Bis(benzeno)cromo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bis(benzeno)cromo
Alerta sobre risco à saúde
Bis(benzene)chromium-2D-skeletal.png Bis(benzene)chromium-from-xtal-2006-3D-balls-A.png
Bis(benzene)chromium 1.jpg
Nome IUPAC Bis(benzene) chromium
Outros nomes di(benzene) chromium
Identificadores
Número CAS 1271-54-1
Número RTECS GB5850000
Propriedades
Fórmula molecular C12H12Cr
Massa molar 208,22 g/mol
Aparência cristais castanho-negros
Ponto de fusão

284-285 °C

Ponto de ebulição

sublima-se:160 °C
no vácuo.

Solubilidade em água insolúveis
Solubilidade em outros solventes levemente: benzeno, THF
Estrutura
Geometria de
coordenação
pseudooctaédrico
Momento dipolar 0 D
Riscos associados
Principais riscos
associados
inflamável
Frases R 11
Frases S 16-33
Ponto de fulgor 180 °F
Compostos relacionados
Compostos relacionados Ferroceno
cromoceno
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Bis(benzeno)cromo é o composto organometálico com a fórmula Cr(η6-C6H6)2. É algumas vezes chamado dibenzenocromo. O composto desempenhou um papel importante no desenvolvimento dos compostos sanduíche na química organometálica é o prototípico complexo contendo dois arenos ligantes.

Preparação[editar | editar código-fonte]

A substância é reativa ao ar, razão pela qual sua síntese requer processos em atmosfera inerte. Foi preparada pela primeira vez por Hafner e Fischer por meio da reação entre cloreto de cromo(III), alumínio e benzeno, na presença de cloreto de alumínio. O método, que ficou então conhecido como Método Redutivo de Friedel-Crafts, foi estudado por E. O. Fischer e seus estudantes.[1][2] O produto obtido por meio das seguintes reações ideais foi então reduzido ao complexo neutro. CrCl3 + 2/3Al + AlCl3 + 2C6H6 → [Cr(C6H6)2]AlCl4 + 2/3 AlCl3

[Cr(C6H6)2]AlCl4 + 1/2Na2S2O4 → [Cr(C6H6)2] + NaAlCl4 + SO2

Reações[editar | editar código-fonte]

O composto possui uso em sínteses químicas e reage com ácidos carboxílicos para formar carboxilatos, como acetato de cromo(II), que possui uma estrutura particularmente interessante.

Referências

  1. King, R. B. Organometallic Syntheses. Volume 1 Transition-Metal Compounds; Academic Press: New York, 1965. ISBN 0-444-42607-8
  2. Elschenbroich, C.; Salzer, A. "Organometallics : A Concise Introduction" (2nd Ed) (1992) Wiley-VCH: Weinheim. ISBN 3-527-28165-7