Bergfriedhof (Heidelberg)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Entrada principal

O Bergfriedhof é um cemitério multiconfessional em Heidelberg, localizado no bairro Südstadt

História[editar | editar código-fonte]

A área de aproximadamente 15 hectares foi projetada em 1842 pelo arquiteto jardineiro Johann Metzger. O cemitério foi inaugurado em 1844. O arquiteto adequou a paisagem do cemitério ao romantimo associado a Heidelberg, sendo este um dos mais belos cemitério da Alemanha. Localiza-se no sopé do Königstuhl, orientado para o leste.

O Crematório entrou em operação em 1891, sendo portanto depois de Gotha o mais antigo crematório da Alemanha. O crematório foi completamente renovado em 1990-1991. A cremação é feita com auxílio de um moderno forno elétrico, sendo instalado um sistema de filtragem em 2000.

Sepultamentos[editar | editar código-fonte]

Sepultura de Robert Bunsen

Diversas personalidades foram sepultadas no Bergfriedhof:

Monumentos lembram as vítimas dos campos de concentração de Auschwitz e Ravensbrück, as comunidades dizimadas durante o holocausto e os mortos da guerra franco-prussiana.

Junto ao Bergfriedhof localiza-se o cemitério judaico, com diversas personalidades históricas sepultadas. Após o retorno dos judeus, depois da Segunda Guerra Mundial, o cemitério judaico tornou-se novamente local de sepultamento de judeus.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hanna Grisebach: Der Heidelberger Bergfriedhof. Gräber und Gedenksteine. Fotos von Peter Seng. 1981, ISBN 3-920431-12-X
  • Leena Ruuskanen: Der Heidelberger Bergfriedhof, Kulturgeschichte und Grabkultur, Ausgewählte Grabstätten, Buchreihe der Stadt Heidelberg Band III. Verlag Brigitte Guderjahn, Heidelberg, 1992, ISBN 3-924973-45-8; 2. Auflage: Der Heidelberger Bergfriedhof im Wandel der Zeit. verlag regionalkultur, 2008. 288 Seiten. Peter Blum als Herausgeber. ISBN 978-3-89735-518-7 (Rund 200 Gräber von A (Karl Abel) bis Z (Reinhold Zundel) werden vorgestellt.)
  • Fritz Quoos: Heidelberg hat den Graimbergs viel zu verdanken. In Rhein-Neckar-Zeitung, Heidelberg, 2007:111:5 (Heidelberger Nachrichten) vom 15. Mai 2007. (In der Reihe über die städt. Ehrengräber, Folge 5)
  • Rudolf Schuler (Photos), Richard Henk (Text): Heidelberg. Braus, Heidelberg 1990, ISBN 3-921524-46-6

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cemitérios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons