Bento Dias de Almeida Prado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Bento Dias de Almeida Prado, primeiro e único barão de Itaim (Itu, 16 de julho de 1821 — 1884) foi um nobre brasileiro.

Filho de Francisco de Almeida Prado e Maria Dias Pacheco de Almeida, casou-se com sua prima Ana de Almeida Prado.

Agraciado barão em 13 de março de 1885 pelo Imperador Dom Pedro II como reconhecimento ao seu ato de libertação dos escravos. Foi o primeiro abolicionista do Brasil, 4 anos antes da Abolição Oficial da Escravatura. Suas fazendas possuiam 113 escravos, que ganharam a liberdade sob a condição de continuarem 2 anos em suas propriedades, desta vez, como ASSALARIADOS. No mesmo ano, CONCEDEU aos ESCRAVOS LIBERTOS uma parcela dos RENDIMENTOS obtidos com a safra de açúcar. Nesta época ele também acumulou o cargo de Capitão da Guarda Municipal, atingindo o posto de Major em 1893. Também exerceu cargos públicos, cumprindo o mandato de Vereador, provedor da Santa Casa de Misericórdia de Itu e zelador do Hospital dos Lázaros. Foi um dos principais responsáveis pela implantação de iluminação pública de Itu. Em 1902 ajudou a fundar a Companhia Ituana de Força e Luz, contribuindo com 15,62 % dos gastos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.