Bloco do Barriga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barriga
Fundação 20 de janeiro de 1944 (76 anos)
Cores Azul e branco
Símbolo Barriga
Bairro Cordovil
Presidente André Lúcio Sabino[1]
Presidente de honra Nilza Sabino Cortez

O Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco do Barriga é um bloco de enredo da cidade do Rio de Janeiro, sediado no bairro de Cordovil. Foi fundado em 20 de janeiro de 1944, tendo como cores o azul e branco.

História[editar | editar código-fonte]

O bloco foi criado em 1965 na Zona Sul do Rio de Janeiro, na Favela da Praia do Pinto, que foi removida na década de 1960, quando o bloco já possuía cerca de 25 anos. Uma parte dos integrantes da agremiação foram removidos para a Cidade de Deus, e outra parte deles recebeu apartamentos na Cidade Alta. O Bloco do Barriga, apesar da transferência, em nenhum momento chegou a paralisar suas atividades, apesar disso, e rapidamente se reorganizou no novo conjunto habitacional, em Cordovil.[2] A história da agremiação, nesse contexto, lembra a da escola de samba Independentes do Leblon, rebatizada como Independente de Corvil.

Em 1965, os ritmistas do bloco tocaram a Valsa da Cidade nas caixas de guerra. Em desempate por sorteio, o Barriga foi vice-campeão, sendo campeão o Foliões de Botafogo, seu maior rival.

No ano de 2010, foi o oitavo bloco a desfilar na Avenida Rio Branco em 2010, com o enredo De barriga cheia, obtendo a quarta colocação, com 196 pontos. Em 2011, o tradicional bloco de Cordovil foi um dos rebaixados para o Grupo II dos blocos de enredo, e no ano de 2012, sofreu o segundo rebaixamento, indo para o terceiro grupo.

A partir de 2013, no entanto, a agremiação voltou a ter melhores resultados: venceu o grupo 3 naquele ano, e dois anos depois, venceu o Grupo 2, voltando à divisão principal da Federação dos Blocos.

Em 2016, o bloco chegou ao vice-campeonato do primeiro grupo, e obteve um tricampeonato consecutivo nos três anos seguintes.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
André Lúcio Sabino ? - ? [1]
Fernando Florenço ? - atualidade [3]

Presidentes de honra[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Nilza Sabino Cortez ? - atualidade

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2016 Elmo Evangelista Elmo Evangelista
2017 Elmo Evangelista Elmo Evangelista Lek

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2017 Alex Panico

Casal de Mestre-sala e Porta-estandarte[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2017

Rainhas de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Madrinha Ref.
2017 Lidiane Lima
2020 Maiara Borges [3]


Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2017 Luizão e Neilson Tavares
2020 Luan Imperador, Nei Bessa e Nazareno Vieira da Silva Junior “Nazah” [3]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Bloco do Barriga
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
2006 3º lugar 1-Bloco A festa é nossa e o presente é você Elmo Evangelista e Sylvio Cunha [4]
2007 5° lugar 1-Bloco Ópera negra Linda de Oxum Elmo Evangelista e Sylvio Cunha [5]
2008 6º lugar 1-Bloco A luz do poeta - Candeia Elmo Evangelista e Sylvio Cunha [6]
2009 8° lugar 1-Bloco A Minha Identidade José Nathanael e Elmo Evangelista [7]
2010 4º lugar 1-Bloco De Barriga Cheia Jack Vasconcelos [8][9]
2011 8º lugar 1-Bloco Eu sou da noite não posso negar Elmo Evangelista [10]
2012 7º lugar 2-Bloco Viva e Deixe me Viver Raphael Ladeira [11]
2013 Campeã 3-Bloco O poder das Mãos Raphael Ladeira [12]
2014 5º lugar 2-Bloco O Mundo em papel Raphael Ladeira [13]
2015 Campeã 2-Bloco Águas de Oxalá Raphael Ladeira
2016 Vice-campeã 1-Bloco O Redescobrimento do Brasil Raphael Ladeira [1]

[14]

2017 Campeão 1-Bloco Oh! Que saudade do meu tempo de guri
(Compositores:Emmanoel Barbosa, Mariano de Jesus Filho, Valdeir da Silva Valença, Dalvimar Moreira Brito.)
Raphael Ladeira [15]
2018 Campeão 1-Bloco
(primeira divisão)
[16]
2019 Campeão B
(primeira divisão)
2020 5º lugar A
(primeira divisão)
O jeito é ver a banda passar
Compositores: Bruno Monção Braga, Neilson da Silva Tavares, Nazareno Vieira da Silva Junior “Nazah”, Flávio de Moura Pereira, Emanoel Barbosa, Victor Niwley Meireles de Souza e Luiz Vicente Quirino
Raphael Ladeira [3]


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Referências