Bernard Williams

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Bernard Arthur Owen Williams (21 de setembro de 192910 de junho de 2003) foi um filósofo moralista inglês. Williams nasceu no Essex, estudou no Balliol College de Oxford, e foi membro do corpo docente do All Souls e do New College. Foi professor de filosofia em Cambridge entre 1967 e 1979 e Reitor do King's College de Cambridge entre 1979 e 1987, altura em que aceitou uma cadeira em Berkeley, regressando em 1990 à cadeira de filosofia moral em Oxford. Williams é conhecido por defender uma posição subtilmente relativista em filosofia moral, rejeitando as promessas aristotélicas e kantianas segundo as quais a virtude resulta do exercício das propensões racionais da mente. Também rejeita as teorias expressivistas e projectivistas, argumentando que se, pelo contrário, a ética se basear apenas em sensações e paixões contingentes não pode ser o que parece. O seu argumento de que a ética kantiana e o utilitarismo põem uma tónica não natural nos interesses puramente impessoais, ignorando os projectos pessoais que necessariamente ocupam o horizonte próximo das vidas práticas das pessoas, tem sido bastante influente. Descartes: the Project of Pure Inquiry (1978), Ethics and the Limits of Philosophy (1985) e Shame and Necessity (1993) são algumas das suas obras principais. Problems of the Self (1973) e Moral Luck (1981) são duas das suas colectâneas de artigos.

Simon Blackburn

http://criticanarede.com/html/fil_bernardwilliams.html</references>

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.