Biblioteca Nacional do Panamá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

A Biblioteca Nacional do Panamá é o centro do sistema bibliotecário panamenho. Foi inaugurada em 11 de julho de 1942 e estava situada em um prédio contíguo ao da Presidência da Republica. Depois de varias mudanças está atualmente em um edifício localizado no Parque Omar Torrijos, que possui quatro andares de consulta.

A base bibliográfica para sua formação veio da Biblioteca Colón, que encerrou suas atividades em 1941, sendo iniciada com dez mil livros entre panamenhos e estrangeiros. Tem como principal missão a guarda, organização e divulgação da memória bibliográfica nacional.

É dividida em:

  • Hemeroteca da Biblioteca Nacional, onde há periódicos e revistas panamenhos, revistas estrangeiras e revistas de órgãos internacionais;
  • Sala Panamenha;
  • Fundo Antigo, onde há 586 obras que são do ano 1500 até 1899, de procedência em sua grande maioria da Espanha, acessível somente a pessoas autorizadas;
  • Novum Regestrum, catalogo coletivo de todo fundo antigo da biblioteca gravado em CD ROM e também registro bibliográfico de publicações monográficas impressas antes de 1850 que estão em bibliotecas ibero americanas;
  • Clasicos Taveras, reedição digital de obras impressas antes de 1900;
  • Sala Extranjera ;
  • Coleção de Referência;
  • Arquivo da Biblioteca Nacional;
  • Coleções Especiais, pertenceram a intelectuais;
  • Biblioteca Colón;
  • Coleção Baltasar Isaza Calderón, ênfase em conhecimento humano;
  • Coleção Juan Antonio Tack, ênfase em política mundial;
  • Coleção Diógenes de la Rosa;
  • Coleção Digital Gonzalo Brenes: Música Folclórica Panamenha;

Ligações externas[editar | editar código-fonte]