Big Bang (banda)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: BIGBANG redireciona para este artigo. Para outros usos deste termo, veja Big bang (desambiguação).
BIGBANG
빅뱅
Da esquerda para a direita: G-Dragon, T.O.P, Seungri, Taeyang e Daesung
Informação geral
Também conhecido(a) como Reis do K-Pop,[1]Boy Band da Nação[2]
Origem YG Entertainment
País  Coreia do Sul
Gênero(s) K-pop, J-pop, Hip hop, Rock, Dance, Eletrônica, R&B[3][4]
Período em atividade 2006 – atualmente
Gravadora(s) Coreia do Sul YG Entertainment
Japão Avex/YGEX
República da China Warner Music Taiwan
Afiliação(ões) GD&TOP, GD X TAEYANG, YG Family
Página oficial http://www.ygbigbang.com/
http://ygex.jp/bigbang/
Integrantes G-Dragon
T.O.P
Taeyang
Daesung
Seungri
Hangul, hanja.png Este artigo contém texto em coreano.
Sem suporte multilingue apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de hangul ou hanja.

Big Bang (em coreano: 빅뱅, estilizado como BIGBANG) é um boy group sul-coreano formado pela YG Entertainment, tendo sua estreia oficial datada em 19 de agosto de 2006. Seus membros são G-Dragon, T.O.P, Taeyang, Daesung e Seungri. O grupo com suas raízes predominantemente no Hip Hop, obteve um sucesso moderado com seu álbum de estreia de 2006, BIGBANG Vol.1-Since 2007, atingindo vendas de 48,000 cópias.[5]Em 2007, o BIGBANG conquistou seu primeiro grande sucesso através do lançamento de seu primeiro EP de nome Always, que incluiu a canção "Lies" (Coreano: 거짓말; Romanização Revisada: Geojitmal), que permaneceu na primeira posição por 18 semanas, estabelecendo um recorde.[6]Seus próximos EPs apoiaram o crescente sucesso e popularidade do grupo, gerando canções que lideraram as paradas, como Hot Issue de 2007, que trouxe a faixa-título "Last Farewell"' (Coreano: 마지막 인사; Romanização Revisada: Majimak Insa), e Stand Up de 2008, que produziu "Day By Day" (Coreano: 하루하루; Romanização Revisada: Haru Haru).[7][8]

Após receberem diversos prêmios, dentre eles o de "Artista do Ano" no Mnet Asian Music Awards de 2008,[9] o BIGBANG continuou a sua já iniciada expansão para o mercado fonográfico Japonês, lançando tanto seu segundo álbum de estúdio coreano: Remember, como seu primeiro álbum japonês: Number 1 no mesmo ano, e consequentemente vencendo três prêmios no MTV Video Music Awards Japan.[10]O grupo lançou mais quatro álbuns de estúdio japoneses: BIGBANG de 2009, BIGBANG 2 de 2011, Alive de 2012 e Made Series de 2016. Em meio a suas promoções japonesas, os membros se ramificaram em suas atividades solo, com G-Dragon e Taeyang lançando álbuns solo, G-Dragon e T.O.P formando o subgrupo GD&TOP, Seungri e Daesung atuando em musicais e apresentando programas de variedades e T.O.P passando a estrelar diversos filmes.

Após um hiato de dois anos na Coreia do sul, o BIGBANG se reuniu em 2011 com o lançamento de seu EP Tonight. No entanto, as suas promoções foram interrompidas quando alguns membros enfrentaram problemas legais. Em novembro de 2011, o grupo se tornou o vencedor do prêmio inaugural "Best Worldwide Act" (em português: "Melhor Performance Mundial") do MTV Europe Music Awards.[11] Três meses depois, o BIGBANG lançou seu álbum físico mais bem sucedido, o EP Alive de 2012, que lhes rendeu seu segundo prêmio de "Artista do Ano" no Mnet Asian Music Awards daquele ano. Além disso, Alive tornou-se o primeiro álbum em língua coreana a entrar na parada Billboard 200 dos Estados Unidos,[12]antes do grupo realizar sua primeira turnê mundial, concluída no início de 2013. Em 2015, após uma pausa de três anos de suas atividades, o BIGBANG fez seu retorno através do lançamento de quatro álbuns singles, "M", "A", "D" e "E", para preceder o seu terceiro álbum coreano de estúdio intitulado Made. Suas faixas foram recebidas com sucesso comercial e de crítica, obtendo vendas de 13.3 milhões de cópias na Ásia,[13]os levando a vencer seu terceiro prêmio de "Artista do Ano" no Mnet Asian Music Awards de 2015.

Considerados os "Reis do K-Pop"[1] e a "Boy Band da Nação",[2]o seu envolvimento em compor e produzir suas próprias músicas, ganhou o respeito e elogios por parte da indústria musical.[14]Desde o lançamento da parada sul-coreana Gaon em 2010, o grupo possui juntamente com os seus lançamentos como artistas solo, o registro de vendas superiores a 79 milhões. Com a adição de vendas anteriores vindas da Associação da Indústria de Música da Coreia (MIAK) e da Associação de Conteúdo da Industria de Música da Coreia (KMCIA), os números atingem valores de mais de 100 milhões. Esses números advêm das vendas de mais de 94 milhões de singles digitais, com uma média de 4.3 milhões de downloads por faixa-título, e das vendas de 6 milhões de álbuns na Coreia do Sul, Japão, e restante do continente Asiático.[15]O grupo ao longo de sua existência, vem recebendo diversos prêmios e sendo responsáveis por diversos recordes, incluindo o de "Artista mais vendido de todos os tempos" pelo Cyworld, além dos prêmios de "Artista do Ano" vencidos no Mnet Asian Music Awards. Citando sua popularidade global e contribuição para o K-pop, o The Hollywood Reporter descreveu-os como "A maior Boy Band do Mundo".[16]

História

2000–2007: Formação e estreia

Antes da estreia do grupo, alguns dos membros já haviam participado da indústria do entretenimento. G-Dragon e Taeyang foram os primeiros a receberem treinamento da YG Entertainment com a idade de onze anos. T.O.P era um rapper underground[17]e utilizava o nome artístico de "Tempo". Uma de suas faixas mais populares foi "Buckwild" com NBK Gray. Após G-Dragon ser abordado pela YG Entertainment para ser um dos possíveis candidatos a iniciar um grupo masculino, ele contactou T.O.P, com quem mantinha uma amizade desde a infância, o que o conduziu a uma audição.[18]Seungri apareceu pela primeira vez no programa de televisão chamado Let's Cokeplay: Mnet Battle Shinhwa, em que o grupo Shinhwa procurava membros para compor a "segunda geração Shinhwa". Assim, a formação original do BIGBANG consistia em 6 membros, além dos supracitados G-Dragon, Taeyang, T.O.P e Seungri, foram adicionados Daesung e So-1 que também foram selecionados através de audições. A formação do grupo foi apresentada em um documentário para a televisão e antes de sua estreia oficial, So-1 foi descartado.[19][20]

O BIGBANG realizou sua estreia oficial em 19 de agosto de 2006 no Olympic Gymnastics Arena em Seul durante o concerto de 10 anos da YG Family.[21]Em 23 de setembro de 2006, o grupo realizou sua apresentação de estreia na televisão. Após a performance, seu primeiro álbum single intitulado "BIGBANG" foi lançado, contendo as faixas "We Belong Together", com a participação da companheira de gravadora Park Bom; "A Fool's Only Tears" (Coreano: 눈물 뿐인 바보; Romanização Revisada: Nunmulppunin Babo) e "This Love", uma adaptação da canção da banda americana de rock Maroon 5, que foi reescrita e performada por G-Dragon.[19]Suas vendas foram de cerca de 40.000 cópias.[22]O segundo álbum single, "BIGBANG Is V.I.P", foi lançado em setembro, e obteve vendas de 32.000 cópias.[22] Seu último álbum single, "BIGBANG 03", obteve vendas finais próximas a 40.000 cópias.[22]No final de dezembro de 2006, o BIGBANG lançou seu álbum de estreia, BIGBANG Vol.1-Since 2007, com vendas de 48.000 cópias até a data de fevereiro de 2007,[22]além da realização de seu primeiro concerto, intitulado The Real.

2007–2008: Avanço do sucesso e estreia no Japão

BIGBANG no MTV Fast Forward na Tailândia em dezembro de 2007

Em 8 de fevereiro de 2007, o BIGBANG lançou seu primeiro álbum ao vivo, de nome First Live Concert: The Real, que vendeu 30.000 cópias até o final do ano.[23] O grupo também iniciou a turnê Want You, visitando cinco cidades: Incheon, Daegu, Changwon, Jeonju e Busan.[24]Seu primeiro EP, Always de 2007, marcou várias mudanças para o grupo. Apesar de anteriormente já estarem escrevendo e compondo suas próprias canções, eles decidiram ter mais controle sobre sua música. G-Dragon compôs e escreveu a maioria das faixas incluídas no EP, incluindo "Lies" (Coreano: 거짓말; Romanização Revisada: Geojitmal).[25] O EP também introduziu a música eletrônica para o BIGBANG. Sua recepção foi bastante positiva, principalmente no que diz respeito a canção "Lies", que os críticos descreveram como "de alto nível".[26]Lançado como o primeiro single, tornou-se o primeiro sucesso número um do grupo. O EP vendeu 87.000 cópias.[25] O segundo EP, Hot Issue, lançado no mesmo ano, seguiu o sucesso do seu antecessor. A faixa-título "Last Farewell", (Coreano: 마지막 인사; Romanização Revisada: Majimak Insa) conquistou a primeira posição em diversas paradas musicais, incluindo o Juke-On, onde permaneceu por oito semanas consecutivas.[27] A canção também ganhou o prêmio de "Canção do Mês" (de música digital) do Cyworld. Os ingressos para o concerto BIGBANG Is Great foram vendidos em apenas dez minutos.[28][29]

No final de 2007, foi relatado que os membros do grupo foram hospitalizados devido ao excesso de apresentações e exaustão,[30]interrompendo suas atividades promocionais. Mais tarde, foram divulgados relatórios em que os álbuns e singles do BIGBANG estavam com uma demanda muito alta, levando a gravadora a reimprimir e reembalar-los para relançamento.[31] Depois do sucesso de seu EP, o grupo recebeu diversos prêmios, incluindo o de "Melhor Grupo Masculino" e "Canção do Ano" no Mnet Asian Music Awards de 2007.[32]Depois receberam o prêmio de "Artista do Ano" no Seoul Music Awards.[33] O grupo ganhou um total de 12 bilhões de wons (cerca de US$11,5 milhões de dólares) no final do ano.[34]

Com o fim do ano de 2007, o BIGBANG se aventurou no mercado fonográfico do exterior, indo para o Japão. Seu primeiro EP japonês, For the World,[35]lançado no início de 2008, alcançou a posição de número dez na parada de álbuns da Oricon apesar da pouca promoção.[36]O grupo também realizou um concerto no JCB Hall em Tokyo Dome City. O BIGBANG voltou para a Coreia do Sul após as suas promoções no Japão terminarem. E embora as atividades do grupo tenham sido atrasadas ​​devido a projetos solo, o seu terceiro EP de nome Stand Up foi lançado em 2008, com a participação do DJ e produtor japonês Daishi Dance e da banda de rock sul-coreana No Brain. Stand Up ultrapassou a marca de 100.000 cópias em vendas. "Day By Day" (Coreano: 하루 하루; Romanização Revisada: Haru Haru), seu primeiro single, alcançou a primeira posição em diversas paradas musicais on-line durante seis semanas consecutivas.[37]Seguindo o sucesso da faixa, outras cinco canções também entraram no Top 20, como "Heaven" alcançando o segundo lugar, "Oh My Friend" na posição de número nove, "A Good Man" em doze, e "Lady" em dezesseis.[38]

Durante o lançamento de seus materiais coreanos, o BIGBANG lançou a canção japonesa "Number 1" do álbum de mesmo nome, apresentando-a em programas de rádio e de televisão japoneses, o álbum alcançou a posição número três na parada diária de álbuns da Oricon. O seu segundo álbum coreano, Remember, também lançado em 2008, trouxe o primeiro single "Sunset Glow" (Coreano: 붉은 노을; Romanização Revisada: Byulkeun Noeul) seguido de "Strong Baby", uma faixa solo de Seungri lançada como segundo single. O álbum vendeu mais de 200.000 cópias, [38] e o grupo recebeu seu segundo prêmio de "Artista do Ano" no Mnet Asian Music Awards.[39] No final do ano, foi relatado que haviam ganho um total de 36 bilhões de wons (cerca de US$ 34.500 milhões de dólares).[34]

2009–2011: Projetos solo, atividades no Japão e Tonight

Enquanto o grupo estava em uma pausa no início de 2009, os seus membros seguiram em suas atividades solo. Eles reuniram-se para colaborar com o 2NE1, uma nova girl group de sua gravadora, apelidada de "O BIGBANG Feminino" na época,[40] para a canção "Lollipop", que foi utilizada para promover um celular da empresa LG, além disso, um vídeo musical também foi filmado para a sua promoção.[41] Posteriormente, o grupo lançou seu terceiro single digital promocional intitulado "So Fresh, So Cool", para promover a marca de cerveja "Hite", sem a presença de Seungri, que não possuía idade para beber.[42]O segundo álbum japonês do grupo foi lançado pela Universal Music Japan em agosto de 2009 e promovido através de dois singles: "My Heaven" e "Gara Gara Go!!" (em japonês: ガ ラ ガ ラ GO !!).[43][44] Sendo "My Heaven", uma versão em japonês de seu single coreano "Heaven" (Coreano: 천국; Romanização Revisada: Cheonguk) do EP Stand Up, composta em parceria com Daishi Dance.[24] A canção estreou na posição de número três na parada de música da Oricon.[45] "Gara Gara Go!" alcançou o quinto lugar[46] e o álbum em si conquistou a posição de número três.[47]

Após seu retorno para a Coreia do sul, os membros do BIGBANG retornaram a suas atividades solo. Em 18 de agosto, G-Dragon lançou seu álbum de estreia como cantor solo, intitulado Heartbreaker, promovendo-o com a faixa-título de mesmo nome. O álbum ganhou o prêmio de "Álbum do Ano" no Mnet Asian Music Awards de 2009, vendendo mais de 210.000 cópias.[48]Taeyang lançou dois singles digitais, "Where U At?" e "Wedding Dress", para promover seu segundo álbum lançado em 2010.[49] T.O.P juntou-se ao elenco do drama de ação e espionagem sul-coreano Iris, interpretando o assassino Vick.[50] Daesung e Seungri realizaram projetos solo em atuação e apresentação. O grupo mais tarde se reuniu para a gravação da canção "Koe wo kikasete" para o drama japonês Ohitorisama (em japonês: お ひ と り さ ま; One Person).[24][51][52] A canção foi posteriormente lançada como single, atingindo a posição de número quatro na parada da Oricon.[53]

BIGBANG em anúncio publicitário para a LG Cyon.

Durante diversos dias em janeiro de 2010, o BIGBANG realizou seu concerto de nome 2010 BIGBANG Concert Big Show, [54] no Estádio Olímpico de Seul.[55] No mês seguinte, eles realizaram a turnê Electric Love no Japão.[56] Embora nenhum álbum oficial tenha sido gravado em 2010, houve o lançamento de diversos singles do grupo com vínculos promocionais. O lançamento de "Lollipop Part 2" em fevereiro, uma sequência de seu single "Lollipop" com 2NE1, foi usado para coincidir com as promoções do Lollipop phone da LG Cyon.[57] O single também alcançou a primeira posição nas paradas musicais digitais.[58] Seu próximo single, "Tell Me Goodbye", foi gravado para o relançamento do drama sul-coreano Iris no Japão.[59] A canção provou ser popular recebendo comentários favoráveis[59] e venceu o prêmio de "Canção do Ano " no Japan Record Award.[60] Além disso, se conectando a Copa do Mundo de 2010, o grupo lançou a canção "Shout of the Reds", com a participação da banda de rock coreana Transfixion e a patinadora Kim Yuna.[61]

Durante a maior parte do ano, os membros promoveram individualmente o seu próprio trabalho,[62] incluindo o lançamento do subgrupo GD&TOP com seu álbum de colaboração e o lançamento do primeiro EP de Seungri intitulado V.V.I.P.[63]O BIGBANG também recebeu diversos prêmios notáveis, incluindo o de "5 Novos Artistas" no Japan Gold Disc Awards,[64] bem como o prêmio de "Melhor Novo Artista".[65] Perto do fim de maio, o grupo recebeu os prêmios de "Melhor Vídeo Pop" e o de "Melhor Novo Artista" no MTV Video Music Awards Japan de 2010.[66] Eles ainda lançaram seu single japonês de nome "Beautiful Hangover" em 25 de agosto de 2010.[67]

BIGBANG durante apresentação em 2011.

Após quase dois anos de uma pausa de atividades do grupo no país, o BIGBANG retornou a Coreia do Sul com seu concerto 2011 Big Show.[68] Onde apresentaram canções de seu último EP Tonight[69] que obteve uma pré-venda de 10.000 cópias no Cyworld, batendo o recorde estabelecido pelo grupo TVXQ de 6.500 cópias em 2008.[70]O EP que vendeu 100.000 cópias em uma semana,[71]obteve uma recepção positiva, com Choi Jun do Asiae elogiando a nova direção do grupo em sua música, reconhecendo que durante os dois anos de pausa do BIGBANG o "seu estilo e sensibilidade musical tem se aprofundado".[72] Após sete dias do lançamento do EP, foi relatado que o grupo já havia ganho 7 bilhões de wons (cerca de US$6,6 milhões de dólares).[73] O EP Tonight trouxe a faixa-título de mesmo nome, que conquistou a primeira posição na parada da Gaon.[74] Após as promoções do EP terminarem, o BIGBANG lançou um álbum de edição especial trazendo duas novas faixas: "Love Song" e "Stupid Liar". O vídeo musical de "Love Song" obteve 2 milhões de visualizações no YouTube em apenas dois dias.[75] Posteriormente, o grupo iniciou a turnê Love & Hope Tour em maio do mesmo ano.[76]

Em 2011, o BIGBANG venceu os prêmios de "Best Worldwide Act" do MTV Europe Music Awards, como representantes da região Ásia-Pacífico com mais de 58 milhões de votos,[77] e o prêmio de "Melhor Vídeo Musical" com "Love Song", no Mnet Asian Music Awards.[78] Mais tarde o grupo celebrou o décimo quinto aniversário da YG Entertainment, participando do YG Family Concert Tour no mesmo ano. Que foi seguido do lançamento de sua terceira coletânea de maiores sucessos de nome The Best of BIGBANG em 14 de dezembro, contendo uma versão japonesa da canção "Haru Haru". O álbum liderou as paradas da Oricon em seu primeiro dia de lançamento[79] e vendeu mais de 14.000 cópias em sua primeira semana. Foi relatado que o BIGBANG ganhou 88 bilhões de wons (cerca de US$ 84.500 milhões de dólares) em 2011, apesar do grupo ter se promovido por apenas meio ano. Entre os ganhos incluídos, estão um concerto do BIGBANG para a emissora de televisão coreana SBS de nome Big Bang Show, bem como as turnês 2011 Big Show e Love and Hope Tour, esta última realizada no Japão.

2012–2014: Alive, primeira turnê mundial e atividades solo

BIGBANG no K-Collection Fashion Show em 2012.

A partir de 20 janeiro de 2012, a YG Entertainment começou a lançar teasers sobre o quinto EP do BIGBANG intulado Alive, que foi lançado em ambos formatos digital e físico, em 29 de fevereiro. A pré-venda do EP vendeu 260.000 cópias em duas semanas.[80] Seu primeiro single, "Blue", foi lançado uma semana antes do lançamento do EP e alcançou a posição número um em todas as principais paradas nacionais.[81] Alive foi um sucesso comercial, vendendo mais de 200.000 cópias em seu primeiro mês de lançamento.[82]Internacionalmente, o BIGBANG obteve cinco posições no Top 10 da parada K-Pop Hot 100 da Billboard, e a posição de número 150 da Billboard 200, tornando o grupo o primeiro artista sul-coreano a ter um álbum em língua coreana na parada dos Estados Unidos.[83] Sua popularidade também impulsionou-os a entrar na parada Billboard Social 50, na posição de número 24. Mais tarde, o grupo recebeu reconhecimento de sites locais notáveis, como a da revista Time[84] e uma foto sua foi destaque na página inicial do Grammy Awards.[85]

O lançamento do álbum coincidiu com o seu concerto anual, Big Show 2012, realizado no Estádio Olímpico de Seul entre 2 a 4 de março para quarenta mil fãs com ingressos esgotados.[86] Isto marcou o início de sua primeira turnê mundial intitulada BIGBANG Alive Galaxy Tour 2012, em parceria com a Live Nation,[87] que foi dirigida pela renomada coreógrafa Laurieann Gibson. A turnê levou o grupo a se apresentar em mais de 21 cidades em 13 países.[86] Filmagens do Big Show foram transmitidas para 160 países através do programa da MTV, MTV World Stage, o que auxiliou na promoção de sua turnê mundial. Em 6 de março de 2012, o vídeo da música "Fantastic Baby" foi lançado no YouTube. Esta é atualmente a canção mais conhecida do grupo, tendo recebido mais de 200 milhões de visualizações no referido site.[88]

Uma versão japonesa de Alive foi lançada como álbum em 28 de março de 2012, tanto digitalmente como fisicamente. O álbum traz 2 faixas japonesas adicionais e em sua versão física inclui uma versão japonesa de "Haru Haru".[89] Foram vendidos mais de 23.000 cópias em seu primeiro dia de lançamento, alcançando a posição de número dois na parada da Oricon.[90] Suas vendas totalizaram mais de 200.000 cópias[91] e foi certificado como ouro pela RIAJ.[90] As promoções japonesas começaram com uma apresentação no "Springroove Festival 2012" ao lado de artistas de Hip hop norte-americanos e japoneses. O BIGBANG foi o primeiro artista sul-coreano a ser convidado juntamente com suas companheiras de gravadora 2NE1.[92] Após o sucesso de seu retorno, o grupo lançou um álbum de edição especial intitulado Still Alive, em 3 de junho. O material inclui quatro canções do EP Alive, duas versões coreanas de faixas gravadas em japonês e canções inéditas como "Monster", que se tornou sua faixa-título. O álbum vendeu mais de 100.000 cópias em seu primeiro mês de lançamento.[91] Uma edição especial para o álbum japonês Alive também foi lançado sob o nome de Alive -Monster Edition- em 20 de junho, após seu homólogo coreano.

O sucesso de seu álbum de edição especial impulsionou ainda mais o reconhecimento global do grupo, alcançando a posição de número onze na parada Billboard Social 50.[93] O grupo excursionou extensivamente durante todo o resto do ano, abrangendo vários países como: Japão (de maio a junho), China (julho a agosto), Sudeste da Ásia (setembro a outubro) e Américas (novembro). Após sua turnê pelas Américas, o BIGBANG voltou ao Japão para realizar a sua Special Final in Dome Tour, se apresentando em alguns dos maiores estádios do país, incluindo Osaka Dome, Tokyo Dome e Fukuoka Dome. O grupo também realizou shows em Hong Kong e Inglaterra, em dezembro de 2012. Apenas um concerto foi programado em Londres, Inglaterra, porém outra data foi adicionada devido à alta demanda. O grupo concluiu a turnê com apresentações em Osaka em meados de janeiro, juntamente com um período de três noite no Olympic Gymnastics Arena em Seul no final do mesmo mês. Em 30 de Novembro de 2012, o BIGBANG recebeu um total de três prêmios no Mnet Asian Music Awards, incluindo o de "Melhor Grupo Masculino" e "Artista do Ano". G-Dragon também venceu um prêmio, o de "Melhor Solo Masculino" na premiação.[94] Além disso, eles também receberam o prêmio da categoria "Melhor Fã", na premiação italiana TRLAwards.[95]

No ano seguinte, os membros fizeram uma pausa em suas atividades em grupo para lançar e promover os seus próprios materiais, incluindo o primeiro álbum D'scover de Daesung, o segundo EP de Seungri, Let's Talk About Love, e o segundo álbum de G-Dragon, Coup D'Etat. T.O.P protagonizou o filme Commitment e também lançou a canção "Doom Dada", enquanto Taeyang retornou como um artista solo lançando o álbum Rise.

2015–presente: Made, segunda turnê mundial e aniversário de 10 anos

BIGBANG durante a sua turnê Made World Tour em 2015.

Após uma pausa de três anos de suas atividades, em 2015 o BIGBANG retornou através do lançamento de um projeto especial, com quatro álbuns single de nomes: "M","A","D","E" precedendo o lançamento de seu álbum Made.[96] Em 01 de maio do referido ano, o grupo lançou o primeiro álbum single, intitulado M, contendo as faixas "Loser e "Bae Bae", que alcançaram as posições de número um e dois, respectivamente, na parada da Billboard de "World Digital Songs". Tal feito de um artista sul-coreano, havia sido realizado apenas por seu companheiro de gravadora Psy, com suas canções "Gangnam Style" e "Gentleman".[97] Em 01 de junho, o álbum single A foi lançado, trazendo as faixas "Bang Bang Bang" e "We Like 2 Party", que também ocuparam as posições de número um e dois, respectivamente, na parada da Billboard de "World Digital Songs".[98] Além disso, na parada de vídeos musicais do QQ Music da China, os vídeos de "Bang Bang Bang" e "We Like 2 Party" alcançaram as posições de número um e dois, enquanto os vídeos de "Loser" e "Bae Bae" se estabeleceram nas posições de número três e seis.[99] Em 25 de junho, o projeto especial havia obtido mais de 100 milhões de visualizações no Youtube,[100] e a canção "Bang Bang Bang" venceu no MTV Iggy, o título de "Canção Internacional do Verão".[101]Em prosseguimento a seu projeto, o grupo lançou o álbum single D em 01 de julho, contendo as faixas "If You" e "Sober", que alcançaram as posições de número dois e três respectivamente na parada da Billboard de "World Digital Songs".[102] Na parada de vídeos musicais do QQ Music, o vídeo de "Sober" ultrapassou o de "Bang Bang Bang", atingindo a posição de número um. Para a canção "If You", o BIGBANG não lançou vídeo.[103] Ainda no mesmo mês, o grupo havia conquistado a marca de 200 milhões de visualizações de seus vídeos musicais para as faixas de "M","A" e "D".[104] Em 05 de agosto, seu último álbum single intitulado E foi lançado, trazendo as faixas "Zutter" (canção do subgrupo GD&TOP) e "Let’s Not Fall In Love",[105] que alcançaram as posições de número dois e um, respectivamente, na parada da Billboard de "World Digital Songs".[106]A combinação de vendas acumuladas dos singles foram de mais de 13.3 milhões de cópias em toda a Ásia.[13] Para a promoção de Made, o grupo iniciou uma turnê que recebeu aclamação da crítica e sucesso comercial. Intitulada de Made World Tour, a turnê reuniu um público de 1,5 milhões de pessoas ao redor do mundo, tornando-a a maior turnê já realizada por um artista sul-coreano.[107][108] No final do ano de 2015, foi relatado que o BIGBANG havia ganho um total de 140 bilhões de wons (cerca de US$120 milhões de dólares).[13]

BIGBANG em anúncio publicitário em 2016.

Apesar do sucesso comercial dos singles lançados, a data de lançamento do álbum prevista para setembro de 2015, foi adiada para que o grupo pudesse adicionar novas faixas e descansar após quatro meses de promoções.[109] No final do ano, o BIGBANG foi um dos maiores vencedores do Mnet Asian Music Awards vencendo quatro prêmios, incluindo o de "Artista do Ano".[110] Em 2016, o grupo continuou em turnê, desta vez se apresentando pelo BIGBANG Made [V.I.P] Tour na China e Taiwan para um público de 182,000 fãs.[111][112] Em abril e março, o grupo se apresentou no Japão através da turnê intitulada Fantastic Babys 2016 Tour, reunindo 280.000 fãs.[112][113] Mais tarde receberam o prêmio de "Melhor Artista do Mundo" no MTV Italian Music Awards de 2016, tornando-se o primeiro e único artista sul-coreano a vencer um prêmio no evento.[114]

Em celebração ao aniversário de dez anos do grupo, foram anunciados cinco projetos especiais que irão ser lançados como parte de suas comemorações.[115]O primeiro deles, foi o lançamento de um filme intitulado BIGBANG Made lançado em 30 de junho de 2016, mostrando os membros durante a sua turnê mundial Made World Tour.[116][117]O segundo foi o concerto de nome 0.TO.10 a ser realizado no Seul World Cup Stadium, em 20 de agosto.[118]O terceiro projeto de nome A TO Z, refere-se a uma exposição em Seul de 05 de agosto a 30 de outubro, mostrando a história do grupo.[119]Além disso, um concerto também está previsto para o Japão no Yanmar Stadium Nagai em Osaka de 29 a 31 de julho.[112][120]

Características artísticas

Estilo musical e letras

Um dos primeiros singles lançados pelo BIGBANG, "La La La" é primariamente uma canção de hip hop.

O grupo tomou uma nova direção musical com o lançamento de "Lies", incorporando música eletrônica a seu estilo. A canção tornou-se o seu primeiro grande sucesso.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Durante seus primeiros anos de carreira, a música do BIGBANG foi predominantemente dos gêneros de Hip Hop e Pop rap, embora também incorporassem em seus álbuns canções de R&B. Um jornalista do Yahoo! Japan, comparou seus trabalhos iniciais com a de artistas americanos de Hip Hop como The Black Eyed Peas, afirmando que suas canções incluem "vocais cativantes, [...] rap e personalidade".[121] A canção "My Girl", um solo de Taeyang presente no primeiro álbum do grupo, foi descrita como "suave, sexy de som grave e forte" em uma lembrança a Omarion.[122] Similarmente ao primeiro solo de Seungri, pertencente ao mesmo álbum e de nome "Next Day" (Coreano: 다음날; Romanização Revisada: Daeum Nal), foi descrita como tendo uma "intensa vibração de Usher dos anos 90".[123] O EP Always de 2008, trouxe uma mudança notável de estilos musicais na carreira grupo, com o BIGBANG experimentando a dance music eletrônica e definindo-a como a nova tendência de música na Coreia do sul.[124] G-Dragon afirmou mais tarde que eles esperavam "alcançar ainda mais fãs" com a nova direção musical.[125] Em 2008, o grupo gravou a faixa "Oh My Friend", uma canção com base no Rock, trazendo a participação da banda de punk rock sul-coreana No Brain.[126] Em uma entrevista o grupo também expressou o interesse de apresentar o gênero de música Trot.[127] Em seu EP Hot Issue também de 2008, a faixa "Fool" (Coreano: 바보; Romanização Revisada: Babo) influenciada pelo subgênero Shibuya-kei, trouxe uma "batida forte de dança pareada com um suave disco", além disso, o falsete de G-Dragon na canção, recebeu o elogio de ser uma "agradável surpresa".[128] Em Alive de 2012, o EP ficou conhecido como o material mais "experimental" do grupo em relação a seus trabalhos anteriores.[129] A faixa "Bad Boy" foi descrita como tendo um sentimento de "nostalgia"[130] e atraiu comparação ao trabalhos de músicos do R&B como Justin Timberlake e Boyz II Men.[131] O álbum também foi elogiado pela demonstração vocal do grupo, ao contrário de seu autotune usual, sendo descrito como tendo "um tipo de intensidade madura".[129] A faixa "Monster" foi elogiada por usar piano e som de orquestra[132] e a composição de "Bingle Bingle" (Coreano: 빙글 빙글; Romanização Revisada: Binggeul Binggeul) ficou conhecida por ser eletrônica e retrô, similar ao trabalho de Katy Perry e Daft Punk.[133] O grupo misturou uma variedade de música eletrônica com soft rock em Made de 2015,[134][135][136] "Loser" foi citada por "introduzir um estilo mais maduro" ao grupo "sem perder a imagem que construíram através de lançamentos anteriores", enquanto "Bang Bang Bang" foi aclamada por seu som inspirado em EDM.[137] Já em "Let's Not Fall in Love", os elogios se deram por estarem "mais ternos", com a canção sendo descrita como tendo uma "produção exuberante que evoca uma gama de emoções".[138]

Os membros do BIGBANG ramificaram-se em outros estilos em seus projetos solo, levando o grupo a ser descrito como "rico em variedade" pelos seus fãs.[121] O EP Hot de Taeyang, trouxe principalmente uma coleção de canções de R&B, com o cantor afirmando que este gênero era seu "foco principal".[139] O primeiro single digital de Daesung, "Look at Me, GwiSoon" (Coreano: 날 봐, 귀순; Romanização Revisada: Nal Bwa Gwisoon), foi uma canção de trot que atraiu críticas, devido a imagem do BIGBANG de "artistas de Hip hop".[140] Para seu álbum de estreia, Heartbreaker, G-Dragon incorporou uma mistura de canções Dance, Hip hop e R&B.[141] Para Justin Mccurry do The Guardian, "cada um dos cinco membros tem seu próprio olhar individual e gama musical igualmente eclética, abrangendo R&B, hip-hop, house, electro e pop".[142] Cho PD, produtor e rapper expressou sua admiração ao grupo, declarando: "cantores idol como o BIGBANG possuem habilidade de serem músicos". Ele particularmente aprecia G-Dragon e observou que "de muitas maneiras o BIGBANG evoluiu de ser um [grupo] idol", citando G-Dragon como o "principal representante" do crescimento do grupo.[143][144] Além disso, eles têm sido descritos como "os super-heróis artísticos" por mostrar "versatilidade e sucesso em tudo o que fazem" de acordo com agências de entretenimento rivais.[145]

Big Bang (banda) Nós somos coreanos, então obviamente eles chamam a nossa música de K-pop. Mas nunca pensamos em nossa música como K-pop. Nossa música é apenas a nossa música. Big Bang (banda)

 — G-Dragon, sobre o rótulo de serem artistas de K-pop.[145]

As experimentações realizadas pelo grupo continuaram através de uma variada gama de estilos musicais, e suas personalidades distintas foram apontadas como uma das principais razões para a sua popularidade e longevidade.[146] Internacionalmente, o BIGBANG é muitas vezes referido como um grupo de "K-pop", um rótulo que eles não apreciam.[147] T.O.P observa que: "você não divide a música pop pelo grupo étnico de quem está fazendo. Nós não dizemos, por exemplo, "pop branco", quando são pessoas brancas que fazem a música".[145]

O grupo é conhecido por manter um firme controle sobre a sua carreira,[16] envolvendo-se fortemente na criação das suas músicas e letras, ao contrário de outros artistas sul-coreanos.[129] Após o lançamento do EP Always, G-Dragon começou a envolver-se com a produção das canções do grupo,[26] escrevendo letras e compondo músicas como "Lies", "Last Farewell" e "Haru Haru". Temas recorrentes em suas letras são o amor e relacionamentos. Em "Bingle Bingle", um protagonista pede para sua amada dar o próximo passo no relacionamento.[133] Em contrapartida, em "Let's Not Fall in Love" interrompe-se o crescimento de um relacionamento por medo de partir o coração da sua amada.[148] G-Dragon admitiu que a canção "If You" foi escrita durante uma época em que estava apaixonado.[149] O BIGBANG também aborda outros temas em suas canções. "Fantastic Baby" e "Bang Bang Bang" são frequentemente descritas como músicas de clube, devido a seu conteúdo lírico, com a primeira sendo interpretada como "anarquista" e a última foi classificada como o "hino das festas de 2015".[137] Sua música "Loser" foi uma tentativa de "humanizar o grupo", por discutir suas falhas.[150] "Bae Bae" foi notada pela sua metáfora sobre sexo[151][152] e "Sober" aborda a perseguição de um sonho.[153] As contribuições de G-Dragon foram elogiadas pela Korea Times, que o descreveu como um "cantor e compositor genial".[154] O próprio cantor descreve o BIGBANG como um "um grupo idol que não nasceu do talento mas do esforço".[155] Um colunista do Yahoo! Japan elogiou o grupo por seu envolvimento com seu trabalho, afirmando que "talvez, contribuindo para seus próprios materiais, não somente tornam-se em sincronia um com o outro mas cada personalidade se destaca".[121]

Performances ao vivo

O BIGBANG é conhecido por suas apresentações extravagantes, que são completadas com coreografia, figurinos e adereços. O grupo é muitas vezes coreografado por Shaun Evaristo.[156] Embora já dependessem fortemente da dança de rua para os seus movimentos, eles fizeram uma transição para outros estilos de coreografia, com muitas de suas danças sendo amplamente copiadas e refeitas. Um de seus movimentos, em que o grupo levanta suas camisas para expor seus abdomens, rapidamente ganhou popularidade online e tornou-se uma das principais pesquisas na internet.[157] Um outro movimento, em que o grupo incorpora a ideia de "pular corda" como um movimento de dança, também ganhou a atenção dos fãs.[158] Parris Goebel coreografou a dança de "Bang Bang Bang", que foi uma das coreografias mais populares do ano de 2015.[159]

BIGBANG durante a sua turnê Alive Galaxy Tour em 2012

No auge da popularidade de Psy com "Gangnam Style", o jornalista do New York Times, Jon Caramanica, observou como o concerto do BIGBANG em Nova Jersey foi o "verdadeiro coração selvagem do K-pop" em oposição a Psy, destacando seus trajes coloridos, coreografia e performance de palco.[160] Em 2012, o grupo conquistou a primeira posição em um ranking das Filipinas, referente aos três melhores concertos de 2012 realizados no "Mall of Asia Arena".[161] Quando comparados a artistas ocidentais como Justin Bieber e One Direction, a apresentação do BIGBANG foi notada por "ser mais [...] fresca, o som mais alto, a dança mais afiada".[162] Além disso, o grupo classificou-se em terceiro lugar na lista do New York Times, de melhores concertos de 2012 pela sua turnê Alive Galaxy Tour no Prudential Center em Nova Jersey.[163] Em razão dos ingressos para a turnê terem se esgotado em apenas algumas horas, novas datas foram adicionadas. Em março de 2012, Krista Mahr, correspondente do sul da Ásia para a revista Time, escreveu um artigo sobre o seu primeiro concerto de K-Pop no Olympic Gymnastics Arena, em Seul, descrevendo o grupo como os "Deuses K-pop" pela sua presença de palco.[84] A Made World Tour de 2015, foi um sucesso tanto comercial como de crítica, com o Los Angeles Times descrevendo o BIGBANG como "um dos mais inventivos e esteticamente visionários de seu gênero" e chamou o seu concerto em Anaheim de um "momento extremamente significativo para o K-Pop", elogiando a diversidade de suas canções e performances.[164]

Imagem e moda

Citando Shinhwa, a boy band de maior duração na Coreia do Sul como sua influência e modelo,[165] o próprio BIGBANG estende-se como influência para além da indústria da música, moldando as tendências da indústria da moda.[166] Apelidado de "a moda BIGBANG", seu estilo tem ganho inúmeros seguidores em toda a Ásia.[17] O conceito de imagem adotado em sua estreia, foi o do Hip Hop, porém, com o lançamento do EP Always de 2007, houve uma mudança de imagem do grupo, onde tenderam para um estilo mais preppy-punk, incluindo o uso de jeans skinny com tênis converse ou de cano alto, que se tornou uma tendência na Coreia do Sul. Taeyang também trocou o uso dos cornrows (em português: tranças enraizadas) pelo falso moicano.[167] Sendo vistos usando marcas como Bape, 10 deep, Louis Vuitton, Jeremy Scott e Phenomenon, o BIGBANG também veste moletons personalizados, em muitas de suas apresentações e vídeos musicais.[17] Eles também foram creditados por trazerem de volta a moda "old school" para a moda popular, com sapatos de cano alto Nike e Reebok.[168] Descrito como o "mais fashionista" do grupo,[169] G-Dragon é conhecido por usar lenços esportivos triangulares, que foram posteriormente apelidados de "lenços BIGBANG".[17] T.O.P também conquistou seguidores ao usar óculos escuros durante as suas apresentações.[17] As roupas que os membros vestem no palco tem ganhado um status de cult entre seus fãs e são vendidos em lojas de boutique como o DongDaeMun.[34] Em 2011, o grupo colaborou com a marca japonesa de roupas Uniqlo, para lançar camisetas em promoção ao seu retorno ao mercado japonês, sendo relatado que "as vendas se esgotaram após quinze minutos de abertura da loja".[170] O grupo, especialmente G-Dragon, estabeleceram-se como ícones da moda, atraindo também a atenção de estilistas ocidentais.[171]

Impacto e legado

Quando o grupo entrou no mercado japonês, a revista Time descreveu-os como um dos "mais promissores" artistas sul-coreanos a se aventurar no país,[24] enquanto o Korea Times os chamou de "os ícones do pop coreano".[154] Em 2011, a BBC declarou que "bandas de k-pop, incluindo o BIGBANG, estão deixando sua marca no mundo", citando a contribuição do grupo para o crescimento econômico de sua agência, a YG Entertainment.[172] Títulos lançados pelo grupo tornaram-se algumas das canções mais emblemáticas do K-pop, com "Lies" sendo creditado como seu primeiro grande sucesso e sua marca registrada.[173] Na lista das "21 Melhores Canções de K-pop de todos os tempos", realizada pela revista Spin, "Bad Boy" foi a canção escolhida na posição de número treze enquanto "High High" da dupla GD&TOP, alcançou a posição de número sete.[131] "Bad Boy" ainda foi a quinta colocada na lista da Billboard das "20 Melhores Canções de K-Pop de 2012".[174] O vídeo de "Fantastic Baby" tornou-se o segundo vídeo de K-pop e o primeiro de um grupo, a superar 200 milhões de visualizações no YouTube,[175] enquanto os vídeos de "Bang Bang Bang", "Good Boy," e "Loser" acumularam mais de 100 milhões de visualizações cada um.[176][177][178] Além disso, "Fantastic Baby" foi a segunda colocada em lista dos "20 Melhores vídeos de K-Pop".[179] Enquanto as canções "Loser" e "Bae Bae", alcançaram as posições de número um e quinze respectivamente, em lista da Billboard das "15 Melhores Canções de K-Pop de 2015".[180]

Enquanto o The Vancouver Sun descreveu o grupo como uma "boy band ultra-estilizada, composta de cinco peças da Coreia do sul" e uma "sensação do K-Pop",[181] a emissora americana de notícias sobre negócios, CNBC, descreveu-os como artistas "cuidadosamente selecionados e eficientemente produzidos" cujo uso de "som sintetizado por pop bubblegum, trajes chamativos e vídeos artísticos", estão empurrando o K-Pop para a vanguarda da música global.[182] Após o grupo vencer em 2011 o prêmio de "Best Worldwide Act", do MTV Europe Music Awards,[183] o Google anunciou que a sua subsidiária Youtube, iria lançar seu próprio canal de K-Pop em reconhecimento a sua popularidade e sucesso.[184] O jornal britânico The Guardian, também publicou um artigo que discute a importância de como a vitória do BIGBANG, "lança uma luz sobre o surgimento e ascensão da música coreana em toda a Europa ".[77] Além disso, após o grupo ter sido o primeiro artista sul-coreano a ter um álbum em língua coreana, a entrar na parada de álbuns Billboard 200 dos Estados Unidos, através do EP Alive, eles deram início a turnê mundial de nome Alive Galaxy Tour visitando 25 cidades em todo o mundo,[185][186] com um público de 800.000 pessoas.[187] Seu trabalho artístico influenciou diversos artistas, incluindo Jill Scott,[188] Pixie Lott,[189] A*M*E,[190]Dakota Fanning,[191]Nelly Furtado,[192] Astro,[193] BTS,[194] Chang Kiha,[195] Sonamoo,[196] iKON[197] e Grimes. Esta última, afirmou que o K-Pop, em particular G-Dragon, tem influenciado seu estilo musical " visualmente mais que qualquer outra coisa".[198][199] A boy band chinesa Ok-Bang, foi especificamente formada após o BIGBANG, sendo afirmado terem "muitas semelhanças com o grupo em termos de estilo musical, guarda-roupa e penteados".[200] O The Michigan Daily os descreveu como um raro grupo que "tanto inova como define a direção que um gênero toma".[201] Mark James Russell, um jornalista de entretenimento residente em Seul, elogiou o grupo por desafiar a categorização, declarando como "de todos os artistas famosos, eles é que estão fazendo o máximo para empurrar os limites do que é considerado o K-pop".[145]

Em sua homenagem, o seu concerto Big Show foi escolhido pelo Comitê turístico sul-coreano, para fazer parte da campanha Visit Korea 2010—2012, creditado como o grupo de "grande impacto econômico para o país".[202] O BIGBANG continua a ser um rosto importante da Coreia do sul, quando se trata de turismo,[203] além disso, sua popularidade demograficamente entre os grupos do país, os tornou as celebridades patrocinadas mais bem pagas, com um preço de US$1 – 1.5 milhões de dólares por patrocínio.[204]Em 2016, eles foram nomeados para a votação anual da revista Time, que elege as 100 pessoas mais influentes do mundo, se classificando em segundo lugar, atrás apenas do político estadunidense Bernie Sanders. [205] No mesmo ano, a revista Forbes listou o grupo na posição de número 54, em sua lista anual das 100 celebridades mais bem pagas do mundo, ao arrecadar de junho de 2015 a junho de 2016, US$ 44 milhões de dólares, tornando-se assim, o primeiro artista sul-coreano a entrar na lista, e a terceira boy band com o maior lucro anual, atrás apenas de One Direction e Backstreet Boys.[206][207]O grupo juntamente com Girls Generation e TVXQ, foram nomeados como os artistas mais influentes de impactar a chamada "onda Hallyu", ao longo dos últimos 20 anos.[208]

Fã-clube

Fã-clubes coreanos desempenham um papel essencial na indústria de K-pop, sendo a sua estrutura e operação diferentes de fã-clubes ocidentais,[209] cada um possui seu próprio nome e cor: os fãs do BIGBANG apelidaram-se de V.I.P (nomeado após a canção de mesmo nome), e seguram lightsticks amarelos em forma de coroa durante os concertos do grupo.[210] Creditados por propagar o "fan-rice tower" (em português: "torre de arroz de fãs"), o BIGBANG tem encorajado seus fãs a comprarem sacos de arroz e trazê-los a seus concertos, o grupo então os doa para uma causa de caridade. Para sua primeira apresentação em meses, 12.7 toneladas de arroz foram doados de cinquenta fã-clubes ao redor do mundo.[84] Apesar de sua herança coreana, o grupo é conhecido por ter uma comunidade internacional de fãs multicultural.[162] Celebridades em toda a Ásia também se identificam como V.I.Ps, incluindo Angelababy, Jiro Wang, Shu Qi, G.E.M e Song Hye-kyo.[211] Em 2016, os V.I.Ps foram nomeados como a maior base de fãs do ano, contra base de fãs de artistas populares como Selena Gomez, Demi Lovato e Britney Spears através de pesquisa online.[212]

  • Nome oficial: V.I.P (Very Important Person)
  • Cor oficial: Amarelo     [210]

Prêmios e reconhecimento

O BIGBANG tem acumulado inúmeras conquistas e prêmios, estabelecendo diversos recordes em seu país de origem. Eles conquistaram seu primeiro sucesso com a música "Lies", que permaneceu na parada musical do MelOn por mais de 54 semanas,[213]seguido de "Last Farewell", que liderou diversas paradas musicais, incluindo o Juke-On, por oito semanas consecutivas[27] e "Haru Haru", que permaneceu em primeiro lugar por seis semanas consecutivas.[213] Suas letras e composições musicais tem ressoado entre fãs e críticos, levando o grupo a vencer múltiplos prêmios de "Canção do Ano" de diversas premiações.[32][60] Seu sucesso na Coreia do sul também se expandiu ao Japão, com o grupo vencendo diversos prêmios de "Melhor Novo Artista" em seus primeiros anos de carreira no país.[60][64][66]

BIGBANG na premiação Gaon Chart K-Pop Awards de 2016.

Seu EP Tonight de 2011 tornou-se o primeiro álbum de K-pop a entrar no top 10 de álbuns do iTunes Estados Unidos.[214] Além disso, ele também alcançou o terceiro lugar na parada de "World Albums" da Billboard, um feito raro para um álbum de língua não inglesa e sem promoção no país.[215] Com a pré-venda de 10.000 cópias no Cyworld, o BIGBANG bateu o recorde estabelecido pelo grupo TVXQ de 6.500 cópias em 2008.[70] Emergindo como o vencedor do prêmio de "Best Worldwide Act" do MTV Europe Music Awards, o grupo tornou-se um ícone internacional.[77] Além disso, o seu concerto de 2012 obteve o recorde de maior venda de ingressos em Taiwan.[216] Em 2014, foram listados na posição de número dois no Top 10 de celebridades da Forbes Korea de 2014.[217] O grupo detém atualmente o recorde de único artista a vencer mais de um prêmio de "Artista do Ano" do Mnet Asian Music Awards, tendo recebido o prêmio nos anos de 2008, 2012 e 2015.[218] Seus álbuns singles: "M," "A," "D," e "E", todos lançados em 2015, tornaram o grupo o segundo artista sul-coreano, depois de seu companheiro de gravadora Psy, a conquistar a posição de número um e número dois simultâneamente na parada de "World Digital Songs" da Billboard, repetindo o feito por três vezes.[97] Em 2015, tornaram-se o grupo de K-pop mais visto do YouTube,[219] além do primeiro grupo masculino a ter quatro vídeos com mais de 100 milhões de visualizações no referido site com "Fantastic Baby", "Bang Bang Bang", "Good Boy" e "Loser".[177][178]

A sua turnê Made World Tour, foi a maior já realizada por um artista sul-coreano,[220] tendo trazido diversos feitos ao grupo, que incluem: o concerto online de K-pop mais visto na história,[221] o primeiro artista estrangeiro a se apresentar nas arenas Dome do Japão por três anos consecutivos,[222] o único artista estrangeiro a realizar três concertos consecutivos no Shanghai Arena,[223] o primeiro artista sul-coreano a realizar um concerto de dois dias no Kuala Lumpur,[224] a maior turnê de K-pop da história dos Estados Unidos,[225] o primeiro artista estrangeiro a vender três concertos em Hong Kong em duas ocasiões distintas,[226] um dos concertos mais caros da história da Malásia,[227] o maior público de um artista sul-coreano em Chengdu, China,[228] a maior turnê chinesa de um artista sul-coreano[229] e a maior apresentação de K-pop realizada no Canadá.[230]

Integrantes

BIGBANG[231]
Nome artístico Nome de nascimento Data de nascimento Posição no grupo
Romanizado Hangul Japonês Romanizado Hangul
T.O.P T.O.P Choi Seung-hyun 최승현 4 de novembro de 1987 (28 anos) Rapper Principal e Visual.[1]
Taeyang 태양 SOL Dong Young-bae 동영배 18 de maio de 1988 (28 anos) Vocalista Principal, Dançarino Principal e Rapper Guia.
G-Dragon 지드래곤 GD Kwon Ji-yong 권지용 18 de agosto de 1988 (28 anos) Líder, Rapper Líder, Dançarino Guia e Face [2]
Daesung 대성 D-Lite Kang Dae-sung 강대성 26 de abril de 1989 (27 anos) Vocalista Líder.
Seungri 승리 V.I. Lee Seung-hyun 이승현 12 de dezembro de 1990 (25 anos) Vocalista Guia, Dançarino Líder e Maknae.[3]

Notas
1.  : Visual, é um termo utilizado para o integrante mais bonito de um grupo de K-Pop.
2.  : Face, é um termo geralmente utilizado para o integrante mais popular de um grupo de K-Pop.
3.  : Maknae, é um termo utilizado para o membro mais novo de um grupo de K-Pop.

Discografia

Ver artigo principal: Discografia de Big Bang

Discografia em coreano

Álbuns de estúdio
Extended plays (EPs)

Discografia em japonês

Álbuns de estúdio
Extended plays (EPs)

Filmografia

  • 2016: BIGBANG Made the Movie

Turnês

Referências

  1. a b «Big Bang Performs First U.S. Show In 3 Years». Vibe. Consultado em 10 de janeiro de 2016. 
  2. a b «Korea's boy band BigBang rule MTV TRL Awards». gulfnews.com. Consultado em 10 de janeiro de 2016. 
  3. «Big Bang to Perform 'Alive Galaxy Tour' in New Jersey, 'Most Potential to Succeed in the U.S.'». KpopStarz. 08 de novembro de 2012. Consultado em 16 de novembro de 2012. 
  4. Fujimori, Sachi (08 de novembro de 2012). «Leading up to its Newark shows, is Big Bang ready to bring K-pop to the U.S.?». NorthJersey. The Record. Consultado em 16 de novembro de 2012. 
  5. «MIAK Chart» (em coreano). web.archive.org. Arquivado desde o original em 21 de dezembro de 2007. Consultado em 06 de junho de 2016. 
  6. «K-Pop Rewind: Seo Taiji And Boys 'I Know'» (em inglês). Kpopstarz. 19 de setembro de 2013. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  7. «빅뱅 쥬크온차트 8주 연속 1위 기염, JOO도 2주만에 7위 진입» (em coreano). Newsen. Arquivado desde o original em 09 de fevereiro de 2008. Consultado em 25 de março de 2016. 
  8. «Big Bang's 'Day by Day' Sweeps K-POP Charts for Four Weeks» (em inglês). KBS. Arquivado desde o original em 13 de setembro de 2008. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  9. «2008 Mnet KM Music Festival». Mwave. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  10. «Big Bang scores triple win at Japan MTV Music Awards». Hancinema. 31 de maio de 2010. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  11. Frost, Caroline (11 de julho de 2011). «MTV EMA Awards: Britney Spears Loses Out To BIGBANG, Lady Gaga, Justin Bieber, Bruno Mars, Eminem All Winners». The Huffington Post. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  12. «BIGBANG’s "Alive" Continues to Set Records Charts on Billboard’s 200». Soompi. 08 de março de 2012. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  13. a b c «Big Bang's Album Sales, World Tour Earn Them A Cool $128 Million In 2015». KpopStarz. 15 de dezembro de 2015. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  14. Park, Yiseung (06 de agosto de 2010). «'음악평론가' 임진모, "작곡하는 빅뱅은 아이돌 아니다"» (em coreano). Nate. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  15. «BIGBANG sale Count». OneHallyu. 07 de abril de 2016. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  16. a b «Big Bang's Global Influence: How to Build a Boy Band That Lasts» (em inglês). The Hollywood Reporter. 01 de novembro de 2011. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  17. a b c d e Sablan, Niño Mark (24 de julho de 2009). «Crazy for K-pop». Philippine Daily Inquirer- Super (marksablan.com). Consultado em 10 de junho de 2016. 
  18. Park, So-youn (02 de fevereiro de 2010). «[新스타고백]지드래곤⑤아이돌그룹 활동, 망설였다». Asiae. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  19. a b «Big Bang Profile». KBS World. Arquivado desde o original em 01 de dezembro de 2010. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  20. '준비된 그룹' 빅뱅, 대폭발 예고 (em coreano). Sports Chosun. 07 de julho de 2006. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  21. «올 최고 기대주 빅뱅, 9월 중순부터 본격 활동 개시» (em coreano). Nate. 21 de agosto de 2006. Arquivado desde o original em 28 de fevereiro de 2015. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  22. a b c d «Album Sales For The Month of February 2007» (em coreano). Music Industry Association of Korea (MIAK). Arquivado desde o original em 21 de dezembro de 2007. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  23. «2007 Year-end Album Sales» (em coreano). Music Industry Association of Korea (MIAK). Arquivado desde o original em 08 de maio de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  24. a b c d Shamdasani, Pavan (09 de novembro de 2009). «How to Crack Japan: The Big Bang Theory». Time. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  25. a b Kim, Mi-youngshin (17 de agosto de 2007). «빅뱅, ‘Always’ 선주문 3만장 괴력» (em coreano). Hankyung News. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  26. a b «Big Bang's Showcase & First Fan Meeting». Arirang. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  27. a b Kim, Hyung Woo (21 de janeiro de 2008). «빅뱅 쥬크온차트 8주 연속 1위 기염, JOO도 2주만에 7위 진입» (em coreano). Newsen. Arquivado desde o original em 09 de fevereiro de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  28. 빅뱅, 단독콘서트 티켓 또 10분만에 매진 (em coreano). Star News. 20 de novembro de 2007. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  29. Kim, Hyung Woo (20 de novembro de 2007). 빅뱅 단독콘서트 티켓 5천석 10분 만에 매진 (em coreano). Newsen. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  30. Kim, Wong Young (31 de dezembro de 2007). «빅뱅, 멤버들 줄부상에 일시 활동중단 (Big Bang, String of Member Injuries Cause Break in Schedule)» (em coreano). Star News. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  31. «Big Bang's Albums in Short Supply». KBS World. 26 de dezembro de 2007. Arquivado desde o original em 26 de dezembro de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  32. a b Kang, Jihoon (26 de dezembro de 2007). «빅뱅 '올해의 노래'-슈주 '올해의 가수'...MKMF '아이돌 천하'(종합) ("Big Bang 'Song of the Year', Super Junior 'Artist of the Year', MKMF 'Idol Reign' (Updated)")» (em coreano). Nate. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  33. «빅뱅, 서울가요대상 영예의 대상 수상!» (em coreano). Nate. 31 de janeiro de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  34. a b c 빅뱅 올 360억원 대박 쳤다 (em coreano). dongA.com. 28 de novembro de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  35. Kim, Hyung Woo (05 de fevereiro de 2008). 빅뱅 일본진출 멤버 이름 바꿔 활동 (em coreano). IS Plus. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  36. Kim, Sung Win (14 de fevereiro de 2008). «빅뱅, '오리콘 차트' 이름 올리다 (Big Bang, putting their name up on 'Oricon Chart')» (em coreano). Hankooki. Arquivado desde o original em 19 de fevereiro de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  37. «Big Bang Signs Modeling Contract with FILA Korea». KBS World. 16 de setembro de 2008. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  38. a b Seoyoung, Park (04 de novembro de 2008). 빅뱅 정규2집 ‘리멤버’ 선주문 20만장 넘었다! 8일 본격 활동개시 (em coreano). Newsen. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  39. «2008 Mnet KM Music Festival» (em coreano). Mnet Asian Music Awards. 08 de setembro de 2008. Arquivado desde o original em 02 de fevereiro de 2010. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  40. Cho, Jihyun (15 de dezembro de 2009). «2NE1 Picked Artist of the Year by Mnet». The Korea Times. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  41. Kim, Hyung Woo (28 de abril de 2009). «빅뱅-2NE1 ‘롤리팝’ 엠넷차트 4주연속 1위 기염» (em coreano). Newsen. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  42. «So Fresh, So Cool». generasia. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  43. «Big Bang's Third Single "Koe o Kikasete"» (em japonês). The Chosun Ilbo & Chosunonline. 04 de novembro de 2009. Arquivado desde o original em 07 de novembro de 2009. Consultado em 10 de junho de 2016. 
  44. Sekiguti, Ken (06 de novembro de 2009). «「おひとりさま」主題歌など人気急上昇BIGBANGの魅力をたっぷりと» (em japonês). RBB Today. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  45. «CDシングルランキング 2009年07月06日付» (em japonês). Oricon. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  46. «CDシングルランキング 2009年07月20日付» (em japonês). Oricon. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  47. «BIGBANG(初回限定盤)» (em japonês). Oricon. Consultado em 11 de junho de 2016. 
  48. Kim, Lynn (07 de setembro de 2009). «G-Dragon conquers Korean music charts». 10asiae. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  49. «Tae Yang new single Wedding Dress». Korean Top News. 07 de setembro de 2009. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  50. Han, Sang-hee (24 de maio de 2009). «'Iris' to Bring Spy Story to Small Screen». The Korea Times. Arquivado desde o original em 03 de janeiro de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  51. «Big Bang does 'Ohitorisama' opening». Tokyo Graph. 24 de maio de 2009. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  52. Han, Sang-hee (16 de outubro de 2009). «Big Bang Will Sing Opening Theme for Japanese Drama». The Korea Times. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  53. «CDシングルランキング 2009年11月16日付» (em japonês). Oricon. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  54. Han, Sang-hee (16 de dezembro de 2009). «Big Bang to Hold Big Show in January». The Korea Times. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  55. Han, Sang-hee (05 de janeiro de 2009). «Idol Group Big Bang to Offer 'Big Show». The Korea Times. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  56. 日언론 "‘2관왕’ 빅뱅, 동방신기 따라잡을 기세" (em coreano). Newsen. 31 de dezembro de 2009. Arquivado desde o original em 10 de julho de 2013. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  57. «빅뱅의 도발적인 유혹, ‘롤리팝 2’ 음원-TV CF 공개» (em coreano). Korea Newswire. 19 de fevereiro de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  58. Hou, Jingjia (18 de fevereiro de 2010). «빅뱅 신곡 ‘롤리팝Pt.2’ 공개해보니···» (em coreano). KW News. Consultado em 21 de fevereiro de 2010. 
  59. a b «유인나, 한솥밥 YG 빅뱅 뮤비 ‘텔미 굿바이’ 출연» (em coreano). Joins. 20 de maio de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  60. a b c «Big Bang to Win "Best Song" Award at Japan Record Awards» (em inglês). Soompi. 22 de novembro de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  61. Cho, Sangwon (16 de maio de 2010). 빅뱅-김연아-트랜스픽션 월드컵 응원가 ‘승리의 함성’ 공개 (em coreano). KW News. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  62. Kim, Hyung Woo (21 de janeiro de 2010). 탑, 빅뱅 단독공연서 솔로곡 깜짝 발표 (em coreano). Star News. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  63. «G-Dragon and Top to Release Duet Album in December». Hancinema (KBS). 30 de novembro de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  64. a b «ビッグバン・東方神起、日本ゴールドディスク賞受賞 (Gods of the Rising East win Japanese Gold Disc Award)» (em japonês). Japan Joins. 25 de fevereiro de 2010. Arquivado desde o original em 01 de março de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  65. «Korean boom hits the Japan Record Awards with Big Bang». Japan Today. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  66. a b «[포토엔] 빅뱅, MTV뮤직어워드재팬 3관왕 환호성에 손높이» (em coreano). Newsen. 30 de maio de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  67. Kim, Hyung Woo (25 de agosto de 2010). 빅뱅 25일 日 5번째 싱글 발표 ‘韓 아이돌 열풍 이끄나’ (em coreano). Newsen. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  68. Kim, Sunny (06 de dezembro de 2010). «Big Bang's Concert 2011 Big Show To Be Held In February!». MTV Korea. Arquivado desde o original em 10 de dezembro de 2010. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  69. Lee, Soo-yeon (26 de fevereiro de 2011). «컴백 빅뱅, 엠넷 ‘빅뱅TV 라이브’ 전격 방송 ‘6곡 최초 공개’». Newsen. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  70. a b «빅뱅, 예약 판매 서태지 넘었다 (Big Bang sells 10,000 albums in pre-sales, doubles Seo Taiji and TVXQ’s records (em coreano). hankooki.com. 22 de fevereiro de 2011. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  71. Cho, Euna-young (01 de março de 2011). 빅뱅, 오늘 음반판매 10만장 돌파..음원도 돌풍 (em coreano). Daum. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  72. Choi, Jun (28 de fevereiro de 2011). '더빅뱅쇼' 빅뱅, 2년 3개월만에 공중파 첫 선··'강렬+파격' (em coreano). 10asiae. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  73. Kil, Hyeseung (02 de março de 2011). «'첫방도 안한' 빅뱅, 컴백 6일만에 매출 '70억' (Big Bang totals 7 billion won in sales prior to official promotions (em coreano). Star News. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  74. «2011년 11주차 Digital Chart». Gaon Music Chart. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  75. Lee, Eunji (16 de abril de 2011). «빅뱅 '러브송' MV, 전세계 유튜브 점령…이틀만에 100만 클릭 (Big Bang’s ‘LOVE SONG’ M/V over two million views in two days)» (em coreano). My Daily. Arquivado desde o original em 15 de maio de 2011. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  76. «BIGBANG presents LOVE&HOPE (Bigbang 'LOVE&HOPE'tour to mobilize over 90,000 fans)» (em coreano). YG Entertainment. 02 de abril de 2011. Arquivado desde o original em 22 de abril de 2011. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  77. a b c Mukasa, Edwina (15 de dezembro de 2011). «Bored by Cowell pop? Try K-pop» The Guardian [S.l.] Consultado em 29 de junho de 2016. 
  78. «Winners from the 2011 Mnet Asian Music Awards» (em inglês). Allkpop. 29 de novembro de 2011. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  79. Kang Seung Hoon (14 de dezembro de 2011). «Big Bang Best Album Tops On Oricon Daily Album Chart» (em inglês). Kpopstarz. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  80. 빅뱅 새앨범 선주문 26만장 (em coreano). Nate. 28 de fevereiro de 2012. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  81. "This links to current week - select the week from drop down menu" iChart. Consultado em 01 de março de 2012
  82. «2012년 02월 Album Chart». Gaon Music Chart. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  83. «K-Pop Hot 100: BIGBANG Is Unstoppable». Billboard. 13 de março de 2012. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  84. a b c Mahr, Krista (07 de março de 2012). «South Korea’s Greatest Export: How K-Pop’s Rocking the World» Time [S.l.] Consultado em 12 de junho de 2016. 
  85. «K-Pop Explosion». Grammy.com. 14 de março de 2012. Consultado em 12 de junho de 2016. 
  86. a b «Big Bang ‘Fantastic,’ Drove 40,000 Fans Wild». KpopStarz. 28 de setembro de 2012. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  87. «YG Entertainment and Live Nation proudly announce the BIGBANG ALIVE TOUR 2012!». Facebook BIGBANG. 29 de setembro de 2012. 
  88. «BIGBANG’s “Fantastic Baby” Sets Record With 200 Million YouTube Views» (em inglês). Soompi. 26 de janeiro de 2016. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  89. «BIGBANG is BACK!全世界待望、2012年完全復活のニュー・アルバム3月28日リリース!!» (em japonês). YGEX. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  90. a b «Big Bang's "Alive" Japan Version Gets RIAJ Gold Certification – Over 100,000 Copies Sold». Recording Industry Association of Japan (RIAJ). Consultado em 06 de janeiro de 2015. 
  91. a b «Big Bang 2012 Album King in Sales with 400,000 Copies Sold». KpopStarz. 19 de julho de 2012. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  92. «SPRINGROOVE 2012 - LINEUP». Creativeman Productions. 22 de novembro de 2012. 
  93. Gruger, William (07 de junho de 2012). «Big Bang's 'Alive' and Well on Billboard's Social 50 Chart». Billboard. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  94. «Winners from the ’2012 Mnet Asian Music Awards’» Mnet [S.l.] Consultado em 18 de junho de 2016. 
  95. «Big Bang Wins 'Best Fan' MTV TRL Award In Italy». MTV Asia. 08 de maio de 2012. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  96. «Big Bang Unveils Plan of ′Made′ Series for Upcoming Album». MWave. 24 de abril de 2015. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  97. a b «BIGBANG Occupy Top Two Slots on World Digital Songs Chart» (em inglês). Billboard. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  98. «BIGBANG Own Top Two Slots on World Digital Songs...Again!» (em inglês). Billboard. 11 de junho de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  99. «BIGBANG’s 4 New Tracks Huge Hit in China!!». YG Family. 16 de junho de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  100. «Big Bang’s ‘MADE’ album exceeds 100m views on YouTube». KpopHerald. 25 de junho de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  101. «Big Bang Win MTV IGGY's International Song Of the Summer 2015 For 'Bang Bang Bang'». KpopStarz. 22 de julho de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  102. «Billboard World Digital Songs» (em inglês). Billboard. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  103. «There will be no music vídeo for BIGBANG's "If You"» (em inglês). SBS PopAsia. 30 de junho de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  104. «BIGBANG Breaks 200 Million Views Total from “MADE SERIES” Music Videos» (em inglês). Soompi. 14 de julho de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  105. «GD&TOP are back as Big Bang drop their final 'E' tracks». Allkpop. 04 de agosto de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  106. «Billboard World Digital Songs» Billboard [S.l.] Consultado em 22 de junho de 2016. 
  107. «Big Bang's Seoul concert had it all». The Korean Times. 07 de março de 2016. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  108. «BIGBANG is always different… World tour that has drawn 1.5 million fans ended in great success». YG Life. 06 de março de 2016. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  109. «BIGBANG postpones 'MADE' Album Release Date; Boy Band Working on Next Album?». International Business Times. 19 de agosto de 2015. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  110. «2015 MAMA | Mnet Asian Music Awards». Mnet Asian Music Awards. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  111. «Big Bang To Hit 8 Chinese Cities Next Month For 2nd MADE Tour Circuit». KpopStarz. 05 de fevereiro de 2016. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  112. a b c «BIGBANG fascinated 280,000 fans in Japan… Japan event tour successfully ended». Yg Life. 30 de maio de 2016. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  113. «BIGBANG FANCLUB EVENT ~FANTASTIC BABYS 2016~». YGEX. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  114. «Kpop News: BIGBANG Grabs A Major Award From Italian MTV Award». News Everyday. 21 de junho de 2016. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  115. «BIGBANG10». BIGBANG10. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  116. «BigBang to release World Tour movie». asiaone. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  117. «'BigBang MADE' Movie Premieres Today [WATCH]». 30 de junho de 2016. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  118. «BIGBANG will hold 10th anniversary concert 0.TO.10 on August 20… Confirmed». YG Life. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  119. «BIGBANG hosts an exhibition to celebrate 10th anniversary of their debut… “Shows BIGBANG’s past, present, and future”». YG Life. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  120. «BIGBANG is to Hold a Live Stadium Concert in Japan for 110,000 Fans to Celebrate their 10th Anniversary». YG Life. 07 de março de 2016. Consultado em 22 de junho de 2016. 
  121. a b c «筆頭はあらゆる表現を駆使するBIGBANG!» (em japonês). Yahoo! Japan. 21 de dezembro de 2009. 
  122. «11 BIGBANG Songs That Deserve More Love» (em inglês). Fuse. 29 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  123. «11 BIGBANG Songs That Deserve More Love» (em inglês). Fuse. 29 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  124. Kim, Wong Young (28 de fevereiro de 2008). «빅뱅·BEG·쥬얼리…가요계 대세는 '일렉트로니카' (Big Bang, Brown Eyed Girls, Jewelry... The trend of J-pop 'Electronica')» (em coreano). Star News. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  125. «빅뱅 "이젠 소년 아닌 남자!"(일문일답)». Star News. 19 de agosto de 2007. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  126. Kim Mi-youngshin (08 de agosto de 2008). «빅뱅, 3집 컴백과 동시에 타이틀곡 `하루하루`와 M/V 화제!» (em coreano). HanKyung News. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  127. Jihyun, Lee (26 de novembro de 2007). «빅뱅, "하고 싶어지면 트로트도 도전" (Big Bang, 'If we want to, we'll do Trot')» (em coreano). CBS Big Bang. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  128. «11 BIGBANG Songs That Deserve More Love» (em inglês). Fuse. 29 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  129. a b c Rivera, Nicole (29 de fevereiro de 2012). «BIG BANG - "ALIVE"». Pop Reviews Now. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  130. Staff, Fuse (04 de dezembro de 2012). «The 40 Best Songs of 2012: Fuse Staff Picks» (em inglês). Fuse. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  131. a b «The 21 Greatest K-Pop Songs of All Time | SPIN - Page 2». Spin. 01 de junho de 2012. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  132. jbarky (01 de junho de 2012). «[Exclusive] Big Bang "Monster" Review». Soompi. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  133. a b jbarky (01 de junho de 2012). «[Exclusive] Big Bang "Bingle Bingle" Review». Soompi. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  134. «[Album & MV Review] Big Bang - 'E'». Allkpop. 07 de agosto de 2015. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  135. «Big Bang - 'MADE' Album Review» (em inglês). Funcurve. 17 de dezembro de 2015. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  136. «Album Review Tuesday: BIGBANG MADE Series A». www.kcrush.com. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  137. a b «K-Pop Mixtape: 9 Most Definitive Big Bang Songs». KpopStarz. 23 de agosto de 2015. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  138. «11 BIGBANG Songs That Deserve More Love» (em inglês). Fuse. 29 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de junho de 2016. 
  139. Kim Jung-hwa (13 de junho de 2008). 동영배를 들어라, 빅뱅 '태양' (em coreano). DC News. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  140. Han, Sang-hee (28 de abril de 2009). «Young Singers Jumping Into Trot Genre». The Korea Times. Arquivado desde o original em 06 de janeiro de 2010. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  141. 新스타고백 지드래곤⑫"솔로앨범, 저한테는 도박이었죠" (em coreano). 10asiae. 11 de fevereiro de 2010. Arquivado desde o original em 12 de fevereiro de 2010. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  142. Mccurry, Justin (28 de setembro de 2012). «K-pop stars: the lowdown on South Korean pop» (em inglês). The Guardian. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  143. «조PD, '디스'했던 GD 인정.."뮤지션역량 갖췄다" (Cho PD Praised Big Bang and G-Dragon Surprised the Public)» (em coreano). Daum. 16 de março de 2011. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  144. «조PD "아이돌 가수도 빅뱅처럼 역량 갖춰야" 쓴소리» (em coreano). Daum. 16 de março de 2011. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  145. a b c d «They’re the biggest band in Asia, but Big Bang’s days may be numbered» (em inglês). The Washington Post. 03 de março de 2016. ISSN 0190-8286. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  146. «The Rise of South Korea’s Big Bang – Sessions X» (em inglês). Sessions X. 29 de agosto de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  147. «Fandom, Not Genre, K-Pop Surpasses The Limitations Of Music» (em inglês). KultScene. 14 de março de 2016. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  148. «Big Bang Break Hearts With "Let’s Not Fall in Love"» (em inglês). seoulbeats. 08 de agosto de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  149. «G-Dragon explains the meaning behind BIGBANG's "If You"» (em inglês). SBS PopAsia. 02 de julho de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  150. «G-Dragon Explains The Meaning Behind Big Bang Single 'Loser': 'People Who Stand Under The Spotlight Are Just Human Beings'». KpopStarz. 15 de maio de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  151. «Big Bang Takes a Sex Trip in "Bae Bae"» (em inglês). seoulbeats. 06 de maio de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  152. «8 Reasons You Need to Pay Attention to BIGBANG Right Now» (em inglês). Fuse. 01 de maio de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  153. «Big Bang's MV 'SOBER' Imply Meaningful Message». Kpop Chart - English. 03 de julho de 2015. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  154. a b Lee, Sung-moo (28 de outubro de 2009). «Is Plagiarism a New Genre?» (em coreano). The Korea Times. Arquivado desde o original em 01 de novembro de 2009. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  155. Chung, Ah-young (13 de fevereiro de 2009). «Big Bang Reveals Self-Fulfilment Strategies». The Korea Times. Consultado em 27 de junho de 2016. 
  156. Chung, Ah-young (29 de maio de 2008). 오마리온 안무가 "빅뱅 태양, 엄청난 재능의 댄서" (em coreano). Joy News. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  157. 탑 복근, 빅뱅 멤버 복근 중 제일 보기 힘들다? (em coreano). JK News. 03 de janeiro de 2009. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  158. Kim, Wong Young (08 de dezembro de 2007). «빅뱅, '줄넘기춤'으로 국민댄스 도전 (Big Bang, going for 'Jump Rope dance' as the all-time dance)» (em coreano). Star News. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  159. «K-Pop Behind The Spotlight: Choreographer Parris Goebel On The Making Of Big Bang's 'Bang Bang Bang' Video [EXCLUSIVE]». KpopStarz. 16 de junho de 2015. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  160. CARAMANICA, JON (09 de novembro de 2012). «BigBang Performs at the Prudential Center» (em inglês) The New York Times [S.l.] Consultado em 28 de junho de 2016. 
  161. «#MCSAwards 2012 Results». Manila Concert. 05 de janeiro de 2013. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  162. a b Sullivan, Caroline (16 de dezembro de 2012). «Big Bang – review». The Guardian. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  163. Pareles, Jon (26 de dezembro de 2012). «Pop’s Big Nights: The Best Concerts of 2012, as Seen by Times Critics» (em inglês). The New York Times. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  164. «Review BigBang explodes K-Pop convention at the Honda Center» (em inglês). Los Angeles Times. 05 de outubro de 2015. Consultado em 28 de junho de 2016. 
  165. Lee, Hye-rin (01 de janeiro de 2008). «빅뱅, "우리의 롤모델은 신화" ("Big Bang, 'Our Rolemodel is Shinhwa'")». Naver. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  166. Han, Sang-hee (03 de janeiro de 2008). «Big Bang Will Knock on Japan». The Korea Times. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  167. Jang, Woo Cheol (24 de julho de 2009). «Taeyang Interview» (em coreano). GQ Korea. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  168. Park, Sang Suk (23 de fevereiro de 2008). «Hot item of the trendiest Korean men» (em coreano). Seoul News. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  169. «빅뱅 G드래곤 "의상 전공에 욕심있다" (Big Bang's G-Dragon: "I'm interested in majoring in fashion")» (em coreano). bb-flow.com. 03 de dezembro de 2007. Arquivado desde o original em 28 de junho de 2013. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  170. Pang, Lauren (10 de fevereiro de 2010). «Big Bang shirts sell out, set Uniqlo sales record». Asia Pacific Arts. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  171. Bae, Hannah (06 de janeiro de 2012). «Fashion is essential to tourism» (em inglês). CNNGo. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  172. «Korean pop firm YG Entertainment rallies on trade debut» (em inglês). BBC. 23 de novembro de 2011. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  173. «Iconic songs from 15 of K-pop's top idol groups». Allkpop. 03 de novembro de 2013. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  174. «20 Best K-Pop Songs of 2012: BIGBANG, PSY, 2NE1 & More» (em inglês). Billboard. 21 de dezembro de 2012. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  175. «Big Bang's 'Fantastic Baby' Reaches Another Milestone» (em inglês). Officially Kmusic. 01 de fevereiro de 2016. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  176. «What do BIGBANG members do when they're not performing? G-Dragon reveals the truth [PHOTOS]» (em inglês). International Business Times, India Edition. 05 de fevereiro de 2016. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  177. a b «G-Dragon, Taeyang's 'Good Boy' hits 100 million YouTube views». The Korea Times. 14 de abril de 2016. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  178. a b «BigBang celebrates fourth 100 mln breaker music video on YouTube» (em inglês). Yonhap News Agency. 14 de junho de 2016. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  179. «The 20 Best K-Pop Videos». Stereogum. 22 de março de 2012. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  180. «The 20 Best K-Pop Songs of 2015» (em inglês). Billboard. 30 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  181. «K-pop sensation Big Bang's latest video is fantastic baby» (em inglês). The Vancouver Sun. 16 de março de 2012. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  182. Naidu-Ghelani, Rajeshni (16 de julho de 2012). «Move Over Bieber — Korean Pop Music Goes Global» (em inglês). CNBC. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  183. Frost, Caroline (07 de janeiro de 2012). «MTV EMA Awards: Britney Spears Loses Out To BIGBANG, Lady Gaga, Justin Bieber, Bruno Mars, Eminem All Winners». Huffington Post. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  184. «YouTube to Launch Exclusive K-Pop Channel». The Chosun Ilbo. 08 de novembro de 2011. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  185. «K-Pop Hot 100: BIGBANG Is Unstoppable» (em inglês). Billboard. 13 de março de 2012. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  186. Caramanica, Jon (09 de novembro de 2012). «BigBang Performs at the Prudential Center» (em inglês). The New York Times. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  187. Benjamin, Jeff (21 de fevereiro de 2013). «BIGBANG Reflect on Their World Tour in Exclusive Q&A» (em inglês). Billboard. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  188. Sunwoo, Carla (22 de janeiro de 2013). «Jill Scott raves about Big Bang song». Korea Joongang Daily. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  189. Rasul, Juliana June (26 de abril de 2012). «Pixie Lott is a K-pop fan». Asia One. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  190. «Sierra Leone's A*M*E Reps K-Pop to the Fullest» MTV Iggy [S.l.] 31 de outubro de 2012. Arquivado desde o original em 11 de abril de 2013. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  191. Hyo-Won, Lee (05 de janeiro de 2013). «Dakota, Elle Fanning Create Media Frenzy in South Korea» (em inglês). The Hollywood Reporter. Consultado em 30 de junho de 2016. «She also made headlines for being a fan of G-Dragon, a member of the Korean pop band Big Bang. Local media reported that Fanning’s agency tried to set up a meeting for the two but plans did not go through due to conflicting schedules.» 
  192. «Nelly Furtado's love for music is indestructible». afspot.net via Channel NewsAsia. 18 de agosto de 2012. Consultado em 30 de junho de 2016. «However, there is just one catch. "All the K-pop artistes are making their careers over here in Asia, so the average K-pop artiste is not that easy to phone up," said Furtado, who described herself as being "obsessed with J-pop and K-pop" recently.» 
  193. «Fantagio's new boy group ASTRO say their role model is Big Bang». Allkpop. 18 de agosto de 2015. Consultado em 2016-05-25. 
  194. «BTS (Bangtan Boys) choose Big Bang as their role models». Allkpop. 18 de junho de 2013. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  195. «Jang Gi Ha's Role Model is Big Bang and Girls' Generation?». KpopStarz. 23 de outubro de 2012. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  196. «KPOP NEWS - SONAMOO Chooses Big Bang as Its Role Model». Mwave. 29 de dezembro de 2014. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  197. Jane, Admin (19 de fevereiro de 2016). «iKON: "BIGBANG Seniors is our Role Model…We’re Going to be the Best"». YG UNITED. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  198. Hadfield, James (20 de agosto de 2012). «Summer Sonic: Grimes interview». Time Out Tokyo. 
  199. «G-Dragon – K-pop's golden boy». Dazed & Confused. Consultado em 30 de junho de 2016. «Musically, Grimes provided one of her more fangirl moments on Twitter, writing "G Dragon i love you" and "G-Dragon is definitely the pinnacle of pop for me".» 
  200. «Copycat of Big Bang Surfaces in China». The Korea Times. 20 de dezembro de 2009. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  201. «Review: BIGBANG explosive for their "MADE" tour» (em inglês). The Michigan Daily. 25 de outubro de 2015. Consultado em 30 de junho de 2016. 
  202. «빅뱅 빅쇼, 한국관광산업 살찌운다 (Big Bang’s "Big Show" Concert will improve Korea’s Tourism)» (em coreano). Naver. 27 de janeiro de 2010. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  203. «K-Pop». Visit Korea. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  204. 한국 연예인 "몸값"순위 (em coreano). people.com.cn. 21 de fevereiro de 2011. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  205. «K-pop boy band Big Bang hits TIME’s most influential list» (em inglês). Asia Times. 14 de abril de 2016. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  206. Greenburg, Zack O'Malley. «Bigbang Theory: How K-Pop's Top Act Earned $44 Million In A Year». Forbes. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  207. «BIGBANG, os coreanos que arrecadam mais que o MAROON 5». Billboard Brasil. 07 de julho de 2016. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  208. «Big Bang, TVXQ, Girls' Generation Named Leaders Of The Hallyu Wave In South Korean Ministry Of Culture Study». KpopStarz. 22 de outubro de 2015. Consultado em 01 de julho de 2016. 
  209. «KPOP 101: Fanclubs». Project Obangsaek. 25 de abril de 2011. Arquivado desde o original em 25 de junho de 2012. Consultado em 25 de junho de 2016. 
  210. a b «아이돌 팬 '응원 풍선 색깔찾기 전쟁'» (em coreano). Hani.co.kr. 13 de junho de 2011. Consultado em 05 de junho de 2016. 
  211. «5 Asian celebrities who are huge BIGBANG fans» (em inglês). DramaFever News. 30 de outubro de 2015. Consultado em 25 de junho de 2016. 
  212. «BIGBANG's VIPs Win Fuse's 'Battle of the Pop Fans' 2016, Named Top Fanbase of 2016». Fuse. 09 de abril de 2016. Consultado em 25 de junho de 2016. 
  213. a b «Big Bang's "Lies" lingered in Melon chart for 54 weeks!» (em inglês). Daily Kpop News. 15 de fevereiro de 2011. 
  214. Mrkic, Mike (26 de fevereiro de 2011). «Korean pop the next big thing?». Star Observer. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  215. «Big Bang ranks 3rd on Billboards world album chart». The Korea Times. 09 de março de 2011. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  216. «BIG BANG BREAKS RECORD FOR HIGHEST CONCERT TICKET SALES FOR KOREAN ARTIST IN TAIWAN». BIGBANG Updates via EnKorea. 22 de outubro de 2012. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  217. Shmavonian, Karl (11 de abril de 2014). «FORBES KOREA's Top 10 Celebrities, 2014». Forbes. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  218. «MAMA 2015: Big Bang And EXO Walk Away With Top 3 Awards». KpopStarz. 02 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  219. «Big Bang tops YouTube’s most-watched K-pop videos list for 2015». www.koreatimesus.com. 07 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  220. «Big Bang returns home after epic world tour». Korea Joongang Daily. 26 de fevereiro de 2016. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  221. «빅뱅, 월드투어 ‘MADE’ 中 텐센트 비디오 통해 생중계 (BIGBANG’s World Tour "MADE" Live on China’s Tencent)». Osen. 21 de junho de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  222. «Big Bang Becomes First Foreign Artist to Hold Japanese Dome Tour Three Years Straight». Mwave. 27 de abril de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  223. «Shanghai Concert of BIGBANG’s World Tour Electrified 30,000 Fans… Great Success». Osen. 22 de junho de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  224. «Big Bang Add Additional Date To MADE World Tour In Malaysia». Kpopstarz. 31 de maio de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  225. «BIGBANG Announce Huge Arena Tour for America This Fall». Billboard. 27 de maio de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  226. «Big Bang gigs sell out». scmp.com. 21 de maio de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  227. «Big Bang Mount One Of The Most Expensive Concerts In Malaysian History For 'MADE' World Tour». Kpopstarz. 17 de julho de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  228. «빅뱅, 중국 청두 공연 성료…3만 관객 매료». hankyung.com. 15 de agosto de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  229. «빅뱅, 韓가수 최다 中 11개도시-18만명 동원 투어 성료.."다시 올 것"». Osen. 31 de agosto de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  230. «K-pop band Big Bang doing booming business in Toronto». The Star. 26 de setembro de 2015. Consultado em 29 de junho de 2016. 
  231. «BIGBANG». YG. Consultado em 29 de junho de 2016. 

Ligações externas

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Big Bang (banda)