Língua bokmål norueguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Bokmål)
Ir para: navegação, pesquisa
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Mapa da Noruega mostrando as comunas onde se usa Bokmål e Nynorsk
  Bokmål
  Nynorsk
  Neutra
Mapa dos dialetos da Noruega
  Norueguês do leste - Østlandsk
  Norueguês do centro - Trøndersk
  Norueguês do oeste - Vestlandsk
  Norueguês do norte - Nordlandsk

O bokmål (Norsk Bokmål, "língua dos livros") é uma das duas formas de escrita (målformene) da língua norueguesa, sendo a outra a língua nova norueguesa (Norsk Nynorsk, "novo norueguês").

Se por um lado a língua escrita tem duas formas, a língua falada é fortemente dialetal, não havendo uma pronúncia oficial comum.

Duas formas de escrita[editar | editar código-fonte]

A língua norueguesa tem duas formas de escrita porque durante aproximadamente quatro séculos (1536–1814) a Noruega fez parte do Reino da Dinamarca e Noruega, escrevendo os noruegueses em dinamarquês, apesar de falarem dialetos noruegueses.

No fim do séc. XIX, ganhou força a vontade de os noruegueses criarem uma língua escrita própria. Duas correntes de opinião então surgiram: a dos que preferiam construir uma adaptação norueguesa da grafia dinamarquesa e a dos que preferiam construir uma grafia nova baseada nos dialetos mais tradicionais do país.

O resultado dessa contenda foi a criação de duas formas de escrita: o bokmål, baseado na grafia dinamarquesa, e o nynorsk, baseado nos dialetos tradicionais.

Uso das duas formas de escrita[editar | editar código-fonte]

Das duas formas de escrita do país, o bokmål é a mais antiga e a mais utilizada (estimativa: 85%–90% da população), enquanto o nynorsk é usado pela minoria (estimativa: 10%–15%).

Segundo a legislação do país, toda informação oficial deve estar disponível nas duas formas de escrita. Igualmente estão as autoridades obrigadas a responder aos cidadãos na forma escrita que eles adotarem. Nas rádios e canais estatais de televisão (NRK) é obrigatório que pelo menos 25% esteja em nynorsk.

Nas escolas, todos os alunos aprendem as duas formas de escrita, com exceção dos alunos imigrantes e dos estudantes estrangeiros que apenas necessitam aprender o Bokmål.[1] [2] [3]

História[editar | editar código-fonte]

A ortografia da primeira língua foi adotada oficialmente em 1907 sob o nome Riksmål, após estar em desenvolvimento desde 1879. Foi uma adaptação do dinamarquês escrito, que era habitualmente usado desde a união do passado com a Dinamarca, para o Dano-norueguês falado pelos noruegueses urbanos e intelectuais da elite, especialmente na capital. Em 1923, quando o grande jornal conservador Aftenposten adotou a ortografia de 1907, a escrita dinamarquesa estava praticamente fora de uso na Noruega.

O nome Bokmål foi adotado oficialmente em 1929, juntamente com uma reforma radical e nova linguagem, com o objetivo de unir as duas formas de linguagem em Samnorsk, em algum momento no futuro. Esta reforma, contudo, encontrou forte oposição, inicialmente pela elite intelectual, que manteve a velha ortografia Riksmål. Após a Segunda Guerra Mundial, a luta contra o Samnorsk aumentou e tornou-se em movimento popular, mais ou menos sem precedentes na Noruega a essa data. Mais tarde, reformas na língua reverteram muitas das formas radicais em Bokmål, de modo que a ortografia atual é próxima ao que é defendido pelos partidários de Riksmål. O processo de unificação de linguagem foi interrompido a partir de 1960, mas não abandonado oficialmente até 2002.

Após ser a única língua ensinada nas escolas no final do século 19, Riksmål / Bokmål experimentou um declínio rápido logo antes e durante a Segunda Guerra Mundial, quando a Nynorsk foi expandida para mais municípios da Noruega, e mais de um terço do total de alunos do ensino primário foi ensinado nessa forma de linguagem. Após a guerra, a mesa foi virada, e Bokmål recuperou grande parte do terreno até 1975. Depois de um ligeiro declínio em 1990, Bokmål, desde então, teve um aumento lento, mas constante, e é agora (2011) a língua de preferência de 87% dos alunos da escola primária. Nynorsk é hoje uma língua apenas regional para os quatro condados ocidentais da Noruega.

Referências

  1. Lindgren, Birgitta; Anitha Havaas (2012). «Norska». Snacka skandinaviska (em sueco) (Estocolmo: Prodicta). p. 41-42. ISBN 978-91-979932-3-4. 
  2. «Bokmål» (em sueco). Grande Enciclopédia Norueguesa. Consultado em 17 de junho de 2014. 
  3. «Bokmål» (em sueco). Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 17 de junho de 2014.