Benedetta Carlini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde fevereiro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde fevereiro de 2012).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde fevereiro de 2012). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Carlini (desambiguação).
Benedetta Carlini
Nascimento 1591
Morte 1661 (70 anos)
Pescia
Ocupação religioso, freira
Religião Igreja Católica

Benedetta Carlini (1591-1661) foi uma freira católica mística e lésbica, que viveu na Itália na época da Contra-Reforma. A escritora Judith C. Brown narrou sua vida no livro Atos impuros (1986), que discutiu os acontecimentos que levaram à sua importância arquivística para os historiadores da espiritualidade das mulheres e lesbianismo. A dramaturga e diretora canadense Rosemary Rowe escreveu uma peça sobre seu caso amoroso com a irmã Bartolomea, chamada de "Benedetta Carlini: Lésbicas da Itália renascentista".

Vida[editar | editar código-fonte]

Benedetta Carlini nasceu em uma família de classe média italiana, que foi capaz de lhe conceder um lugar em um convento razoavelmente confortável, o Convento de Madre de Deus, na localidade de Pescia. Já aos trinta anos, Benedetta tornou-se abadessa do convento. Após algum tempo, começou a relatar uma série de visões perturbadoras em que os homens estavam tentando matá-la. Receosa de que a Irmã Benedetta estava sendo assediada por entidades demoníacas, outras irmãs do convento designaram a Irmã Bartolemea para acompanhá-la diariamente. Depois disso, as visões cessaram, apesar de ela ainda alegar ter visitações sobrenaturais.

Este fato chamou a atenção do Papado, que na época atuava na Contrarreforma. Após cerca de 3 ou 4 visitas ao convento, todas seguidas de intensos interrogatórios, descobriu-se que Benedetta Carlini e Bartolemea eram amantes. De acordo com Bartolemea, ela e Irmã Benedetta mantinham relações sexuais há anos.

Começava o declínio de Benedetta. De acordo com o livro de Brown, Benedetta foi despojada de sua primazia como abadessa e em seguida, mantida sob guarda pelos 35 anos restantes de sua vida. Ela morreu em 1661, enquanto sua ex-amante, a irmã Bartolomea, morreu em 1660.

Referências

  • Judith Brown: Immodest Acts: The Life of A Lesbian Nun in Renaissance Italy: New York: Oxford University Press: 1986: ISBN 0-19-503675-1
  • E.Ann Matter: "Discourses of Desire: Sexuality and Christian Women's Visionary Narratives" in Journal of Homosexuality: 18/89(1989–1990): 119 - 132
  • Vanda (playwright): 'Vile Affections: Based on the True Story of Benedetta Carlini', 2006: (First produced at the NY International Fringe Festival, agosto, 2006. Recently translated into German.) see www.vandaplaywright.com