullets (atual Washington Wizards). No futuro o jogador jogou por mais franquias como Orlando Magic, Detroit Pistons, Chicago Bulls e Cleveland Cavaliers.

Apelidado de "Debo" e "Body" jogou nas posições de Ala Pivô e Pivô. Ganhou 4 vezes o prêmio NBA Defensive Player of the Year (Jogador Defensivo do Ano), alcançando Dikembe Mutombo. Wallace foi considerado como uma das peças-chave para o sucesso do Detroit Pistons no início dos anos 2000, onde jogou por nove temporadas(2000–2006; 2009–2012) e nelas foi 2x para as Finais da NBA, foi 4x All Star e campeão na temporada de 2003-2004. E até hoje é lembrado por fãs de basquete como um dos melhores defensores da história e é exemplo de trabalho duro e ética pois foi de não draftado para All Star e campeão da NBA, com seus vários recordes.

Juventude[editar | editar código-fonte]

Wallace nasceu na cidade de White Hall, Alabama e tem 10 irmãos. Ele cursou o ensino médio em Central High School. Além de basquete, Ben jogava também Baseball e Futebol Americano por quais recebeu várias honras e prêmios pelo estado.

No basquete Ben Wallace jogava na posição 4 ou 5 (Ala Pivô e Pivô), porém seus treinadores o consideravam muito baixo para sua posição e inclusive já o fizeram jogar de Ala Armador.

Wallace era visto como um jovem com muito potencial, inclusive por jogadores da NBA como Charles Oakley, que conheceu Ben em 1991 em um camp de basquete e virou seu mentor, o recomendando a universidade de Virginia Union no qual Charles havia também ingressado.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Colegial[editar | editar código-fonte]

Ben começou sua carreira colegial em Cuyahoga Community College, em Ohio, onde jogou por 2 anos. Porém suas estatísticas defensivas eram além do normal, tendo médias de 17 rebotes e quase 7 tocos por partida, sendo assim transferido para Virginia Union, onde estudou Justiça Criminal e ingressou no time da segunda divisão da NCAA pelo Virginia Union Panthers.

Wallace teve médias de 13.4 pontos e 10.0 rebotes por partida em sua carreira universitária e liderou os Panthers para o Final Four da segunda divisão com o recorde de 28-3. Foi nomeado First-Team All CIAA e escolhido First Team All-American (Div. II) pela NABC.

Wallace se ingressou no Draft de 1996, mas não foi escolhido por nenhum time, tornando-se assim, um agente livre não draftado. Ben decidiu assinar com o time italiano Viola Reggio Calabria, mas após duas semanas no time, recebeu uma ligação do Washington Bullets, que ofereceram um contrato pelo jogador.

Carreira na NBA[editar | editar código-fonte]

Washington Bullets/Wizards (1996-1999)[editar | editar código-fonte]

Ben Wallace apareceu em apenas 34 partidas pelo Washington na temporada de 1996-1997 jogando apenas 5.8 minutos por partida. No ano seguinte, o jogador apareceu em 67 partidas e destas, 16 foram como titular, porém não teve médias muito chamativas com 3.1 pontos e 4.8 rebotes por partida. Teve médias de 1.1 tocos por partida e sua defesa começou a ter um desempenho significante. Em sua terceira temporada pelo Washington seus minutos por partida tiveram um considerável aumento, Wallace jogou 26.8 minutos por partida e foi titular em 16 dos 46 jogos, suas médias defensivas foram boas com 2 tocos 1.1 roubos e 8.3 rebotes por partida.

No dia 11 de agosto na free agency de 1999 Wallace foi trocado para o Orlando Magic a troca envolveu:

Washington Wizards: Ben Wallace, Terry Davis, Tim Legler e Jeff McInnis

Orlando Magic: Isaac Austin.

Orlando Magic (1999-2000)[editar | editar código-fonte]

Em sua temporada pelo Orlando, Wallace disputou e foi titular em 81 partidas, com 24.2 minutos por jogo teve médias de 4.8 pontos, 8.2 rebotes, 1.6 tocos e 0.9 roubos de bola por jogo, embora seu tempo de jogo tenha aumentado, suas estatísticas não pareciam progredir, e no final da temporada foi novamente parte de uma troca, desta vez para o Detroit Pistons, esta troca mudaria sua carreira completamente.

Dia 3 de agosto de 2000 ocorreu a troca, ela envolveu:

Orlando Magic: Ben Wallace e Chucky Atkins.

Detroit Pistons: Grant Hill.

Detroit Pistons (2000-2006)[editar | editar código-fonte]

Evolução ao topo[editar | editar código-fonte]

Primeira Temporada (00'-01')[editar | editar código-fonte]

Segundo especialistas a troca que levou Big Ben para o Pistons foi boa apenas para o Orlando que conseguiu Grant Hill, especialistas não tinham nenhuma expectativa para sua carreira, não era esperado que um jogador que havia sido undrafted iria evoluir tão rápido. Sua evolução foi enorme, que aos 26 anos de idade em sua primeira temporada vestindo a camisa do Pistons, Wallace finalizou a temporada em 2° lugar na liga em rebotes por partida(1°em rebotes totais) com 13.2 rebotes 1.3 roubos de bola e 2.3 tocos jogando de titular 80 partidas com 34.5 minutos por jogo, terminando a temporada em 5° lugar na votação de Jogador Defensivo do Ano . Porém o Pistons não conseguiu chegar aos Playoffs terminando com um recorde de 32-50.

Segunda Temporada (01'-02')[editar | editar código-fonte]

Sua segunda temporada representando Detroit foi ainda melhor onde em 80 partidas jogando de titular, com 36.5 minutos por partida, ele teve medias de:

OBS:
Negrito
Liderou a Liga

7.6 Pontos, 13.0 Rebotes, 3.5 Tocos, 1.7 Roubos de Bola, 53% de aproveitamento de quadra, 93 Defensive Rating, 278 Tocos Totais

Sua forte performance deu a ele o seu primeiro NBA Defensive Player of the Year Award, e garantiu sua primeira escolha ao All-Defensive First Team(melhor quinteto defensivo) e ainda All-NBA Third Team(3° melhor quinteto da liga) e ficou em Top 10 na votação para MVP. Sua forte performance pela franquia liderou o time ao recorde de 50-32 e aos playoffs de 2002, elimando o Toronto Raptors no 1° Round, porém sendo eliminados nas semifinais de conferencia pelo Boston Celtics de Paul Pierce. "Debo" com seu forte e dominante físico conseguiu pegar 20 ou mais rebotes 2x em um total de 10 jogos em seu primeiro Playoffs.

Terceira Temporada (02'-03')[editar | editar código-fonte]

A sua terceira temporada com o Pistons resultou em outra bela performance, terminando a temporada com seu segundo NBA Defensive Player of the Year Award, All Defensive First Team e dessa vez foi escolhido ao All-NBA Second Team, aumentando ainda mais seu número de rebotes por jogo para 15.4, liderando a liga. Sendo recebendo o número de votos necessitados para ser pivô titular no All Star da NBA pela primeira vez em sua carreira.

O Pistons ganhou novamente 50 partidas na temporada e eliminou o Orlando Magic no Primeiro Round dos Playoffs, em uma série de 7 partidas voltando de 3-1, Wallace teve médias de 11.1 Pontos, 17.9 Rebotes, 3.1 Roubos de Bola e 3.3 Tocos por partida no primeiro Round.

No Round 2 dos playoffs os Pistons eliminaram o Philadelphia 76ers (Wallace 13.8 Reb / 2.5 Tocos / 2.2 Roubos por jogo)

Finalmente chegam nas finais de conferencia do Leste, enfrentando o New Jersey Nets (atual Brooklyn Nets) de Jason Kidd, as séries não duraram muito, com o Pistons sendo varrido pelo Nets 4-0, mesmo com ótimas médias de Wallace com 9 Pontos 17.3 Rebotes 1.8 Roubos e 3.5 Tocos.

Nesses Playoffs Wallace terminou com uma média de 16.3 Rebotes 3.1 Tocos e 2.5 Roubos de Bola, pegando 20 ou mais rebotes 4 vezes

Campeão da NBA e retorno as Finais[editar | editar código-fonte]

Quarta Temporada (03'-04')[editar | editar código-fonte]

Durante a temporada de 2003-04, Wallace continuou provando ser um dos melhores Big Mans da liga, teve sua melhor média de pontos na carreira 9.5 e continuou no rank entre os melhores reboteiros (12.4 por partida) e mesmo tendo médias de 3.2 tocos por partida e com o melhor Defensive Rating da História da NBA de 87.48, Wallace não ganhou o seu 3° DPOY seguido ficando atrás de Ron Artest. Foi nomeado ao All Defensive First Team e ao All-NBA Second Team.

Nesta temporada o Pistons tinha um time novo, estrelas como Rasheed Wallace e o novo treinador Larry Brown se juntaram ao time e contando com jogadores como Chauncey Billups, Richard Hamilton e Tayshaun Prince não foi díficil para o time terminar a temporada com 54 vitórias.

Nos Playoffs o Pistons facilmente passou pelo Milwaukee Bucks em 5 partidas no primeiro Round. O Pistons passou para o Segundo Round e teriam que enfrentar o time que os eliminou na temporada passada por 4-0, New Jersey Nets. Mesmo ganhando as 2 primeiras partidas, perderam 3 seguidas e ficaram em uma precária condição de 3-2, se o Nets ganhasse mais uma partida, eliminaria o Pistons e seguiria para as Finais de Conferencia. Pistons e Wallace com seus 20 rebotes responderam com uma vitória em New Jersey para igualar as séries e no futuro ganhar o jogo 7 abrindo o caminho para as Finais de Conferencia do Leste.

Seguindo para as Finais de Conferencia o Pistons iria enfrentar o Indiana Pacers de Reggie Miller e do atual Defensive Player of the Year Ron Artest, a defesa do Pistons e de Big Ben Wallace se provou ser a melhor com o Pistons avançando para as Finais da NBA após eliminar o Pacers por 4-2 na série.

Detroit não chegava às Finais da NBA desde 1990. E desta vez iria enfrentar o super poderoso Los Angeles Lakers, que contavam com Shaquille O'Neal, Kobe Bryant, Rick Fox e os experientes Karl Malone, Gary Payton, que estavam a procura de seu 4° título seguido. Lakers eram os favoritos ao título, porém não esperavam a total tranca de Shaq por Wallace, Pistons mostrou a importancia da defesa e dominou totalmente os favoritos ao título em uma série onde o Lakers ganhou apenas 1 partida diante da nova era dos badboys de Detroit. Chauncey Billups foi o Finals MVP. Wallace nesses playoffs teve a Defensive Rating de 84, a melhor da História dos Playoffs.

O Pistons, em sua arena -The Palace of Auburn Hills- começaram com a tradição de soar um sino sempre que "Big Ben" enterrasse ou desse um toco, em referencia ao Big Ben original, em Londres.

Estatísticas de Ben Wallace nos playoffs:

Estatísticas por Round dos Playoffs (média por partida)
Round Time contra Pontos Rebotes Tocos Roubos de Bola Recorde da Série
1 Milwaukee Bucks 10.6 13.4 3.0 2.6 4-1
2 New Jersey Nets 11.7 14.3 2.4 2.3 4-3
3 Indiana Pacers 7.8 15.5 3.2 1.0 4-2
Finais da NBA Los Angeles Lakers 10.8 13.6 1.0 1.8 4-1 Campeão da NBA

Quinta Temporada (04'-05')[editar | editar código-fonte]

Após celebrações da volta do título a cidade de Detroit, o Pistons teve que ficar pronto para a próxima temporada uma que seria ainda mais dificil, com a evolução do time e criação do que seria uma futura dinastia: o San Antonio Spurs.

Durante a temporada regular, em uma partida no final do mês de Novembro, Pistons enfrentou o Indiana Pacers, no qual a partida acontecia normalmente até que Wallace pega um rebote ofensivo e pula para enterrar e Ron Artest o empurra por trás. Ben, considerando isso como uma jogada suja empurra Artest com as duas mãos fazendo o jogador perder o controle o começando assim a maior briga da história da NBA, onde inclusive a plateia se envolveu fisicamente. Metta World Peace foi suspenso até o fim da temporada, Ben Wallace foi suspenso por 6 partidas e seu irmão, David Wallace, recebeu a sentença de 1 ano de serviço comunitário por dar um socos em jogadores do Pacers, na platéia.

Big Ben Wallace terminou a temporada de maneira consistente o novamente dominante, com médias de 9.7 pontos, 12.2 rebotes, 2.4 tocos e 1.4 roubos de bola por partida. Sendo novamente selecionado para o All Star Game, pela terceira vez em sua carreira. Ganhou o seu 3° premio NBA Defensive Player of the Year Award, pela 4° vez escolhido ao All Defensive First Team e pela 2ª vez escolhido ao All-NBA Third Team. Colaborando com o recorde de seu time de 54-28 e classificando novamente aos playoffs em busca da defesa de seu título para a possibilidade de ser Back to Back Champions.

E como esperado, chegaram nas finais derrotando Philadelphia Sixers (4-1), Indiana Pacers (4-2), e o futuro campeão de 2006: Miami Heat (4-3) que havia acabado de

contratar Shaquille O'Neal, que novamente não páreo para Ben. Pistons estão novamente nas finais, e desta vez contra o San Antonio Spurs, liderados por Tim Duncan, o francês Tony Parker e pelo argentino Manu Ginobili. A série foi muito disputada levando ao Game 7 a ser disputado na cidade de San Antonio, e Detroit Pistons não foi capaz de encontrar uma resposta para Tim Duncan, que foi o MVP das Finais. Wallace teve médias de 10 pontos e 11.3 rebotes nos playoffs e 10.7 pontos 10.3 pontos e 3.0 tocos nas finais.

Sexta e última temporada com o Pistons (05'-06')[editar | editar código-fonte]

Com 31 anos de idade jogou todas as 82 partidas(liderando a liga em games played) com 35.2 minutos por jogo. E teve médias de 7.3 pontos 11.3 rebotes 1.8 roubos de bola e 2.2 tocos por partida. Foi nomeado All Star pela 4ª vez na carreira, ganhou pela 4ª vez o troféu de DPOY, se igualando a Dikembe Mutombo e sendo os únicos da história da NBA com 4 Troféus de Jogador Defensivo do Ano. Foi novamente escolhido ao All-NBA 2nd Team e All Defensive 1st Team, Big Ben criou a No Fly Zone no Pistons, ele era um perigo quando estava no garrafão, jogadores sempre preferiam o arremesso para evitar contato com Ben Wallace.

Agora com Flip Saunders de treinador, Pistons chega a 64 vitórias na temporada, e vão fortemente para as finais de conferencia, para enfrentar o Miami Heat de Shaq e Dwyane Wade, desta vez não podendo contar com as lesões de Wade, são eliminados em uma série que durou 6 jogos.

Suas médias decaíram e nos playoffs ficou com 10.5 rebotes 1.2 tocos e 1.3 roubos de bola

Desentendimento[editar | editar código-fonte]

Joe Dumars, presidente de operações do Pistons, prometeu a Wallace que quando seu contrato acabasse, ofereceria o mais valoroso contrato de todos os tempos da franquia, e Ben insinuou que todo esse carinho já bastava para renovar o contrato, faltava apenas a assinatura. Dumars cumpriu a promessa e aumentou a proposta de U$48 milhões para U$50 milhões, a mais cara da história do time de Detroit. Todavia, apesar da integridade da equipe, Wallace assinou no dia 3 de julho de 2006 um contrato com o Chicago Bulls no valor de U$60 milhões por 4 anos de compromisso. Ele culpou como um dos fatores para sua saída a relação com o treinador, Flip Saunders, que nao estava bem. Outro caso de desentendimento foi no vestiário do Pistons, os jogadores se desentenderam com Ben Wallace ao ver que a soma de todos deles não davam um de Ben.

Chicago Bulls[editar | editar código-fonte]

Ben Wallace chegou com status de Estrela em Chicago, não só por seu salário, mas também porque estava em alta na liga e ao lado de promessas da equipe reascendeu a esperança do torcedor. Porém com o passar do tempo, o Bulls se deparou com a realidade: Ben é um jogador extremamente sólido na defesa, forte e rápido, podendo garantir rebotes e dominância dentro do garrafão. Já na parte ofensiva agora é um jogador muito debilitado, graças a idade, e inclusive com a negativa marca de 41% de efetividade nos lances livres. Porém não impediu o jogador de provar sua eficiência no lado de defensivo da quadra, acabando a temporada com 2 tocos e 1.4 roubos de bola por partida e seu eficiente Defensive Rating de 95, e garantindo sua escolha ao 2nd All NBA Defensive Team.

O Bulls ja contava também com estrelas como Ben Gordon e Luol Deng em seu elenco e ganham 49 jogos na temporada se classificando para os Playoffs, onde no primeiro round caiu contra o atual campeão Miami Heat, a quarta temporada seguida que Wallace vai frente a frente com Shaquille O'Neal nos playoffs e chocaram Miami e os fãs da NBA ganhando a série por 4-0 e varrendo o atual campeão. Adiante nos Playoffs, no segundo round, Wallace cai contra o seu antigo time Detroit Pistons e dessa vez são eliminados por 4-2.

Chicago Bulls procura uma melhoria no time para a próxima temporada, porém começam ela com um recorde decepcionante de 9-16, o treinador Skiles é demitido e após 50 partidas Ben Wallace faz parte de uma enorme troca para o Cleveland Cavaliers.

Durante sua curta carreira de duas temporadas pelo Chicago, The Beast teve médias de 6 pontos, 2 tocos, 1.5 roubos e 10 rebotes.

Wallace em sua curta carreira no Cavs

Cleveland Cavaliers[editar | editar código-fonte]

LeBron James, estrela do Cleveland Cavaliers, chateado com a apatia da direção da franquia para fortalecer o time para os Playoffs, foi surpreendido, como todos os que acompanham a liga, com a troca envolvendo 9 jogadores e 3 franquias no último dia válido para trocas entre equipes da temporada 2007-2008.

Os Cavaliers já apresentavam Zydrunas Ilgauskas como o seu pivô titular da equipe, então o técnico Mike Brown levou Wallace à posição de Power Forward(ala pivo). Wallace jogou os 22 jogos da temporada regular (todos de titular) que faltavam para o fim da temporada e obteve uma média de 4,2 pontos, 7,4 rebotes e 1,7 bloqueios por jogo. Wallace seu season high foi de 15 rebotes contra o Charlotte Bobcats e deu quatro tocos contra o Orlando Magic. Nos playoffs, Wallace jogou em 13 jogos (todos de titular) e obteve uma média de 3,2 pontos, 6,5 rebotes e 1,1 blocos por jogo. Seu maior número de rebotes nos playoffs foi de 12, na vitória do jogo 4 contra o Washington Wizards na primeira rodada dos playoffs com o Cavaliers varrendo os Wizards. A série seguinte seria contra o Boston Celtics. A série iria para 7 jogos, com o Celtics ganhando o jogo final em casa e Wallace não conseguindo registrar rebotes de dois dígitos na série.

Mesmo em poucos minutos, Wallace teve um impacto significativo na defesa dos Cavaliers. Antes do primeiro jogo de Wallace com os Cavaliers contra o Memphis Grizzlies, Cleveland tinha permitido 98,2 pontos por jogo em 55 jogos . Depois de adquirir Wallace, a defesa do Cleveland terminou a temporada permitindo 96,7 pontos por jogo, a 9ª melhor marca do campeonato. Nos Playoffs de 2008, a defesa do Cavs melhorou muito, mantendo os oponentes em 87,8 pontos por jogo e postando um Defensive Rating de 102,1. O Cavaliers ficou em primeiro lugar entre todas as 16 equipes em ambas as categorias defensivas para os playoffs, à frente até mesmo do Celtics liderado por Kevin Garnett, o jogador defensivo do ano.

Em 25 de junho de 2009, Wallace foi negociado para o Phoenix Suns com Sasha Pavlović, uma segunda rodada de draft e $ 500k em troca de Shaquille O'Neal. Em 13 de julho de 2009, o Suns comprou o contrato de US $ 14 milhões de Wallace. E ele retornou ao mercado de Free Agent

O Retorno aos Pistons[editar | editar código-fonte]

Em 7 de agosto de 2009, Wallace concordou em voltar a assinar com os Pistons como um agente livre para um contrato de um ano. Ele antigamente usava a camisa de número 3 com os Pistons, mas mudou de camisa para No. 6 em seu retorno, permitindo Rodney Stuckey para manter esse número. Em 11 de julho de 2010, Wallace concordou com um contrato de dois anos com o Pistons. Em 4 de agosto de 2010, Wallace re-assinou com os Pistons. Em 30 de novembro de 2010, em uma derrota por 90-79 para o Orlando Magic, Wallace ultrapassou a marca de 10.000 rebotes na sua carreira, tornando-se o 34º jogador na história da NBA a atingir essa marca. Em 22 de dezembro de 2010, na vitória por 115-93 contra o Toronto Raptors, Wallace jogou seu 1000º jogo e se tornou o jogador 95º na história da NBA a alcançar este recorde. Em 14 de fevereiro de 2012, Wallace jogou sua partida de número 1.055, passando o recorde de Avery Johnson como o jogador que mais disputou jogos e que não foi draftado.

No dia 16 de Janeiro de 2016, o Detroit Pistons aposentou a clássica camisa de número 3 usada por Ben Wallace em seus anos de auge.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

LEGENDA
 PJ  Partidas jogadas  PI  Partidas iniciadas  MPJ  Minutos por jogo  AP  Arremessos de quadra (%)
 3P  Arremessos de 3 pontos (%)  LL  Lances-livre (%)  RT  Rebotes por jogo  AS  Assistências por jogo
 BR  Roubos de bola por jogo  TO  Tocos por jogo  PPJ  Pontos por jogo  Negrito  Melhor da carreira

Temporada regular[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPP %TC %3P %TL RPP APP ROB TPP PPP
1996–97 Washington 34 0 5.8 .348 .000 .300 1.7 .1 .2 .3 1.1
1997–98 Washington 67 16 16.8 .518 .000 .357 4.8 .3 .9 1.1 3.1
1998–99 Washington 46 16 26.8 .578 .000 .356 8.3 .4 1.1 2.0 6.0
1999–00 Orlando 81 81 24.2 .503 .000 .474 8.2 .8 .9 1.6 4.8
2000–01 Detroit 80 80 34.5 .490 .250 .336 13.2 1.5 1.3 2.3 6.4
2001–02 Detroit 80 80 36.5 .531 .000 .423 13.0 1.4 1.7 3.5 7.6
2002–03 Detroit 73 73 39.4 .481 .167 .450 15.4 1.6 1.4 3.2 6.9
2003–04 Detroit 81 81 37.7 .421 .125 .490 12.4 1.7 1.8 3.0 9.5
2004–05 Detroit 74 74 36.1 .453 .111 .428 12.2 1.7 1.4 2.4 9.7
2005–06 Detroit 82 82 35.2 .510 .000 .416 11.3 1.9 1.8 2.2 7.3
2006–07 Chicago 77 77 35.0 .453 .200 .408 10.7 2.4 1.4 2.0 6.4
2007–08 Chicago 50 50 32.5 .373 .000 .424 8.8 1.8 1.4 1.6 5.1
2007–08 Cleveland 22 22 26.3 .457 .000 .432 7.4 .6 .9 1.7 4.2
2008–09 Cleveland 56 53 23.5 .445 .000 .422 6.5 .8 .9 1.3 2.9
2009–10 Detroit 69 67 28.6 .541 .000 .406 8.7 1.5 1.2 1.2 5.5
2010–11 Detroit 54 49 22.9 .450 .500 .333 6.5 1.3 1.0 1.0 2.9
2011–12 Detroit 62 11 15.8 .395 .250 .340 4.3 .7 .8 .8 1.4
Total 1088 912 29.5 .474 .137 .414 9.6 1.3 1.3 2.0 5.7
All-Star 4 2 21.5 .400 .000 .000 7.0 .5 2.0 1.2 3.0

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPP %TC %3P %TL RPP APP ROB TPP PPP
2001–02 Detroit 10 10 40.8 .475 .000 .436 16.1 1.2 1.9 2.6 7.3
2002–03 Detroit 17 17 42.5 .486 .000 .446 16.3 1.6 2.5 3.1 8.9
2003–04 Detroit 23 23 40.2 .454 .000 .427 14.3 1.9 1.9 2.4 10.3
2004–05 Detroit 25 25 39.2 .481 .000 .461 11.3 1.0 1.7 2.4 10.0
2005–06 Detroit 18 18 35.7 .465 .000 .273 10.5 1.7 1.3 1.2 4.7
2006–07 Chicago 10 10 36.9 .566 .000 .500 9.5 1.4 1.5 1.7 8.7
2007–08 Cleveland 13 13 23.4 .515 .000 .350 6.5 1.2 .6 1.1 3.2
2008–09 Cleveland 14 0 12.6 .615 .000 .000 2.7 .3 .3 .3 1.1
Total 130 116 34.8 .482 .000 .418 11.2 1.3 1.5 1.9 7.2

Premiações, Honras e Recordes[editar | editar código-fonte]

Prêmios e Honras[editar | editar código-fonte]

  • Campeão da NBAː 2003-04
  • 4 aparições no NBA All-star Game (Jogo das estrelas): 2002-03, 2003-04, 2004-05 e 2005-06
  • 4 vezes NBA Defensive Player of the Year (Melhor Defensor do ano): 2001-02, 2002-03, 2004-05 e 2005-06
    Wallace e seu time recebendo honras do presidente na Casa Branca após o título em 2004
  • 6 vezes NBA All-Defensive Team (Equipe Defensiva):
  • 5 vezes All-NBA Team:
  • Duas vezes líder da NBA em rebotes por jogo: 2001-02 (13.0), 2002-03 (15.4)
  • Líder da temporada regular em média de tocos: 2001-02 (3.5)
  • 2 vezes líder da temporada regular em rebotes totais: 2000-01 (1052), 2002-03 (1026)
  • Líder da temporada regular em rebotes defensivos: 2000-01 (749)
  • 2 vezes líder da temporada regular em rebotes ofensivos: 2002-03 (293), 2005-06 (301)
  • Líder da temporada regular e média de tocos: 2001-02 (278)
  • Jogador capa do jogo NBA 2k5
  • Aposentou a sua camisa de número 3 com o Detroit Pistons
  • Hall da Fama de Michigan: 2016

Recordes da NBA[editar | editar código-fonte]

  • Único jogador na história da NBA a registrar 1.000 rebotes, 100 bloqueios e 100 roubadas de bola em 4 temporadas consecutivas (2001-2004).
  • Um dos três únicos jogadores na história da NBA a registrar 150 tocos e 100 roubos de bola em 7 temporadas consecutivas (2001-2007) (junto com Hakeem Olajuwon e David Robinson).
  • Um dos cinco únicos jogadores na história da NBA a liderar a liga em médias de rebotes e tocos por partida na mesma temporada (junto com Kareem Abdul-Jabbar, Bill Walton, Hakeem Olajuwon e Dwight Howard).
  • Um dos três únicos jogadores na história da NBA com média de 15 rebotes e 3 tocos por jogo ao longo de uma temporada (junto com Kareem Abdul-Jabbar e Bob McAdoo).
  • Único jogador undrafted na história da NBA votado para ser titular no All-Star Game da NBA.
  • Um dos dois jogadores da história da NBA a receber o prêmio de Jogador do Ano Defensivo da NBA 4 vezes (junto com o Dikembe Mutombo).

Recordes da franquia do Detroit Pistons[editar | editar código-fonte]

  • Mais arremessos bloqueados(tocos), de todos os tempos: 1.486 (2000–2006, 2009–2012)
  • Mais arremessos bloqueados em:
  • Maior média de tocos por partida de todos os tempos: 2.3 (2000–2006, 2009–2012)
  • Maior média de tocos por partida em uma temporada: 3.48 (2001–02)
  • Maior número de roubos de bola em uma partida nos playoffs: 7 (Game 4, 2003 Eastern Conference First Round)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ben Wallace