Boa Vista do Ramos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Boa Vista do Ramos
Bandeira de Boa Vista do Ramos
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 31 de janeiro
Fundação 25 de fevereiro de 1982
Gentílico boa-vistense
Prefeito(a) Amintas Junior Lopes Pinheiro (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Boa Vista do Ramos
Localização de Boa Vista do Ramos no Amazonas
Boa Vista do Ramos está localizado em: Brasil
Boa Vista do Ramos
Localização de Boa Vista do Ramos no Brasil
02° 58' 12" S 57° 35' 24" O02° 58' 12" S 57° 35' 24" O
Unidade federativa  Amazonas
Mesorregião Centro Amazonense IBGE/2008[1]
Microrregião Parintins IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Barreirinha, Maués, Itacoatiara, Urucurituba.
Distância até a capital 269 km
Características geográficas
Área 2 586,829 km² [2]
População 16 820 hab. (AM: 48º) –  IBGE/2013[3]
Densidade 6,5 hab./km²
Clima Equatorial Am
Fuso horário UTC-4
Indicadores
IDH-M 0,565 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 38 870,202 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 842,01 IBGE/2008[5]
Página oficial
Por do sol Boa Vista do Ramos.jpg

Boa Vista do Ramos é um município brasileiro do interior do estado do Amazonas, Região Norte do país. Pertencente à Mesorregião do Centro Amazonense e Microrregião de Parintins, sua população, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013 era de 16 820 habitantes.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A história de Boa Vista do Ramos encontra-se ligada à história do município de Maués.

EM 1798, foi fundada a Aldeia de Luséa. Em meados do Século XIX, vários conflitos ocorreram na região, entre brancos e povos indígenas, sendo efetiva também a participação de cabanos, oriundos da Cabanagem.

Quando a Província do Amazonas é criada, em 1850, Luséa torna-se um dos quatorze municípios existentes na província. Seu nome é alterado, em 1892, para Maués, tornando-se sede da Comarca em 1895. Em 10 de dezembro de 1981, através da Emenda Constitucional nº 12, o povoado de Boa Vista do Ramos, além de outros territórios pertencentes à Maués e áreas adjacentes dos municípios de Barreirinha e Urucurituba, passam a constituir o novo município de Boa Vista do Ramos.

A trajetória do então povoado de Boa Vista, desenrolou-se da seguinte maneira: através do Decreto-Lei Estadual nº 196, de 01.12.1938, o povoado de Boa Vista foi elevado a categoria de Zona Distrital.

Na administração do Governador Dr. Plínio Ramos Coelho, através da Lei nº 117 de 29.12.1956, foi estabelecida uma nova ordem de divisão territorial, administrativa e judiciária para o estado do Amazonas, passando o então povoado de Boa Vista, a condição de sub-distrito do município de Maués.

Com a publicação da Lei nº 1 de 12.04.1961, fato ocorrido já no governo do Prof. Gilberto Mestrinho de Medeiros Raposo, fica criado o município com a denominação de Boa Vista do Ramos em virtude do mesmo situar-se geograficamente no Paraná do Ramos.

Na administração do Governador Dr. Arthur Cezar Ferreira Reis, através da Lei nº 41, de 24.07.1964, foram extintos todos os municípios criados pela Lei nº 1, de 12.04.1961, com base no fato de que nos mesmos nunca havia acontecido processo eleitoral, sendo suas áreas reincorporadas aos municípios dos quais haviam sido anteriormente desmembrados, no caso Boa Vista do Ramos, voltou à condição de subdistrito do Município de Maués, Lei nº 1.012, de 31.12.1970, fato ocorrido já no governo do Sr. Danilo Duarte de Mattos Areosa.

Durante a administração do Governador Dr. José Lindoso, por força da Emenda Constitucional nº 12, de 10.12.1981, promulgada pela Mesa da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas, o sub-distrito de Boa Vista do Ramos, volta à condição de município, desmembrado dos municípios de Maués, Urucurituba e Barreirinha.

Seus limites geográficos foram estabelecidos através do Decreto nº 6.158, de 25.02.1982. 

A instalação do município verificou-se com a realização das eleições gerais de 1982, mediantes a posse do prefeito, vice-prefeito e câmara de vereadores.

Delimitado pelo Decreto Estadual n.º 6158, desmembrado dos municípios de Barreirinha, Maués e Urucurituba. Sede no atual distrito de Boa Vista do Ramos. Constituído de 3 distritos: Boa Vista do Ramos, Lago Preto e Massauari. Todos criados pelas Leis acima citadas. Instalado em 31-01-1983. 

Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído do distrito sede. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Significado do Nome

Podemos dizer que Boa Vista do Ramos, originou-se com as primeiras casas de palha, ainda no século passado, onde se destacava como líder principal, o Sr. Antero Roberto Pimentel, conhecido também como “Antero Gaivota”, comerciante, proprietário da casa comercial “Boa Vista”. Daí o nome que deu origem a Comunidade de “Vila de Boa Vista”. Já no início deste século ela adquiria conotação de povoado com a chegada das famílias de Bento Barroso Pinheiro dos Santos, Hermínio Rolim da Cruz, José Dinelly Pimentel e Graciliano Farias dos Santos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2013 era de 16 820 habitantes, de acordo com dados do IBGE,[3] distribuídos em uma área geográfica de 2.587 km², que resulta numa densidade demográfica de 6,5 hab/km²

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. a b c «Estimativa Populacional 2013» (PDF). Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1º de julho de 2013. Consultado em 29 de agosto de 2012. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 09 de setembro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010.