Biro-Biro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Biro-Biro
Biro-Biro.jpg
Informações pessoais
Nome completo Antônio José da Silva Filho
Data de nasc. 18 de maio de 1959 (62 anos)
Local de nasc. Olinda (PE), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,70 m
destro
Informações profissionais
Equipa atual Aposentado
Posição Volante
Clubes profissionais
Anos Clubes
1977–1978
1978–1988
1989–1991
1991
1991–1993
1993
1993–1994
1994
1995
Sport
Corinthians
Portuguesa
Coritiba
Guarani
Paulista
Remo
Botafogo-SP
Nacional-SP
Times/Equipas que treinou
1998
2001
2002
2006
Grêmio Mauaense
Barra do Garças
Francana
Guarujá

Antônio José da Silva Filho, mais conhecido como Biro-Biro (Olinda, 18 de maio de 1959), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como volante. É considerado um dos maiores ídolos da história do Corinthians.[1][2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira no Sport e ficou nacionalmente conhecido em 1978, ano de sua contratação pelo Corinthians, principalmente, pela declaração do Presidente Vicente Matheus, que disse na imprensa que teria contratado um tal de Lero-Lero.[1] Com as características de muita aplicação tática em campo e grande preparo físico, conquistou a torcida corintiana, adquirindo muito carisma.[3] Disciplinado dentro e fora de campo, exercia certa liderança na equipe, tanto que participou da Democracia Corinthiana, movimento político iniciado no começo da década de 80 pelos jogadores do clube, ao lado de Sócrates, Casagrande e Wladimir.[4] Foi campeão paulista em 1979, 1982, 1983 e 1988. Na final do Campeonato Paulista de 1982, fez dois gols na vitória de 3 a 1 contra o São Paulo, contribuindo na conquista do título.[5]

Após jogar foi treinador, carreira na qual comandou Grêmio Mauaense, Barra do Garças, Francana e Guarujá.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Corinthians
Remo

Política[editar | editar código-fonte]

Elegeu-se vereador em São Paulo para o quadriênio 1989—1992, pelo PDS,[6] quando foi membro da Assembleia Constituinte Municipal que promulgou a Lei Orgânica do Município de São Paulo.[7]

Em 2006 candidatou-se a deputado federal pelo PSC, mas não foi eleito como também não foi eleito em 2004 a vereador de Mongaguá, cidade do litoral paulista, recebendo apenas dois votos.

Atualmente ele é assessor parlamentar de um deputado na Assembleia Legislativa de São Paulo.[1]

Comerciais[editar | editar código-fonte]

Coca-Cola[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2008 a Coca-Cola anunciou a campanha Quem Foi o Melhor?, pela qual os consumidores do refrigerante supostamente fariam a escolha entre Maradona ou Biro-Biro.[8] A votação se dava por meio de tampinhas de garrafas de Coca-Cola em urnas espalhadas em pontos comerciais. O resultado, anunciado ao final da campanha, deu "vitória" de Biro-Biro, por um voto de diferença.[9]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Fez 590 partidas pelo Corinthians. Número esse que o coloca como quinto jogador que mais vezes defendeu o clube.[5][1]
  • É o volante que mais vezes marcou pelo Corinthians, com 75 gols.[5][1]
  • No mesmo ano de sua conquista do Campeonato Paulista, 1988, ele foi eleito vereador de São Paulo com expressiva votação da Fiel torcida.[5]
  • Com a popularidade que tinha dentro e fora de campo, recebeu 80 mil votos para o Senado em um protesto contra o regime militar.[6]
  • Biro-Biro era uma das bases da chamada “Democracia Corintiana”.[6]
  • Mesmo mostrando disciplina e habilidade dentro de campo, nunca foi convocado para a Seleção Brasileira.
  • O Arroz Biro-Biro é acompanhamento encontrado em muitos cardápios de restaurantes brasileiros, especialmente em churrascarias.[10]

Referências

  1. a b c d e «Biro-Biro... Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 28 de novembro de 2017 
  2. «Biro-Biro ídolos do Corinthians». Meu Timão. Consultado em 28 de novembro de 2017 
  3. «Achei: Biro Biro resgata as belas lembranças da carreira». SporTV. 5 de outubro de 2018. Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  4. «Biro-Biro: 'Sócrates foi o melhor jogador que o Brasil já teve'». Torcedores.com. 3 de maio de 2016. Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  5. a b c d «Volante com mais gols pelo Corinthians, Biro-biro fazia sua estréia há 39 anos». Meu Timão. 14 de setembro de 2017. Consultado em 28 de novembro de 2017 
  6. a b c d «"O Corinthians foi tudo na minha vida", diz Biro-Biro». R7 Esportes. 27 de maio de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2017 
  7. São Paulo (Município/cidade). Lei Orgânica do Município de São Paulo de 04 de abril de 1990. manual de legislação atlas-vol 31. São Paulo; Editora Atlas, 1995
  8. «Biro-Biro fala sobre Corinthians e 'vitória' sobre Maradona em Os Canalhas». UOL. 3 de novembro de 2020. Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  9. «Biro Biro vence Maradona em eleição da Coca-Cola». Marketing Viewer. Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  10. «Arroz biro-biro faz homenagem a jogador e é dica de prato rápido da Hora do Rancho». G1. 6 de julho de 2017. Consultado em 22 de dezembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Biro-Biro
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço relacionado ao projeto desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.