Bernarda Ferreira de Lacerda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bernarda Ferreira de Lacerda
Nascimento 1595
Porto, Portugal
Morte 1 de outubro de 1644 (49 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Reino de Portugal Portuguesa
Ocupação Poetisa

D. Bernarda Ferreira de Lacerda (Porto, 1595Lisboa, 1 de Outubro de 1644) foi uma poetisa portuguesa, autora do poema épico Espanha Libertada (1618).

Filha de Ignácio Ferreira Leitão (Desembargador do Paço, e Chanceler-Mor do Reino) e de D. Paula de Sá e Menezes,[1] nasceu no Porto em 1595. Deu mostras desde cedo de "uma inteligência e capacidade para o estudo pouco vulgares, sobretudo naquela época e no sexo feminino",[2] e seus pais, apercebendo-se disto, proporcionaram-lhe ampla educação, "que a tornou um dos talentos mais enciclopédicos que no país se tem visto." [2]

Foi singular na retórica, poesia, filosofia, matemática, nas humanidades e em música – "tocava muitos instrumentos com perfeição" – e falava várias línguas europeias, para além do hebreu, grego e latim.[3] Lope da Vega apelidou-a de Décima Musa.[4]

Em 1949 a Câmara Municipal de Lisboa homenageou a poetisa dando o seu nome a uma rua junto à Avenida da Igreja, em Alvalade.[5]

Referências

  1. José Maria da Costa, Ensaio Biographico-Critico sobre os Melhores Poetas Portuguezes, Volume 5 (N. Imprensa Silviana, 1853), Capítulo IV: D. Bernarda Ferreira de Lacerda, p. 208.
  2. a b Archivo Historico Portuguez, Volume VIII (1910), p. 248.
  3. Alexandre Magno de Castilho & António Xavier Rodrigues Cordeiro, Almanach de Lembranças Luso-Brasileiro para o ano de 1862 (Imprensa de Lucas Evangelista, 1861), "Heroína portugueza", p. 308.
  4. João Bautista de Castro, Mappa de Portugal (1763), p. 306.
  5. https://www.facebook.com/423215431066137/photos/pb.423215431066137.-2207520000.1448280984./784818741572469/?type=3&theater
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.