Bloqueador de ar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Abril de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O bloqueador de ar é uma peça que impede a passagem de ar que pode estar presente em redes de abastecimento de água. Seu objetivo seria teoricamente reduzir a conta de água, ao impedir que o ar que pode chegar pelas tubulaçòes das concessionarias de água seja registrado pelo hidrômetro.

A cumulação de ar na rede de abastecimento de água pode acontecer quando falta água e quando há muita variação da pressão devido a manobras de manutenção ou simplesmente por excesso de demanda de água. Quando retomado o abastecimento de água, todo o ar que fica na tubulação pode passar pelos hidrômetros dos consumidores, assim aumentando significativamente a conta de água no fim do mês. Em alguns estados do Brasil, onde o mesmo valor da água é cobrado pelo uso da rede de esgoto o prejuízo do consumidor pode ser duplo, ou seja, ele pode estar pagando duas vezes pela água que não usou.

No Rio de Janeiro os bairros aonde isto acontece com muita frequência são localizados na Zona Oeste (Barra, Recreio, Jacarepaguá, Itanhangá, Barrinha, Anil, Freguesia), no Centro e na Zona Norte. [carece de fontes?]

As concessionárias de água alegam que o problema da entrada do ar no hidrômetro não existe porque na tubulação delas existem as chamadas ventosas justamente para retirar o ar. Se o mundo fosse perfeito e estas ventosas sempre estivessem funcionando perfeitamente, as concessionárias teriam razão. [carece de fontes?]

A solução é perfeitamente legal e eficiente para não pagar pelo ar que pode estar passando pelo seu hidrômetro é a instalação de um bloqueador de ar se ele for instalado na saída do seu hidrômetro. A instalação de um bloqueador antes do hidrômetro ainda não é permitida no estado do Rio de Janeiro.

As companhias de água são responsáveis pelo fornecimento de água até o hidrômetro. O bloqueador de ar sendo instalado após o hidrômetro não depende da aprovação de qualquer companhia de água.

Os bloqueadores de ar são disponíveis em vários tamanhos para tubulações hidráulicas residenciais, prediais, rurais e industriais. A maioria deles é produzido em bronze (material atóxico, não oxidante). DECISÃO FAVORAVEL DA INSTALAÇÃO DO BLOQUEADOR DE AR GREAT LIGTH TRANSITADA E JULGADA PELO PODER JUDICIARIO:

Em decisão já transitada o Tribunal de Justiça determinou que as Cias. de Água mandam somente até o relógio de água.– Apelação Cívil 151.713-3, 4ª C. Cívil em 22/12/2004.“A parte interna da residência do consumidor é de propriedade privada e ele instala o que ele quiser”

Clique e veja decisão na integra

ENTENDA AS DIFERENÇAS DO BLOQUEADOR DE AR GREAT LIGTH E O ELIMINADOR DE AR.

Bloqueador de ar x Eliminadores de ar

Você sabe qual dos dois é permitido?

Eliminadores de Ar Os aparelhos denominados comercialmente por “eliminadores de ar” são dispositivos fabricados para instalação nas ligações prediais de água com a promessa de reduzir o valor das contas de água e/ou esgoto, através da eliminação do ar presente no sistema de abastecimento antes que ele seja registrado pelo hidrômetro. O aspecto apontado como negativo desse dispositivo é a possibilidade real de contaminação da água potável bombeada pelos sistemas de abastecimento público pelo acesso do dispositivo, uma vez que existe contato da água com o ar pelo orifício de vazão. Até hoje nenhum dos modelos fabricados conseguiu comprovar sua eficiência pelos órgãos competentes. Em aplicações em campo existem relatos de resultados positivos do equipamento, porém as condições em que os resultados foram apurados são desconhecidas.

LEGISLAÇÃO DO PONTO DE VISTA TÉCNICO dos “Eliminadores de ar”

De acordo com o INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial, sua posição sobre a existência de aprovação do “Eliminador de ar” é a seguinte: Segundo nota publicada na página eletrônica do INMETRO: “não existe nenhum tipo de dispositivo eliminador de ar aprovado ou autorizado pelo Inmetro. A citação indevida do nome ou marca do Inmetro no equipamento ou em material de divulgação do mesmo vem sendo objeto de notificações emitidas pelo Inmetro, cientificando o responsável das medidas judiciais cabíveis a serem adotadas, caso não se observe a imediata suspensão da informação enganosa”, o que é terminantemente vetado pelo CDC – Código de Defesa do Consumidor.

Possibilidade de contaminação da água pelo uso do “Eliminador de ar”

Testes realizados por diferentes autores comprovam que a possibilidade de haver uma contaminação não só de uma caixa de água, mas da rede de água de abastecimento público quando se instala um “eliminador de ar” existe e é bastante pertinente. Mesmo que o risco de contaminação da água distribuída fosse diminuto, as companhias que operam saneamento básico nunca poderiam concordar com a aplicação do aparelho. Isso não por medo de perderem faturamento, mas porque possuem responsabilidade técnica perante o CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, no âmbito de sua atuação profissional e, por isso, em geral não permitem a inserção de um fator preponderante como esse envolvendo risco à saúde pública. Além disso, as empresas também devem por obrigação obedecer à Portaria n.º 518 do Ministério da Saúde da qual damos evidência ao Art. 2º - “Toda água destinada ao consumo humano deve obedecer ao padrão de potabilidade e está sujeita à vigilância da qualidade da água”.


Como funciona o Bloqueador de Ar

A Válvula Bloqueadora de Ar GREAT LIGTH foi desenvolvida e aprimorada ao longo dos anos, conta com um sistema inteligente de pressão, vamos explicar! - Não existe mágica. Após a instalação do bloqueador de ar Great Ligth, seu ramal passa a contar com um dispositivo altamente eficiente, que bloqueia a passagem da tubulação toda vez que acionada, imagine que ao identificar que sua residência esta sem água você fechasse a boia da caixa d água impedindo que o ar passe de maneira continua pela boia da caixa, esse é o trabalho que o válvula faz de forma automática para você, quando o cano é totalmente preenchido com água a pressão interna do cano aumenta, fazendo com que a válvula libere passagem para a água, quando essa pressão diminui o bloqueador de ar fecha automaticamente a passagem, evitando que o ar continue saindo pela boia e contabilizando como se fosse água pelo hidrômetro. É impossível pesquisar por ai e não encontrar reportagens que comprovam os seus resultados, em 2015 os brasileiros acordaram pra esse crescente problema que é o excesso de ar nas tubulações, de forma criminosa as companhias responsáveis pelo fornecimento de água tem cobrado pelo ar. O que diz o I

A Portaria INMETRO 246, de 17 de outubro de 2000 é um dispositivo legal existente e previsto na hierarquia das normas constitucionais, tendo força e poder de determinar o perfil de como construir, produzir ou importar um hidrômetro com a competente certificação para tal uso. Esta portaria trás em seu preâmbulo e em seus textos que o seguem, a essência e a nitidez de apontar, passo a passo, a respeito da fabricação, produção ou importação de peças que compõem o hidrômetro, pois, somente atendendo sua especificidade é que o produto final será certificado para tal finalidade. Esta Portaria reza no teor de seu item 9.4 que:

`...qualquer dispositivo adicional, projetado para ser instalado junto ao hidrômetro, deverá ser aprovado pelo INMETRO, com vistas às verificação de interferência no funcionamento do medidor...`

Caro leitor, não se interpreta uma lei, isoladamente, o item que acima foi disposto faz parte de um todo cujo autor quis dizer no preâmbulo da presente portaria quanto a sua fabricação, produção ou importação de equipamentos conhecidos como hidrômetros para água fria ou quente e assim, qualquer equipamento a ser instalado junto ao hidrômetro, ou seja, para compor ao hidrômetro, deverá ser certificado pelo INMETRO, aqui, é importante saber interpretar que qualquer peça PRODUZIDA OU FABRICADA a fim de ser introduzida ao hidrômetro sofrerá a condição incontinente de ser Certificada pelo INMETRO visto os dispositivos legais da PORTARIA 246.

Visto a lei ser clara, acrescentamos que a Válvula Bloqueadora de Ar GREAT LIGTH não é um dispositivo adicional projetado para ser instalado junto ao hidrômetro (em seu interior) conforme prevê o item 9.4 da presente portaria, bem como não se classifica como assessório dele, pois se assim o fosse, deveria estar certificado pelo INMETRO conforme determina a presente portaria.

Em comum ao mesmo assunto, podemos apontar que a referida portaria trás em seu texto parâmetros específicos do conteúdo do hidrômetro, portanto cabe apreciar o presente instrumento que as porcas de fixação do cavalete, as quais estão juntas ao hidrômetro, não fazem parte do mesmo, pois, se assim o fosse, deveriam ser também certificadas pelo INMETRO, temos que, nem as porcas e nem a capa protetora das mesmas, aquelas azuis, pretas, etc não compõem o hidrômetro e estas capas, são apenas capas protetoras e não lacres, muito porque o que reforça a interpretação jurídica da coisa é a condição legal e não o achiologica do assunto, uma vez definido legal o que é lacre, não se pode legislar em causa própria, ou criar jurisprudência para intimidar o cidadão, pois, estamos num Estado Democrático de Direito e temos regras para segui-lo, o que nos distancia de algumas interpretações que não recebem supedâneo para produzir seus efeitos, portanto, definitivamente esclarecendo dentro da lei, temos: - Capa protetora da porca do hidrômetro não é lacre - Porcas do hidrômetro não fazem parte do hidrômetro (Portaria 246) - Rede pública de abastecimento vai até a saída do hidrômetro - O cavalete é de propriedade do proprietário do imóvel (Portaria 17) - Válvula bloqueadora de ar GREAT LIGTH é um dispositivo criado para não permitir que você CONSUMIDOR pague Ar como se fosse Água.

O BLOQUEADOR DE AR PODE SER INSTALADO ENTRE A BOIA DA CAIXA D’ÁGUA E O CAVALETE NA PARTE INTERNA DO IMÓVEL, QUE É DE PROPRIEDADE PARTICULAR, PORTANTO, JURIDICAMENTE LEGAL.

Outra dúvida do cavalete

Não é verdade que o cavalete é de propriedade da Companhia de Fornecimento de Água, pois, somente o seria, se a mesma fornecesse ao consumidor o referido equipamento. Até existem casos em que a concessionária fornece o cavalete ao proprietário do imóvel, contudo, são casos muito raros de serem localizados, mesmo assim a autoridade administrativa com poder de agir perante as empresas fornecedoras de água vai até a saída do hidrômetro, porca de saída da água do hidrômetro, ou seja, ponto de entrega, esta definição aponta o que é uma rede publica de abastecimento. Você é dono do cavalete localizado em sua residência, porém, da porca de saída de água localizada após o hidrômetro é tudo de sua competência mexer ou deixar de mexer, inclusive não havendo permissão legal para que tal empresa defina o que você pode instalar após o hidrômetro. Esta interpretação não é pessoal e sim definição legal, pois se você quiser instalar torneiras, várias saídas de água após o hidrômetro poderá fazê-lo sem qualquer ingerência da referida fornecedora. Resumo Portaria 246, definição de fabricação, produção e importação de peças ou dispositivos que compõem o hidrômetro. DE 953/07 de 26Fev2008 Estado do Paraná; LE/SP 12.520, define quem pode instalar eliminadores de ar, proibindo sua instalação, em qualquer caso, pelo consumidor. ATENÇÃO “Não há lei que impeça a instalação de Válvulas Bloqueadoras de Ar e sim leis que regulam as instalações de válvulas eliminadoras de ar, proibindo sua instalação por parte do consumidor em qualquer caso.”


Diferença entre Válvula Bloqueadora e Eliminadora de ar


Do verbo: O próprio verbo é o elemento que dá vida ao produto, diferenciando, entre si, pois, Válvula Eliminadora de Ar - O próprio verbo contido no presente título diz que eliminar é expurgar, é deixar passar para fora do sistema. Válvula Bloqueadora de ar - bloqueia o Ar dentro do sistema não fazendo qualquer contato com o meio externo. Da localização da instalação:

a) Válvula Eliminadora de Ar: Deverá ser instalada no cavalete de água, antes do hidrômetro, a fim de expurgar o volume da massa de ar antes que o referido volume passe pelo relógio, pois, se a válvula eliminadora de ar deixar passar a massa de ar pelo hidrômetro perderá sua função, ou seja, elimina a massa de ar antes que a mesma passe pelos marcadores de hidrômetro, o que na verdade não funciona com exatidão, pois em qualquer fluxo seja ele de veículo, de pessoas, de água, de ar, etc., o emassado a ser discutido procurará o fluxo com menor resistência e não aquele que estiver em seu entroncamento. A Válvula Eliminadora de Ar não é permitida ser instalada depois do hidrômetro devendo sempre ser instalada, incondicionalmente antes do mesmo.

b) A Válvula Bloqueadora de Ar: Deverá ser instalada incondicionalmente após o hidrômetro, pois, se for instalada antes do hidrômetro não permitira que passe uma gota de água para dentro do imóvel, nesses termos, sua instalação poderá ser feita em qualquer parte da rede interna do imóvel desde a porca de fixação da saída do hidrômetro até o cotovelo que antecede a bóia da sua caixa d´água, ou seja, em qualquer parte da casa que não se tenha uma possível fuga de ar, entre a saída do hidrômetro e o local onde a válvula está sendo instalada, pois nada adiantaria o nosso cliente instalar a válvula no cano de fixação na bóia da caixa d´água, com um ponto de vazão, como uma simples torneira de jardim, a qual certamente dará resultados negativos pois, o ar passaria pelo hidrômetro e sairia pela torneira instalada antes da posição do encanamento em que estaria instalada a Válvula BLOQUEADORA GREAT LIGTH. Desta forma, teremos melhores resultados sempre que instaladas internamente ao tubete localizado junto à porca de saída do hidrômetro visto que assim, evitaríamos pontos de fugas de ar.

Código de Proteção e Defesa do ConsumidOR ao seu favor lei nº 8078


CAPÍTULO III - Dos Direitos Básicos do Consumidor: art.. 6º

III - A informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem;

Seção II - Da Responsabilidade pelo Fato do Produto e do Serviço: art 14

Art. 14. O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. § 1° O serviço é defeituoso quando não fornece a segurança que o consumidor dele pode esperar, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais: I - o modo de seu fornecimento; II - o resultado e os riscos que razoavelmente dele se esperam; III - a época em que foi fornecido. Seção III - Da Responsabilidade por Vício do Produto e do Serviço: art. 18

Art. 18. Os fornecedores de produtos de consumo duráveis ou não duráveis respondem solidariamente pelos vícios de qualidade ou quantidade que os tornem impróprios ou inadequados ao consumo a que se destinam ou lhes diminuam o valor, assim como por aqueles decorrentes da disparidade, com as indicações constantes do recipiente, da embalagem, rotulagem ou mensagem publicitária, respeitadas as variações decorrentes de sua natureza, podendo o consumidor exigir a substituição das partes viciadas. II - a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos; Seção III - Da Responsabilidade por Vício do Produto e do Serviço: art. 22 e 23

Art. 22. Os órgãos públicos, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qualquer outra forma de empreendimento, são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos. Parágrafo único. Nos casos de descumprimento, total ou parcial, das obrigações referidas neste artigo, serão as pessoas jurídicas compelidas a cumpri-las e a reparar os danos causados, na forma prevista neste Código.

Art. 23. A ignorância do fornecedor sobre os vícios de qualidade por inadequação dos produtos e serviços não o exime de responsabilidade. Seção IV - Das Práticas Abusivas: art. 39

Art. 39. É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços: IV - prevalecer-se da fraqueza ou ignorância do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, conhecimento ou condição social, para impingir-lhe seus produtos ou serviços; Seção V - Da Cobrança de Dívidas: art. 42

Art. 42. Parágrafo único. O consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à repetição do indébito, por valor igual ao dobro do que pagou em excesso, acrescido de correção monetária e juros legais.


Depois de tudo isso, aconselhamos que você procure agora um bloqueador de ar Great Ligth e comece a comprovar os resultados, acreditamos tanto em nosso produto que se você não obtiver uma economia superior a 22% em sua conta de água nos devolveremos seu dinheiro de volta. Os Jornais do país inteiro já estão reportando o quanto os consumidores a anos tem sido lesado pela incidência de ar nas tubulações, aumentando gigantescamente a conta de água.

Ícone de esboço Este artigo sobre Engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.