Bloch MB.150

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bloch MB.150
Caça
Descrição
Tipo / Missão Interceptor
País de origem França
Fabricante SNCASO
Quantidade produzida ~663
Primeiro voo em 29 de setembro de 1937 (83 anos)[nota 1]
Introduzido em 1939
Tripulação 1
Especificações (Modelo: MB.152C.1)
Dimensões
Comprimento 9,1 m (29,9 ft)
Envergadura 10,54 m (34,6 ft)
Altura 3,03 m (9,94 ft)
Área das asas 17,32  (186 ft²)
Alongamento 6.4
Peso(s)
Peso vazio 2 158 kg (4 760 lb)
Peso carregado 2 693 kg (5 940 lb)
Peso máx. de decolagem 2 800 kg (6 170 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 × motor a pistão radial refrigerado a ar Gnome-Rhône 14N-25 de 1 080 hp (805 kW)
ou
1 x Gnome-Rhône 14N-49 de 1 100 hp (820 kW)
Performance
Velocidade máxima 509 km/h (275 kn)
Velocidade de cruzeiro 450 km/h (243 kn)
Alcance (MTOW) 600 km (373 mi)
Teto máximo 10 000 m (32 800 ft)
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 2 × canhões 20 mm Hispano-Suiza HS.404
4 × metralhadoras 7,5 mm MAC 1934 M39
Notas
Dados de: Aircraft of the Third Reich[1]; French Fighters of World War Two[nota 2]; French Aircraft from 1939 to 1942[nota 3]

O Bloch MB.150 (mais tarde de MB.151 até MB.157) foi um caça monoplano francês, todo em metal, com trem de aterragem retráctil e cockpit fechado.[2] Foi desenvolvido pela Société des Avions Marcel Bloch em resposta a uma competição lançada pelo Ministério da Aviação Francês, em 1934, para um novo caça para o Armée de l'Air. Foi usado pelos franceses até ao verão de 1940, quando foram derrotados pela Alemanha Nazi.[3]

Origens e protótipos[editar | editar código-fonte]

Desenhada por Avions Marcel Bloch em Courbevoie, a aeronave fez seu primeiro voo em 4 de maio de 1937 em Villacoublay com André Curvale nos controles.

No início de 1938, o MB 150 foi selecionado juntamente com o Morane-Saulnier M.S.406 para o reequipamento acelerado das unidades de combate francesas. A primeira aeronave foi entregue incompleta aos esquadrões (capota temporária do motor, mira não instalada, coletores de escape sem tubos, etc.). Consequentemente, era impossível usar a aeronave nas operações e, em 1º de setembro de 1939, dois dias antes da França entrar em guerra, apenas o esquadrão número 1 do grupo de caça GC I / l começou a pilotar o MB 152.

Produção e experiência operacional[editar | editar código-fonte]

Apesar de seu raio de ação limitado, sua fraca capacidade de manobra em altitude e a falta de potência de seu motor, o MB 152 provou ser uma aeronave muito robusta, muito mais capaz de suportar danos do que os outros tipos em serviço. Segundo seus usuários, era uma plataforma de tiro muito estável e rápida em atingir altas velocidades em um mergulho. Quando a guerra foi declarada, 249 MB 151 e 152 haviam deixado as linhas de montagem. Em 10 de maio de 1940, 140 MB 151 e 363 MB 152 haviam sido aceitos pela Força Aérea Francesa e dezesseis MB 151 haviam sido alocados à Força Aérea Naval Francesa. O MB 152, que era o caça de maior uso na época do Armistício, estava prestes a ser substituído por aeronaves mais modernas. Uma tentativa para dotar este avião de tanques auxiliares de combustível, a fim de permitir sua transferência para a África do Norte, foi descoberta e desmantelada pelas autoridades alemãs (Angelucci, 1975, p.92).

Dos 632 Bloch aceitos pela Força Aérea Francesa até o final de 1940, restavam apenas 320 aeronaves. Em seis semanas, cerca de 270 Bloch haviam sido destruídos em combate ou abandonados em face do inimigo que avançava. Das vinte e cinco aeronaves encomendadas pela Força Aérea Grega Real em dezembro de 1939, apenas nove MB 151 foram entregues e designados ao 24º Grupo de Caças, com sede no aeródromo Thriasson Eleusinos, para defender Atenas e Pyrea. O MB 155, uma versão aprimorada do MB 152, foi colocado em produção em série e um pequeno número foi construído. As versões MB 153 (1939) e MB 157 (1942) nunca progrediram além do estágio do protótipo.

Variantes[editar | editar código-fonte]

Variante Características Nº produzidos
MB.150 Protótipo MB.150.01 motorizado por um simples motor Gnome-Rhône 14N-07 1
MB.151 Protótipo MB.151.01 e MB.151.C1 de produção inicial motorizado com um Gnome-Rhône 14N-35 144
MB.152 Protótipo MB.152.01 e MB.152.C1 versão atualizada construída em paralelo com a versão MB.151.C1, esta versão possuía motorização Gnome-Rhône 14N-25 de 1 050 hp (783 kW) 482
MB.153 Protótipo MB.153.01 com motor Pratt & Whitney R-1830 Twin Wasp 1
MB.154 Versão proposta com motor Wright R-1820 Cyclone Não produzido
MB.155 Protótipo MB.155.01 convertido a partir de um MB.152 seguido da versão de produção MB.155.C1 com motor Gnome-Rhône 14N-49 35
MB.156 Versão proposta com motor Gnone-Rhône 14R Não Produzido
MB.157 Protótipo de versão avançada convertida de um MB.152 e motorizado com um Gnone-Rhône 14R-4 de 1 580 hp (1 180 kW) 1

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bloch MB.150
Aeronave de comparável missão, configuração e era

Notas

  1. Cristesco 1967, p.3.
  2. Brindley 1971, p.25
  3. Breffort e Jouineau 2004, p.36
Bibliografia
  • Cristesco, Michel. The M.Bloch 151 & 152 (Aircraft in Profile number 201). Leatherhead, Surrey, UK: Profile Publications Ltd., 1967. No ISBN.
  • Brindley, John F. French Fighters of World War Two, Volume One. Windsor, UK; Hylton Lacy Publishers Ltd., 1971. ISBN 0-85064-015-6
  • Breffort, Dominique and André Jouineau. French Aircraft from 1939 to 1942, Volume 1: from Amiot to Curtiss. Paris, France: Histoire & Collections, 2004. ISBN 2-915239-23-1.
  • Angelucci, Enzo. Os Aviões. São Paulo: Melhoramentos, 1975. Tradução de Raul Polillo.
  • Dassault Aviation. MB 150-157 - Disponível em https://www.dassault-aviation.com/en/passion/aircraft/military-bloch-aircraft/mb-150-157/

Referências

  1. Green, William (2010). Aircraft of the Third Reich (1st ed.). London: Aerospace Publishing Limited. pp. 106–107. ISBN 978-1-900732-06-2.
  2. «Bloch M.B.150-155 - fighter». www.aviastar.org. Consultado em 24 de julho de 2016 
  3. «Bloch MB.150 (Series) - Development and Operational History, Performance Specifications and Picture Gallery». Consultado em 24 de julho de 2016