Berta (filha de Carlos Magno)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Berta (nascida por volta de 779-780, morreu depois de 823) era filha de Carlos Magno, rei dos Francos e imperador do Ocidente, e de Hildegarda.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Como todos os seus irmãos e irmãs, Berta viveu na casa real de Carlos Magno, em que todos os filhos foram educados por tutores.

Uma embaixada do rei Offa de Mércia, que pediu a sua mão para seu filho Ecgfrito, levou Carlos Magno à ruptura de relações diplomáticas com a Grã-Bretanha no 790 e para proibir que aos navios anglo-saxões o acesso aos seus portos. Como suas irmãs, Berta nunca se casou, os historiadores que acreditam que o imperador se recusou a casar as suas filhas para evitar uma rivalidade política com os seus genros.[1]

Berta teve um longo relacionamento com Angilberto, um diplomata próximo de Carlos Magno e poeta, e deu à luz dois filhos : Nitardo e Hartenido. Em 794 ou 795, Angilberto apresentou na corte como entretenimento um poema louvando a beleza e os encantos das filhas de Carlos Magno; Berta é particularmente elogiada por ter um discernimento crítico e apreço pela poesia,[2].

Os filhos de Berta e Angilberto são Hartenido, de quem não sabemos grande coisa, e Nitardo, historiador e o abade de Saint-Riquier. Angilberto coloca um fim ao seu relacionamento com Berta, e retira-se para um mosteiro e torna-se abade de Saint-Riquier, de acordo com uma biografia de seu filho[3]. Nitardo manteve-se, no entanto, um importante conselheiro de Carlos Magno. Nitardo era um soldado e político destacado e tornou-se conselheiro de Carlos, o Calvo[4].

Após a morte de carlos magno, seu filho e sucessor, Luís, o Piedoso exila as suas irmãs nos conventos que seu pai lhes tinha dado.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  • Becher, Matthias (2005). Yale University Press, ed. Charlemagne (em inglês). [S.l.: s.n.] ISBN 978-03-001-0758-6 
  • (en) Valerie Louise Garver, Women and Aristocratic Culture in the Carolingian World, Cornell University Press, , 42 p.
  • (en) Brian Daniel Starr, Ascent of the Saints, Brian Daniel Starr, , 175 p.
  • (en) Alexander Chalmers, The General biographical dictionary: containing an historical and critical account of the lives and writings of the most eminent persons in every nation: Vol. 23, University of Wisconsin - Madison, , 199 p.Chalmers, Alexander (1815). The General biographical dictionary: containing an historical and critical account of the lives and writings of the most eminent persons in every nation: Vol. 23 University of Wisconsin - Madison ed. [S.l.]: J. Nichols. 199 páginas