Beni Borja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Beni Carvalho de Oliveira Borja ou Carlos Beni ou Beni, (Rio de Janeiro, 21 de fevereiro de 1961) é um músico, compositor e produtor musical brasileiro.[1]

Entre 1980 e 1984 estudou Direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Em 1990, estudou Produção na Media School, em Londres.

Na PUC, conheceu Leoni, Paula Toller e George Israel, e formaram o grupo Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens. Atuou como baterista, compositor e empresário, sendo de sua autoria, vários sucessos da banda, como Fixação, Homem com uma missão e Hoje eu não vou. Deixou o grupo em 1984.

Alguns meses depois de deixar o Kid Abelha, produziu a primeira gravação do grupo Biquini Cavadão, uma demo-tape com as faixas Tédio e No Mundo da Lua que bem executado na Fluminense FM, despertou o interesse da gravadora Polygram , que contratou o grupo. Convidado pela gravadora produziu o single de Tédio ,com a participação de Herbert Vianna na guitarra.

O sucesso desse primeiro trabalho como produtor , levou-o a produzir o LP Cidades em Torrente ( 1985) , do qual se destacaram os sucessos Múmias (com participação de Renato Russo) e Timidez. Seguiu produzindo os discos do Biquini Cavadão , A Era da Incerteza (1987) , no qual se destacou a faixa 1/4 ( da qual Beni Borja é coautor ) e Ida e Volta , ( 1989) , que inclui os sucessos Meu Reino e Bem-vindo ao Mundo Adulto .

Á partir de 1990 , Beni acumula a função de produtor de discos com a de empresário do Biquini Cavadão , em 1991 produz o CD Descivilização, disco de maior sucesso da carreira do grupo, com hits como Vento Ventania (do qual é co-autor), Zé Ninguém e Impossível. Ainda produz para o Biquini Cavadão os discos Agora , lançado em 1994 pela Sony Music e Biquini.com.br lançado pela BMG-Ariola em 1998.

Trabalhou ainda como produtor para Universal Music, Sony Music, BMG, EMI Music e Warner. Produziu discos de vários artistas e grupos, entre eles Farofa Carioca, Leoni, Celso Blues Boy e Fernanda Abreu.

Entre 1990 e 1998 atuou como empresário artístico, produtor de espetáculos e diretor musical de Gabriel, o Pensador, Biquini Cavadão e Heróis da Resistência, entre outros.

Em 1999, descontente com os rumos da indústria fonográfica, aceita um convite da empresa norte-americana Gaylord Entertainnment, para assumir a direção musical do canal de TV a cabo Country Music Television no Brasil.

Em 2004 , volta a produção fonográfica com o seu selo independente Psicotronica , pelo qual lança os discos "Novo Mundo" do grupo Picassos Falsos e Atemporal da cantora Cris Braun.

Notas e referências

  1. «Beni Borja». dicionariompb.com.br. Consultado em 26 de outubro de 2012 
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.