Beth Goulart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Beth Goulart
Beth Goulart em novembro de 2010.
Nome completo Elisabeth Xavier Miessa
Outros nomes Beth Goulart
Nascimento 25 de janeiro de 1961 (55 anos)[1]
Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileira
Ocupação Atriz, dramaturga, diretora, colunista e cantora
Atividade 1974 – atualidade
Cônjuge Nando Carneiro (1983-1988)
Outros prêmios
Troféu APCA

1974: Atriz revelação — O Efeito dos Raios Gama Sobre as Margaridas do Campo

Prêmio Shell

2000: Melhor atriz — Decadência
2006: Troféu Especial — Realizações teatrais 2010: Melhor atriz — Simplesmente Eu, Clarice Lispector

Prêmio APTR

2010: Melhor atriz — Simplesmente Eu, Clarice Lispector

Prêmio Contigo! de Teatro

2010: Melhor atriz — Simplesmente Eu, Clarice Lispector

Prêmio Qualidade Brasil

2010: Melhor atriz — Simplesmente Eu, Clarice Lispector
2010: Melhor espetáculo — Simplesmente Eu, Clarice Lispector

IMDb: (inglês)

Beth Goulart, nome artístico de Elisabeth Xavier Miessa[2] (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1961),[1] é uma cantora, colunista, dramaturga, diretora e atriz brasileira de teatro, cinema e televisão. Beth fez sua estreia profissional na peça O Efeito dos Raios Gama Sobre as Margaridas do Campo (1974) e sua estreia na televisão no teleteatro Alô, Alguém aí? (1975). No mesmo ano estreou no cinema com o filme Sorôco, Sua Mãe, Sua Filha e como dramaturga no espetáculo Dorotéia Minha (2002). Torna-se também diretora com o monólogo Simplesmente Eu, Clarice Lispector (2009).

Biografia[editar | editar código-fonte]

A atriz Beth Goulart nasceu no Rio de Janeiro e foi criada em São Paulo dos cinco aos 18 anos de idade.[3] Filha dos também atores Paulo Goulart e Nicette Bruno, irmã dos atores Bárbara Bruno e Paulo Goulart Filho. A atriz é kardecista desde a infância, religião passada pelos pais.[4]

Beth define a influência dos pais sobre sua carreira:

Cquote1.svg Vocação é diferente de talento. Pode-se ter vocação e não ter talento, pode-se ser chamado e não saber como ir. Diria que fui uma semente depositada em campo fértil. Cquote2.svg
Beth Goulart[5]

Em 1983, estudou canto com Pepê Castro Neves e canto lírico e leitura musical, com Luis Carlos Brito. Dois anos depois, estudou técnica com Peter Brook. Em 1989, com Kika Sampaio estudou sapateado, dança com Ruth Rachou, Val Folly e canto lírico com Marga Nicolau.[6] Durante muitos anos, ela foi bailarina clássica.[3]

Casou-se com o músico Nando Carneiro em 1983, com quem teve um filho, João Gabriel.[7] Separaram-se em 1988. Se envolveu também com o diretor Gerald Thomas, com quem encenou a peça Elektra com Creta (1986).[8]

Vida profissional[editar | editar código-fonte]

Em 1974, estreou no teatro na peça O Efeito dos Raios Gama Sobre as Margaridas do Campo, de Paul Zindel e direção de Antônio Abujamra, quando ganhou o Troféu APCA de Atriz revelação. Foi nessa peça que atuou pela primeira vez com a mãe e a irmã.[9] Sua primeira participação na televisão foi no teleteatro Alô, Alguém aí?, de William Saroyan, exibido pela TV Cultura, em 1975. Estreou como atriz de telenovela em Papai Coração, em 1976, na TV Tupi.[10]

De 1977 a 1979, a atriz integrou o elenco das novelas na TV Tupi como Éramos Seis (1977), Roda de Fogo (1978), O Direito de Nascer (1978) e Como Salvar Meu Casamento (1979). Em 1980, estreou na Rede Globo como Fernanda, em Marina, novela de Wilson Aguiar Filho. Participou também das novelas Selva de Pedra (1986), Perigosas Peruas (1992), O Clone (2001), Paraíso Tropical (2007) e Três Irmãs (2008). Atuou também na programação da Rede Manchete e Rede Bandeirantes.

Em 1981, participou do MPB Shell concorrendo com a música O Balão, de autoria de Nando Carneiro e Geraldo Carneiro. Logo depois do festival, lançou pela polyGram um compacto simples com a música. Neste mesmo ano, pela polyGram, lançou o disco Sementes no ar. No ano de 1982, gravou seu segundo LP, Passional e em 1985, lançou pela gravadora Carmo o disco Mantra Brasil.[6]

No cinema trabalhou nos filmes do cineasta Carlos Reichenbach: Dois Córregos (1999) e Bens Confiscados (2005). Também protagonizou Canção de Baal, dirigido por Helena Ignez, em 2007. Se notabilizou ainda como protagonista, em 1979, do filme Joelma 23º Andar, no qual interpretou uma vítima fatal do incêndio ocorrido em 1974 no edifício Joelma, em São Paulo que psicografou seus últimos momentos de vida para Chico Xavier.[10]

Em 1999, por sua atuação na peça Decadência, de Steven Berkoff, recebeu o Prêmio Shell de Melhor atriz. Em 2000, faz O Jardim das Cerejeiras, de Anton Tchekhov. Em 2002 e 2004, a atriz protagonizou o monólogo Dorotéia Minha, as cartas de amor trocadas entre sua avó (Eleonor Bruno) e Nelson Rodrigues serviram como inspiração para Beth escrever o espetáculo.[11] Em 2006, atua em Tudo sobre Mulheres, de Miro Gavran, e em Quartett, de Heiner Müller, a tradução e a adaptação da montagem de João Gabriel Carneiro, filho de Beth.[12] Em 2009, com o monólogo Simplesmente Eu, Clarice Lispector, Beth torna-se também diretora.[13]

Em 2010, assina contrato com a TV Record,[14] onde fez a novela Vidas em Jogo em 2011 e foi também colunista de cultura do Jornal da Record News, na Record News.[15] Em 2013, Beth e a mãe, a atriz Nicette Bruno, foram as apresentadoras da cerimônia de premiação da 25ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro.[16] Em junho de 2014, a atriz volta às novelas em Vitória na TV Record, interpretando a personagem Clarice.[17] No mesmo ano, dirigiu a mãe no monólogo Perdas e Ganhos, obra adaptada pela Beth do livro homônimo de Lya Luft.[18] Em 2016, reestreou o espetáculo Simplesmente Eu, Clarice Lispector, no Teatro Sesi, junto com uma exposição no local. Intitulada Entre Ela e Eu, a exposição mostra um pouco da vida e da obra da escritora, com fragmentos de textos, fotos de arquivo pessoal e reproduções de retratos.[19]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Na peça Simplesmente Eu, Clarice Lispector.
Ano Título Papel Prêmios e Indicações
1974 O Efeito dos Raios Gama Sobre as Margaridas do Campo Troféu APCA - Atriz revelação
1977 Volpone
1986 Elektra com Creta
1989 Cabaret Indicada - Prêmio Shell de Melhor atriz
Indicada - Troféu Mambembe de Melhor atriz
1991 Pierrot Marie
1993 Lucrécia, o Veneno dos Bórgia Indicada - Prêmio Shell de Melhor atriz
1994 Eduardo II
1995 Exorbitâncias, uma Farândula Teatral
Barbazul
1996 Tristão e Isolda Indicada - Prêmio Shell de Melhor atriz
Indicada - Troféu Mambembe de Melhor atriz
1997 Amor Consciente Indicada - Cultura Inglesa Festival de Melhor atriz
1999 A Menina e o Vento
Somos Irmãs
Decadência Prêmio Shell - Melhor atriz
2000 O Jardim das Cerejeiras
2002 Os Sete Afluentes do Rio Ota
Dorotéia Minha Dorotéia
O evangelho segundo Jesus Cristo Maria Madalena[20]
2003 Pernas Vazias
2004 Dorotéia Minha Dorotéia[21]
2006 Tudo sobre Mulheres
Quartett
2009
-
2016
Simplesmente Eu, Clarice Lispector Clarice Lispector[22] [23] Prêmio Shell - Melhor atriz
Prêmio APTR - Melhor atriz
Prêmio Contigo! de Teatro - Melhor atriz
Prêmio Qualidade Brasil - Melhor atriz

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1976 Papai Coração Irmã Carolina
1977 Éramos Seis Lili
1978 Roda de Fogo Paula
O Direito de Nascer Isabel Cristina
1979 Como Salvar Meu Casamento Sílvia
1980 Marina Fernanda
1981 Baila Comigo Débora Frey Gama
1982 Sétimo Sentido Helenice Rivoredo
1983 Louco Amor Carla
1984 Marquesa de Santos Benedita
1986 Selva de Pedra Cíntia Vilhena
1987 O Outro Marília Della Santa
1988 O Primo Basílio Leopoldina Quebrais de Noronha
Olho por Olho Paula
1990 Riacho Doce Helena
1992 Perigosas Peruas Diana
1993 O Mapa da Mina Tânia Moraes
1994 Você Decide Episódio: "A Bolsa ou a Vida"
1995 A Idade da Loba Otília
1996 O Campeão Maria Isabel Caldeira
1997 Malhação Lígia
2000 Você Decide Laura Episódio: "A Volta"
2001 O Clone Lidiane Valverde
2002 O Beijo do Vampiro Marie Participação Especial
2004 A Diarista Regina Episódio: "Valha-me Deus"
2005 A Lua Me Disse Elvira Sá Marques
2006 A Diarista Dona Carminha Episódio: "Bolo da Discórdia"
2007 Paraíso Tropical Neli Veloso Schneider
2008 Desejo Proibido Maria de Lourdes Participação Especial
Casos e Acasos Sandra Episódio: "O Flagra, a Demissão e a Adoção"
Episódio Especial Ela Mesma Participação Especial
Três Irmãs Leonora Malatesta
2011 Vidas em Jogo Regina Camargo Leal
2014 Vitória Clarice Menezes Prates Ferreira

Cinema[editar | editar código-fonte]

No 26° Prêmio da Música Brasileira (2015).
Ano Título Papel
1975 Sorôco, Sua Mãe, Sua Filha
1979 Joelma 23º Andar Lucimar
1984 Meu Homem, Meu Amante
1987 Eternamente Pagu
1988 Mistério no Colégio Brasil Zizi[24]
1995 Carlota Joaquina - Princesa do Brazil Princesa Maria Teresa
1999 Dois Córregos Ana Paula
2000 A Hora Marcada Gina
2001 Amores Possíveis Maria
2002 Metade Sexo Metade Mussarela
2003 Oswaldo Cruz - O Médico do Brasil
2005 Bens Confiscados Serena
2007 Canção de Baal
2008 A Casa da Mãe Joana Cliente

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Detalhes
1981 O Balão e a Vida
  • Formato: Compacto simples
  • Gravadora: PolyGram
Sementes no Ar
1982 Passional
1985 Mantra Brasil
  • Formato: LP
  • Gravadora: Carmo

Obras[editar | editar código-fonte]

Peças de teatro
Ano Título Notas
2002 Dorotéia Minha
2009 Simplesmente Eu, Clarice Lispector Prêmio Qualidade Brasil - Melhor espetáculo
2014 Perdas e Ganhos Adaptação do livro homônimo de Lya Luft

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Beth Goulart conquistou vários prêmios em sua carreira, ganhou o Troféu APCA de Atriz Revelação (1974) na peça O Efeito dos Raios Gama Sobre as Margaridas do Campo e recebeu o Prêmio Shell de teatro de Melhor Atriz (2000) na peça Decadência.[11] Em 2006, a família Goulart foi homenageada na 18ª edição do Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro. Paulo Goulart, Nicette Bruno e seus filhos Beth Goulart, Bárbara Bruno e Paulo Goulart Filho receberam um Troféu Especial, pela união e realizações teatrais ao longo de mais de duas décadas.[25]

Em 2010, por sua atuação em Simplesmente Eu, Clarice Lispector, espetáculo em que interpreta a famosa escritora, Beth conquistou cinco prêmios, sendo quatro de Melhor Atriz: Shell, APTR (Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro), Contigo! de Teatro e Qualidade Brasil, que premiou também como Melhor Espetáculo.[26] [19]

Foi indicada para vários prêmios: Shell SP (Melhor Atriz em Cabaret), Shell RJ (Melhor Atriz em Lucrécia, o Veneno dos Bórgia), Mambembe RJ (Melhor Atriz em Tristão e Isolda), Shell RJ (Melhor Atriz em Tristão e Isolda), Mambembe SP (Melhor Atriz em Cabaret) e Cultura Inglesa Festival RJ (Melhor Atriz em Amor Consciente).[27]

Referências

  1. a b Museu da TV Página visitada em 17 de março de 2012
  2. Conheça os nomes reais dos famosos Terra Networks Página visitada em 17 de março de 2012
  3. a b Beth Goulart vive equilíbrio profissional aos 50 anos terra. (Julho, 2011).
  4. Ser Espírita Página visitada em 17 de março de 2012
  5. Atriz Beth Goulart fala sobre teatro e família Revista Donna. (Agosto, 2012).
  6. a b Beth Goulart Letras letras.
  7. Família de Paulo Goulart e Nicette Bruno domina palcos paulistanos Veja São Paulo.
  8. BETH GOULART IstoÉ Gente. (Janeiro, 2002).
  9. Nicete Bruno Genética de artista IstoÉ Gente.
  10. a b Goulart, Beth (1961) Itaú Cultural.
  11. a b Dorotéia Minha Teatro Folha.
  12. Beth Goulart e Guilherme Leme estréiam peça EGO. (Novembro, 2007).
  13. Beth Goulart: uma atriz que virou diretora e dramaturga O GLOBO. (Agosto, 2009).
  14. Beth Goulart rompe com a Globo e se muda para a Record terra. (Outubro, 2010).
  15. Beth Goulart apresentará quadro de cultura na Record News iG. (Abril, 2011).
  16. Prêmio 'Shell' de Teatro anuncia vencedores da 25ª edição do Rio de Janeiro Jornal do Brasil. (Março, 2013).
  17. Beth Goulart será Clarice em Vitória: “É um personagem símbolo do sentimento maternal” Rede Record. (Junho, 2014).
  18. Dirigida por Beth Goulart, Nicette Bruno estrela o monólogo “Perdas e Ganhos”, adaptado da obra de Lya Luft Veja São Paulo. (Outubro, 2014).
  19. a b Beth Goulart em 'Simplesmente eu, Clarice Lispector', volta ao circuito Jornal do Brasil. (Dezembro, 2015).
  20. Beth Goulart vive Maria Madalena no palco Estadão. (Maio, 2002).
  21. Beth Goulart volta com "Dorotéia Minha" Folha de S.Paulo. (Janeiro, 2004).
  22. Dirceu Alves Jr. (21 de abril de 2010). «'Simplesmente Eu' traz Beth Goulart como Clarice Lispector». Veja São Paulo. Abril.com. Consultado em 17 de março de 2012. 
  23. Prêmio APTR de Teatro consagra o espetáculo 'In on it' O GLOBO. (Junho, 2010).
  24. O MISTÉRIO NO COLÉGIO BRASIL Cinemateca Brasileira.
  25. Família Goulart é homenageada no Prêmio Shell ofuxico. (Abril, 2006).
  26. Beth Goulart é eleita melhor atriz do Prêmio Shell-RJ; Eva Todor é homenageada UOL ENTRETENIMENTO. (Abril, 2010).
  27. Beth Goulart Dicionário Cravo Albin.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons