Bola de sementes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Bolas de sementes (em inglês, seed balls), são pequenas bolas feitas com argila, compostos orgânicos, sementes e água, que servem para semear flores, frutas e outras plantas, em terrenos baldios, praças, beira de estradas e áreas sem vegetação, ou mesmo para cultivo.

A história das bolas de semente[editar | editar código-fonte]

a cada 3Nos registros escritos, a técnica do uso de bolas de semente para a semeadura apareceu nos textos de Masanobu Fukuoka, um agricultor japonês considerado precursor da permacultura, já que essa palavra somente tenha sido cunhada recentemente. Assim, a técnica é a Fukuoka atribuída, embora recentemente haja quem afirme tratar-se de uma técnica tradicional há muito empregada.

Fukuoka formou-se em agronomia e empregou-se como fiscal sanitário na alfândega japonesa. Porém, a contradição existente entre seus preceitos filosófico-religiosos (budismo) e o método científico de análise da natureza[1], levaram-no a abandonar seu emprego e retornar à terra de sua família para dedicar-se à agricultura.

De volta ao campo, Fukuoka abandonou o uso não apenas de produtos químicos na lavoura, como de todas as técnicas consideradas artificiais e antinaturais, desenvolvidas pelo homem. Sua agricultura baseou-se no princípio budista da não-ação, e ele compilou seus 5 princípios do cultivo natural:

  • não lavrar;
  • não fertilizar;
  • não usar pesticidas;
  • não escardar e
  • não podar.

Principalmente nas lavouras de arroz, a semeadura de Masanobu Fukuoka era feita "ao voo" - técnica consistente em apenas arremessar as sementes sobre o campo de cultivo, obviamente, na época adequada conforme a sazonalidade. Porém, Fukuoka percebeu que essa técnica (plantio ao voo) não era adequada a todos os cultivos, todos os terrenos ou todas as espécies.

O funcionamento no plantio[editar | editar código-fonte]

Assim, para determinados plantios, esse agricultor japonês usava a técnica do Nendo Dango (as bolas de semente, em japonês). Essa técnica possuía diversas vantagens, como:

  • proteger as sementes das intempéries,
  • evitar que as sementes sejam comidas por aves ou outros animais,
  • fornecer nutrientes à semente logo após sua germinação e até o rompimento da bola.

Com as primeiras chuvas, as bolas de sementes se abrem, estando os gérmens já aptos a se desenvolverem.

O reflorestamento e o combate à desertificação[editar | editar código-fonte]

As bolas de semente de Fukuoka também se mostraram altamente eficazes, tanto para a disseminação de espécimes de plantas em áreas públicas (como parques, beiras de estradas), como em grandes projetos de reflorestamento ou de combate à desertificação[2].

Como Fazer[editar | editar código-fonte]

Ingredientes: Argila, sementes e substrato (ou adubo).

Modo de Fazer: 1º Faça tipo uma panqueca com uma mão cheia de argila, e pressione com força sobre o substrato espalhado. Vire para o outro lado e pressione de novo. 2º Jogue as sementes sobre a panqueca. Use pelo menos três variedades de sementes, aproximadamente uma colher de chá de cada uma. Usar sementes de espécies diferentes aumenta as chances de sucesso em condições variadas. Enrole a panqueca e amasse um pouco. Adicione um pouco de água se começar a secar. 3º Faça bolinhas de mais ou menos 3 cm de diâmetro. Elas já podem ser usadas, ou você pode guardá-las em um lugar escuro e arrejado para secarem, e serem usadas depois. 4º Jogue as bolas de sementes em um terreno vago. Elas funcionam melhor onde não há muita cobertura no solo. Use aproximadamente uma bola parm quadrados. Espere a chuva!

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Fukuoka, Masanobu (1995). La Senda Natural del Cultivo 1ª ed. Valencia: Terapión. p. 1-372. ISBN 84-88903-15-4 
  • Robert and Diane Gilman (outono de 1986). «Greening the desert». Context Institute. Consultado em 27 de janeiro de 2015