Bilawal Bhutto Zardari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bilawal Bhutto Zardari.

Bilawal Bhutto Zardari (em sindi: بلاول ڀٽو زرداري; em urdu: بلاول بھٹو زرداری, Carachi, 21 de setembro de 1988) é um político paquistanês que serve como presidente do Partido Popular do Paquistão e preside o comitê executivo central de seu partido.[1][2][3]

Pertencente à politicamente poderosa família Bhutto, ele é o filho do ex-presidente Asif Ali Zardari e da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto e neto do ex-presidente Zulfiqar Ali Bhutto e de sua esposa, a princesa iraniana Nusrat Bhutto. Bilawal Bhutto Zardari graduou-se e pós-graduou-se na Universidade de Oxford. Ele foi feito o chefe cerimonial do Partido Popular do Paquistão após o assassinato de sua mãe em 2007, e em 2014 ele assumiu a presidência do partido. Seu pai é uma das pessoas mais ricas do Paquistão.[4][5][6]

Início de vida e educação[editar | editar código-fonte]

Bilawal Bhutto Zardari nasceu no Hospital Lady Dufferin em Carachi, no Paquistão, em 21 de setembro de 1988, como o primeiro dos três filhos da futura primeira-ministra do Paquistão, Benazir Bhutto, e seu marido, Asif Ali Zardari, que mais tarde tornou-se o Presidente do Paquistão, em 2008. Ele tinha apenas três meses de idade quando sua mãe, Benazir Bhutto, tornou-se a primeira mulher primeira-ministra do Paquistão, em 1988. Ele tem duas irmãs, Bakhtawar e Asifa. Ele é neto do ex-presidente Zulfiqar Ali Bhutto e de Nusrat Bhutto. Seus tios maternos são Murtaza Bhutto e Shahnawaz Bhutto, além da tia Ghinwa Bhutto (esposa de Murtaza), bem como seu avô paterno é Hakim Ali Zardari, e tias paternas são Azra e Faryal, todos políticos. Sua prima, Fatima Bhutto, é uma poetisa e escritora.[7][8]

Bilawal Bhutto Zardari estudou no Aitchison College, em Lahore, mas devido a ameaças de segurança mudou-se para Karachi Grammar School e mais tarde participou da Escola Internacional de Froebel, em Islamabad.[9] Seu pai esteve numa cadeia paquistanesa entre 1996 e 2004 devido a acusações de corrupção. Ele deixou o Paquistão com sua mãe e irmãs em abril de 1999, passando a infância em Dubai e Londres durante o auto-exílio de sua família.[10] Mais tarde, ele estudou na School Rashid em Dubai, onde foi vice-presidente do conselho estudantil.[11] Ele tem uma faixa preta em taekwondo.[8]

Em 2007, Bilawal Zardari matriculou-se na Christ Church, um colégio constituinte da Universidade de Oxford. Ele estudou história britânica e mais tarde transferiu-se para estudar história geral.[12] Em dezembro de 2007, ele visitou o Paquistão depois que sua mãe, Benazir Bhutto, foi assassinada. Ele também retornou ao Paquistão em setembro de 2008 para testemunhar seu pai ser empossado como presidente do Paquistão.[13] Bilawal completou sua formação em junho de 2010.[14][15][16]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Após o assassinato de Benazir Bhutto, Asif Ali Zardari declarou Bilawal Bhutto Zardari como sucessor de sua mãe na liderança do partido.[17][18]] Bilawal Zardari foi nomeado presidente do Partido Popular do Paquistão em 30 de dezembro de 2007,[19] quando ainda estava estudando na Universidade de Oxford.[20] Em 2011, Bilawal Bhutto Zardari voltou definitivamente para o Paquistão e tornou-se mais ativamente envolvido na política paquistanesa[21], nomeadamente quando seu pai foi receber cuidados médicos em Dubai em dezembro de 2011.[22] Em maio de 2012, Bilawal Zardari afirmou que o Paquistão pediu à Interpol para emitir um "mandado vermelho" contra o ex-governante militar Pervez Musharraf em relação ao caso do assassinato de sua mãe.[23] Ele fez seu primeiro grande discurso público em 27 de dezembro de 2012, que marcava o quinto aniversário da morte de sua mãe.[24]

Em 2013, com 25 anos, tornou-se elegível para concorrer à Assembleia Nacional do Paquistão, já que a Constituição do país exige uma idade mínima de legisladores de 25 anos. Bilawal Bhutto Zardari não se candidatou a um cargo público nas eleições de 2012, mas prometeu disputar a próxima eleição geral no país, em 2018.[25]

Referências

  1. «Bhutto's son launches political career». aljazeera.com. Consultado em 16 April 2015. 
  2. «Bilawal Bhutto Zardari: The new hope for Pakistan’s future – The Express Tribune Blog». blogs.tribune.com.pk. Consultado em 1 June 2016. 
  3. «Who Is Bilawal Bhutto Zardari And Why Will The Teen Assume His Assassinated Mother's Post?». MTV News. Consultado em 1 June 2016. 
  4. Dawn.com (10 May 2015). «Bilawal Bhutto graduates from Oxford with MA degree». www.dawn.com. Consultado em 1 June 2016. 
  5. «Profile: Bilawal Bhutto Zardari – BBC News» (em inglês). BBC News. Consultado em 1 June 2016. 
  6. Masood, Salman (19 October 2014). «Bhutto’s Son Tries to Revive the Pakistan Peoples Party’s Fortunes». The New York Times [S.l.: s.n.] ISSN 0362-4331. Consultado em 1 June 2016. 
  7. «Profile: Bilawal Bhutto Zardari». Telegraph. 31 December 2007. Consultado em 2 December 2011. 
  8. a b «Benazir's son regrets he couldn't play cricket» The Times of India [S.l.] 30 December 2007. Consultado em 30 December 2007. 
  9. «PPP chairman Bilawal leaves for Oxford» Sify News [S.l.] Arquivado desde o original em 4 January 2008. Consultado em 8 January 2008. 
  10. Masood, Salman (23 November 2004). «After 8 Years in Jail, Husband of Bhutto Is Free». nytimes.com [S.l.: s.n.] Consultado em 16 July 2011. 
  11. Robinson, Simon (29 December 2007). «Bhutto's Successor». Time [S.l.: s.n.] Arquivado desde o original em 29 June 2011. Consultado em 12 July 2011. 
  12. Britten, Nick (1 January 2008). «Security assessment for Bilawal Bhutto Zardari». Telegraph. Consultado em 2 December 2011. 
  13. Wilkinson, Isambard (9 September 2008). «Benazir Bhutto's widower Asif Ali Zardari sworn in as Pakistan president». The Telegraph (London [s.n.]). Arquivado desde o original em 12 September 2008. Consultado em 23 September 2008. 
  14. «Profile: Bilawal Bhutto» BBC [S.l.] 30 December 2007. Arquivado desde o original em 1 January 2008. Consultado em 30 December 2007. 
  15. Britten, Nick (1 January 2008). «Security assessment for Bilawal Bhutto Zardari» (London: The Daily Telegraph). Arquivado desde o original em 2 January 2008. Consultado em 1 January 2008. 
  16. Sengupta, Somini (31 December 2007). «Opposition Parties Vow to Proceed With Jan. 8 Election» The New York Times [S.l.] Arquivado desde o original em 10 May 2013. Consultado em 1 January 2008. 
  17. «Bhutto's Son, Husband To Lead Party». cbsnews.com [S.l.: s.n.] 11 February 2009. Consultado em 19 March 2011. 
  18. Walsh, Declan (1 January 2008). «Zardari Rejects Claim of Al-Qaida Link to Bhutto's Murder». The Guardian [S.l.: s.n.] Consultado em 19 March 2011. 
  19. «Bhutto's Son Given Top Party Job» Sky News [S.l.] Consultado em 30 December 2007. [ligação inativa]
  20. «Key party role for Bhutto's son» The Press Association [S.l.] 30 December 2007. Arquivado desde o original em 2 January 2008. Consultado em 30 December 2007. 
  21. «Pakistan Peoples Party – PPP». ppp.org.pk. Consultado em 16 April 2015. 
  22. Jason Burke (13 December 2011). «Zardari treated for stroke as son Bilawal is groomed for power in Pakistan» The Guardian [S.l.] Consultado em 14 December 2011. 
  23. «Pakistan has asked Interpol to issue red warrant for Musharraf: Bilawal». The News (Islamabad [s.n.]). 28 May 2012. Consultado em 27 December 2012. 
  24. «Bhutto's son makes debut in Pakistan politics». Al Jazeera [S.l.: s.n.] 27 December 2012. Consultado em 27 December 2012. 
  25. «Bilawal qualifies to become MNA». The Nation. Consultado em 16 April 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bilawal Bhutto Zardari