Benjamin Rush

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Benjamin Rush
Benjamin Rush (pintura de Charles Wilson Peale, Independence National Historical Park
Nascimento 4 de janeiro de 1746
Byberry (América Britânica)
Morte 19 de abril de 1813 (67 anos)
Filadélfia
Sepultamento Christ Church Burial Ground
Cidadania Estados Unidos, Reino da Grã-Bretanha
Cônjuge Julia Stockton Rush
Filho(s) Richard Rush
Irmão(s) Jacob Rush
Alma mater
Ocupação químico, escritor, psiquiatra, médico, professor(a) universitário(a), político, proprietário de escravos
Prêmios
  • Membro da Academia Americana de Artes e Ciências
  • Membro da Academia Americana de Artes e Ciências (1788–)
Empregador Universidade da Pensilvânia
Coat of Arms of Benjamin Rush.svg
Causa da morte tifo
Assinatura
Benjamin Rush signature.png

Benjamin Rush (Byberry, 4 de janeiro de 1746Filadélfia, 19 de abril de 1813) foi um líder político, reformador social, humanitário, educador médico, escritor e educador norte-americano.[1] Foi um dos signatários da Declaração da Independência dos Estados Unidos.

Vida[editar | editar código-fonte]

Foi um fundador dos Estados Unidos que assinou a Declaração de Independência dos Estados Unidos e um líder cívico na Filadélfia e fundador do Dickinson College. Rush foi um delegado da Pensilvânia ao Congresso Continental. Sua autodescrição posterior foi: "Ele apontou para a direita".[2][3] Ele serviu como cirurgião geral do Exército Continental e tornou-se professor de química, teoria médica e prática clínica na Universidade da Pensilvânia.[4]

Rush foi um líder do Iluminismo americano e um entusiasta da Revolução Americana. Ele foi um líder na ratificação da Constituição dos Estados Unidos pela Pensilvânia em 1788. Ele foi proeminente em muitas reformas, especialmente nas áreas de medicina e educação. Ele se opôs à escravidão, defendeu escolas públicas gratuitas e buscou melhorar a educação para as mulheres e um sistema penal mais esclarecido. Como médico líder, Rush teve um grande impacto na emergente profissão médica. Como intelectual do Iluminismo, ele estava comprometido em organizar todo o conhecimento médico em torno de teorias explicativas, em vez de confiar em métodos empíricos. Rush argumentou que a doença era o resultado de desequilíbrios no sistema físico do corpo e era causada por disfunções no cérebro. Sua abordagem preparou o caminho para pesquisas médicas posteriores, mas Rush não realizou nada disso. Ele promoveu a saúde pública defendendo um ambiente limpo e enfatizando a importância da higiene pessoal e militar. Seu estudo de transtorno mental fez dele um dos fundadores da psiquiatria americana.[5] Em 1965, a American Psychiatric Association reconheceu Rush como o "pai da psiquiatria americana".[6]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Coleções de arquivo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Benjamin Rush» (em inglês). The Independence Hall Association. Consultado em 22 de fevereiro de 2014 
  2. Renker, Elizabeth M. (1989). «'Declaration-Men' and the Rhetoric of Self-Presentation». Early American Literature. 24 (2): 123 and n. 10 there. JSTOR 25056766 
  3. Rush, Benjamin (1970) [1948]. George Washington Corner, ed. The autobiography of Benjamin Rush; his Travels through life together with his Commonplace book for 1789–1813. Westport, CT: Greenwood Press 
  4. «Benjamin Rush (1746–1813)». University of Pennsylvania. Consultado em 20 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 10 de junho de 2011 
  5. Muccigrosso, Robert, ed. (1988). Research Guide to American Historical Biography. 3. [S.l.: s.n.] pp. 1139–42 
  6. Shorter, Edward (1997). A History of Psychiatry: From the Era of the Asylum to the Age of Prozac. [S.l.]: Wiley 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Benjamin Rush
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.