Boa Noite, Cinderela (programa de televisão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o programa de televisão. Para a droga, veja Boa noite, Cinderela.

Boa noite, Cinderela foi um quadro do Programa Silvio Santos na década de 1970, exibido pela Rede Globo[1].

Ao longo do programa, o apresentador mostrava três meninas, sempre de famílias de baixa renda, cujas dificuldades eram exibidas em vídeos. As crianças revelavam a Silvio Santos seus desejos e, no fim do quadro, uma delas era escolhida para ser "coroada" princesa[2]. Um ator vestido de príncipe entrava no palco, oferecendo à ganhadora uma coroa e sapatinhos de cristal, numa referência ao conto de Cinderela[3][4].

Mesmo depois de cancelado, o quadro manteve sua relevãncia. Foi citado no samba-enredo com que a escola de samba Tradição homenageou Silvio Santos, no Carnaval de 2001[5]. Inspirou o quadro semelhante A Princesa e o Plebeu, apresentado por Gugu Liberato no programa Domingo Legal[6].

O nome do quadro passou a ser usado posteriormente para se referir também ao golpe em que uma vítima é drogada para depois ser roubada ou estuprada[7].

Referências

  1. Descubra como era o programa de Silvio Santos na Globo. RD1, 9 de setembro de 2014
  2. SILVA, Paulo César da et alii. "Só volto lá quando puder comprar um óculos escuros". Histórias de viagens do Nordeste a Sorocaba. Scripta Nova: Revista electrónica de geografía y ciencias sociales, ISSN-e 1138-9788, Nº. Extra 5, 94, 2001
  3. LIMA, Ana Paula Pereira. Assis Chateaubriand e Silvio Santos: patrimônios da imprensa nacional. Juiz de Fora: UFJF; FACOM, 2.sem.2001. 121 fl. mimeo. Projeto Experimental do Curso de Comunicação Social
  4. KOWALSKI, Marinna Campos Guaragna. Assistencialismo nos programas brasileiros da televisão aberta. 2013. 49 f., il. Monografia (Bacharelado em Comunicação Social) — Universidade de Brasília, Brasília, 2013. Página 14
  5. FREITAS, Fernanda Lopes de. Entre o moderno e o pós-moderno: as discursividades das organizações familiares e seus aspectos barrocos. Tese apresentada como requisito para a obtenção do grau de Doutor pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2016. Página 70
  6. REIS, Gabriel Vianna. A importância de Silvio Santos para a televisão brasileira. Monografia de graduação apresentada à Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Comunicação Social, Habilitação em Radialismo. Rio de Janeiro, 2016. Página 44
  7. Por que o golpe é “Boa Noite, Cinderela”, não “Bela Adormecida”? Mundo Estranho, 20 de abril de 2016

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.