Biblioteca Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Biblioteca Vasconcelos
Perspectiva interna da Biblioteca Vasconcelos.
País  México
Tipo Biblioteca pública
Estabelecida 2006
Localização Cidade do México
Coordenadas 19° 26′ 50.79″ N, 99° 9′ 3.1″
Acervo
Tamanho 580.000 itens[1]
Acesso e uso
População servida 1.063.790 usuários
Outras informações
Diretor Dra. Patricia Hernández Salazar
Website www.bibliotecavasconcelos.gob.mx

A Biblioteca Vasconcelos da Cidade do México é uma instituição bibliográfica localizada ao norte da capital mexicana, contigua à antiga estação de trem de Buenavista e à feira Tianguis Cultural del Chopo. Presta homenagem ao filósofo, educador e candidato presidencial José Vasconcelos, que foi presidente da Biblioteca Nacional do México e promotor ativo da leitura no início do século XX.

A Biblioteca Vasconcelos, que também é conhecida por “megabiblioteca” pela imprensa mexicana, foi um projeto impulsionado pela então presidente do Conselho Nacional para a Cultura e as Artes (Conaculta) do México, Sari Bermúdez, inaugurada em 2006 durante o mandato do presidente Vicente Fox Quesada. É obra dos arquitetos Alberto Kalach e conta um design que permite ampliar suas estantes para fazer crescer seu acervo, que oficialmente é cerca de 580 mil itens.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Fachada da biblioteca

O Congresso da República propôs planos para reduzir seu orçamento de 2005 e incluiu cortes aos três poderes do Estado, porém o Partido da Ação Nacional (partido do então presidente Fox Quesada) propôes um orçamento alternativo, que preservava fundos para o projeto Enciclomedia e para a biblioteca.

A biblioteca foi inaugurada pelo presidente Fox Quesada, em 16 de maio de 2006,[2] que afirmou que esta foi uma das construções mais avançadas do século XXI e que seria admirada em todo o mundo por sua arquitetura moderna.

Construção e arquitetura[editar | editar código-fonte]

Estende-se por 38 mil metros quadrados de construção[3] e teve um custo inicial de 954 milhões de pesos mexicanos (valores que para a época equivaleram aproximadamente 98 milhões de dólares).[4]

A Biblioteca Vasconcelos, obra do arquiteto mexicano Alberto Kalach, é um recinto luminoso graças ao jogo de transparências que foi dado ao teto e paredes de cristal. Conta com três edifícios alinhados e cada um possui três andares superiores e um andar subsolo.

É adornada por várias esculturas de artistas mexicanos, incluindo a escultura Ballena (Baleia) de Gabriel Orozco, com localização privilegiada no centro do edifício.[3]

Precisou ser fechada em março de 2007, devido a defeitos de construção. O auditor Superior da Estado detectou 36 irregularidades de construção e emitiu 13 moções de responsabilidade dos funcionários públicos do governo federal. Entre as irregularidades encontradas destaca-se o extravio de blocos de mármore, a um custo de 15 milhões de pesos (cerca de 1,4 milhões de dólares).

Durante a administração de Felipe Calderón, os esforços para restaurar continuaram com um investimento adicional de 32 milhões de pesos (cerca de 3 milhões de dólares). Foi reaberta ao público em novembro de 2008 depois de 22 meses em reforma.

Referências

  1. «La Biblioteca Vasconcelos» (em espanhol). Consultado em 09 de setembro de 2012.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. Torres, Alberto (16 de maio de 2006). «Inaugura Fox megabiblioteca "José Vasconcelos"». El Universal (em espanhol). Consultado em 15 de setembro de 2012. 
  3. a b Grande Paz, Clara (11 de maio de 2006). «Arranca la megabiblioteca». El Universal (em espanhol). Consultado em 15 de setembro de 2012. 
  4. Editorial (04 de abril de 2006). «En orden los recursos de Biblioteca Vasconcelos: CAPFCE». El Universal (em espanhol). Consultado em 15 de setembro de 2012.  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma biblioteca é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.