Bento Mântua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bento Mântua
Nascimento 1878
Luanda
Cidadania Portugal
Ocupação escritor, dirigente esportivo

Bento Mântua (Luanda, 26 de Setembro de 1878 - Lisboa, 18 de Dezembro de 1932[1]) foi um dramaturgo e escritor português e o 10.º presidente do Sport Lisboa e Benfica (1917-1926).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Com mais de nove anos de exercício de funções, foi o segundo presidente com maior consulado na história do Sport Lisboa e Benfica, logo após Luís Filipe Vieira. O lançamento e conclusão do projecto Campo das Amoreiras, inaugurado em 6 de Dezembro de 1925, constituiu o marco mais importante dos seus mandatos e correspondeu, também, ao momento mais relevante e entusiástico vivido pelo clube até então.

A Bento Mântua, além de uma abnegada acção benemérita a favor do clube, particularmente nas obras das Amoreiras, ficou a dever-se, em 10 de Setembro de 1918, a realização do primeiro jogo nocturno de futebol, no campo da Avenida Gomes Pereira, o incentivo ao primeiro campeonato de hóquei em patins, onde chegou a oferecer os prémios, e a organização do torneio anual de atletismo inter-clubes, único que se realizou durante a Grande Guerra.

À semelhança de Félix Bermudes, Bento Mântua foi um homem de cultura, destacando-se como dramaturgo e escritor dramático. Há quem o considere[quem?] um dos criadores do teatro regionalista. Colaborou na publicação periódica "Atlântida" (1915-1920) e, também, no semanário "Azulejos"[2] (1907-1909).

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Novo altar: peça em 1 acto em verso: representada pela 1a. vez no Teatro Apolo de Lisboa, em 31 de Julho de 1905;
  • Má sina: peça em 3 actos: representada no Teatro Nacional Almeida Garrett em 11 de Abril de 1908;
  • O álcool: peça em um acto;
  • A morte: peça em 1 acto; Ordinário... marche!: peça em 3 actos (1915);
  • O fado: episódio em 1 acto: representado pela primeira vez na festa artística do actor Henrique Alves, no Teatro de S. Carlos em 15 de Março de 1915;
  • Theatro (1913);
  • Freira: episódio dramático em 1 acto (1916);
  • O crime da avenida 33: peça em 4 actos / Bento Mantua, Barreto da Cruz (1918);
  • O cêrco de Tanger: drama historico em 5 actos / Bento Mântua, António Sacramento Junior (1923);
  • Quem me dera ver: diálogo em verso (1932);
  • Daqui a 30 anos: futura cena de família: comédia em 1 acto (1932).

Futebol - 4 Títulos na 1ª Categoria[editar | editar código-fonte]

  • 2 Campeonatos de Lisboa (1917/1918 e 1919/1920))
  • 2 Taças de Honra (1919/1920 e 1921/1922)

Referências

  1. Centro de Estudos do Teatro (26 de Janeiro de 1999). «Ficha de Pessoa:Bento Mântua». Consultado em 8 de Março de 2018 
  2. Rita Correia (3 de Novembro de 2016). «Ficha histórica: Azulejos : semanario illustrado de sciencias, lettras e artes (1907-1909)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 28 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Soccer stub.svg Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.