Berbéria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa de situação das etnias berbéries. Como se pode observar no mapa, os berberiscos tinham uma presença importante na costa de Marrocos, Argélia e Tunísia.

Berbéria, Berberia,[1] Barbária, Costa berberisca, Costa berbere ou Costa barbaresca é o termo que os europeus utilizaram desde o século XVI até ao século XIX para se referirem às regiões costeiras de Marrocos, Argélia, Tunísia e Líbia, ou seja, o atual Magrebe, à exceção do Egito. O nome deriva dos berberes, então chamados berberiscos. No Ocidente, o termo normalmente é usado para falar dos piratas da Barbária e dos comerciantes de escravos, que povoavam essas costas e baseavam nestas atividades a sua economia e que representavam uma ameaça constante para as embarcações comerciais e inclusivamente as cidades costeiras do Mediterrâneo.[2]

"Berbéria" nem sempre foi uma entidade política unificada. A partir do século XVI em diante, ele foi dividido em entidades políticas familiares da Regência de Argel, Túnis, e Tripolitânia (Trípoli). Grandes governantes durante a época dos estados berberes saqueados foram os Paxá ou Dei de Argel, o Bei de Túnis e do Bei de Trípoli, todos os assuntos, que estavam ansiosos para livrar-se do sultão otomano, mas que eram de fato governantes independentes.[3]

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier. Topónimos e Gentílicos. Porto: Editora Educação Nacional, Lda., 1941. vol. I.
  2. «Enfrentamientos Canarias/Berbería» (em espanhol). Consultado em 2 de junho de 2012 
  3. Wikisource-logo.svg Vários autores (1911). «Barbary Pirates». In: Chisholm, Hugh. Encyclopædia Britannica. A Dictionary of Arts, Sciences, Literature, and General information (em inglês). 11.ª ed. Encyclopædia Britannica, Inc. (atualmente em domínio público) 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da África, integrado no Projeto África é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.