Benefício (psicanálise)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Em psicanálise, o benefício é um conceito proposto por Sigmund Freud segundo o qual a formação de sintomas permite ao individuo uma diminuição das tensões produzidas por uma situação de conflito, conforme o princípio do prazer.[1]

Freud distingue dois tipos de benefício: o benefício primário da doença, "solução cômoda no caso de um conflito psíquico", na medida em que "ela primeiro poupa um esforço"; e o benefício secundário, que seria um esforço do ego para compactuar com a doença já instalada.[1] Desde então, o ego se adaptaria ao sintoma como o faz ordinariamente com o mundo exterior, porém, esse esforço choca-se com um dos aspectos irredutíveis do sintoma, que é o de ser um substituto da moção pulsional recalcada, renovando continuamente sua exigência de satisfação e conduzindo o ego a uma nova luta defensiva.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c Grande Enciclopédia Larousse Cultural, Vol. 3, "Benefício", p.728. Editora Nova Cultural. ISBN 85-13-00757-9
Ícone de esboço Este artigo sobre psicanálise é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.